Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Últimas homenagens

Teori será velado e enterrado em Porto Alegre, onde começou sua carreira

Cidade onde o ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki atuou como desembargador federal por 14 anos, Porto Alegre foi escolhida por seus filhos como o local das últimas homenagens ao magistrado. Ele será velado a partir das 11h deste sábado (21/1), na sede do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, corte que presidiu entre os anos de 2001 e 2003. O enterro, que será restrito à família e amigos, está marcado para as 18h, no cemitério Jardim da Paz, também na capital gaúcha. O relator da "lava jato" morreu em acidente de avião nesta quinta-feira (19/1).

O ministro Teori Zavascki estudou, trabalhou e lecionou em Porto Alegre. No momento da foto acima, atuava como desembargador do TRF-4. Divulgação/TRF-4

Teori é catarinense, mas sua relação com o Rio Grande do Sul se aprofundou ao longo da vida. Além de ter uma casa em Porto Alegre, formou-se em Direito na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em 1972, e se tornou mestre e doutor em Direito Processual Civil pela mesma instituição.

Começou sua carreira na magistratura como desembargador do TRF-4 (1989-2003), onde ingressou pelo quinto constitucional da advocacia. Foi ainda juiz do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul (1991-1995).

O ministro também lecionou em duas instituições gaúchas: deu aulas de Direito Processual Civil na UFRGS (1987-2005 e de 2013 até sua morte) e de Introdução ao Estudo de Direito na Unisinos (desde 1980, mas licenciado).

Torcedor do Grêmio, foi conselheiro do clube até 2013 e era dono de uma cadeira no estádio. Diziam que uma das raras ocasiões em que ele chorava era quando o tricolor gaúcho conquistava algum título importante.

Aliás, era amigo desde a faculdade do ex-presidente do clube Paulo Odone, com quem adorava discutir sobre os jogos. Foi no escritório de Odone que Teori começou a carreira como auxiliar. A relação deu tão certo que eles chegaram a ser sócios.

A presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministra Laurita Vaz, e o vice-presidente, ministro Humberto Martins, já confirmaram presença no velório. 

*Texto atualizado pela última vez às 17h27 do dia 20/1/2017.

Revista Consultor Jurídico, 20 de janeiro de 2017, 15h08

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 28/01/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.