Consultor Jurídico

Notícias

Dever de isenção

Juiz que atuou em presídio no AM pede para enxergar presos como pessoas

Comentários de leitores

7 comentários

Enxergar...

Palpiteiro da web (Investigador)

Enxergar estupradores, homicidas, latrocidas e tantos outros facínoras como pessoas, é o mesmo que dizer pra enxergar um leão como a um gatinho.
Realmente, dou razão a Renan Calheiro (não o enxergo como pessoa) quando chamou essa laia de "Juizeco".

Temos que evoluir como civilização...

jsilva4 (Outros)

... e mostrar que somos diferentes dos seres que ainda cometem atos tão atrozes como estes noticiados. Sim, eles cometeram crimes horríveis, mas nós não precisamos imitá-los, impondo-lhes tratamento degradante e cruel em penitenciárias, achando que devem sofrer como paga pelos malfeitos. Porque se criticamos a conduta destas pessoas, não podemos copiá-las, ao menos por amor a lógica.

Enquanto a sociedade ainda pretender usar o sistema criminal como mecanismo de vingança pública, nada mudará.

Não entenderam o que é Justiça

José Antonio Rocha, professor de Jornalismo (Professor)

É assustador ler aqui o que pensam muitos operadores do Direito. Concepções grotescas, rasas, próximas à Lei de Talião. Apesar de terem cursado Direito, parecem não conhecer o que é Justiça, equilíbrio, civilização.

Mais um candidato para a turma do stand up

hammer eduardo (Consultor)

Realmente depois da lambança acontecida , somos obrigados a engolir as figuras demagogas que parecem morar em Berna na Suíça e não naquele caldeirão infernal chamado de Manaus. Um dos principais problemas de nosso abominável sistema prisional se baseia justamente no FATO de que não ressocializa ninguém , muito pelo contrario, são verdadeiras Universidades do crime com direito a extensão e MBA.
Nosso sistema teria que ser praticamente ZERADO e recomeçar depois de uma avaliação do que existe de mais pratico em outros locais do planeta. Hoje o vagabundo que vai em cana , se ainda não é FERA , certamente vai virar em pouquíssimo tempo ate por uma questão de sobrevivência dentro daquelas condições que qualquer canil vira hotel 5 estrelas por comparação.
O episodio de Manaus é apenas isso, outro mero "episodio" que estará devidamente esquecido em pouco mais de uma semana se juntando a variadas estatísticas , nada mais que isso.Nossos apenados tem direitos em demasia , costumo dizer que ate mais do que os que se encontram do lado de fora , NADA produzem e sequer passam perto de algo minimamente apelidável de "ressocialização" . Sempre acreditei que deveriam NO MINIMO produzir a própria comida que consomem e trabalhar na faxina e manutenção dos presídios mas até nisso a nossa demagógica justiça???? de fancaria os poupa atribuindo-lhes direitos que deveriam ser automaticamente extintos do momento em que adentrassem nestas instituições. O histriônico porem altamente coerente Deputado Jair Bolsonaro costuma argumentar de maneira caustica de que "as cadeias são lugares excelentes , se o cara não quer ir pra lá basta se comportar adequadamente a nível social". Simples ou sera preciso desenhar???

concordo!

Neli (Procurador do Município)

O preso deve ser tratado como pessoa...
Será que eles trataram as vítimas como pessoas?
Sou contra esses depósitos de presos (deve cobrar os políticos).
As prisões devem ser, ainda que minimamente, dignas.
Mas, esses meninos/homens enxergaram as vítimas como pessoas?
Neste ano, no dia 24 de junho, fará dez anos que dois meninos (classe média, bem vestidos), tentaram me assaltar e atiraram em mim, mas, acertaram em meu carro (as balas deixei em Aparecida nos pés da Santa Mãe). Eles me enxergaram como pessoa? Poderia ter morrido ali.
Ou há uns vinte anos, no cruzamento da Ponte Cidade jardim, um menino colocou um caco de vidro na minha jugular e pediu 10 reais. Disse que não tinha, mas, peguei algumas moedas no cinzeiro do carro e dei a ele. Ele me devolveu uma que nada valia(cruzado) e ainda me pediu desculpa...pelo “desculpa dona”, ele sim me enxergou como pessoa...
Sabe, excelência, às vezes, a vida deixa as vítimas embrutecidas e não conseguem enxergar os seus algozes com humanidade.
No mais, parabéns por seu grande trabalho, em prol da Justiça e um ótimo 2017.

Defina pessoa...

Adv. Jackson Oliveira (Advogado Autônomo - Civil)

Para definir qual preso deve ser tratado como pessoa ou como animal (a pão, água e acorrentado) deve ser separado o preso por crimes passionais - todos comuns são passíveis - dos periculosos, criminosos traficantes, assaltantes, pistoleiros, enfim, os de instinto animal, que devem ter tratamento diferenciado, aumentada a pena para perpétua ou de morte em que a familia pagará a bala ou material a ser utilizado na execução da pena de morte. Preso por crimes passionais deve ser visto como gente e não confinados à mesma cela de animais que decepam as cabeças de outros e o Estado ainda indeniza os seus familiares, equiparando bandidos a policiais e soldados do exército que morrem no cumprimento do dever. Chega de discurso mediocre para fazer bonito pro resto do mundo porque nosso País é sanguinário e a cada dia se afunda no seu lamaçal. Se preocupem com as pessoas de verdade e não estas de mentirinha, escória da humanidade, ou levem eles para serem caseiros de suas propriedades sob risco de amanhecerem com as cabeças decepadas por estes fascínoras. Discurso medíocre de quem deveria separar presos comuns dos bandidos sanguinários e agora vem com esta conversa mole humanitária.

Pessoa todos somos...

Gabriel da Silva Merlin (Advogado Autônomo)

Agora estupradores, assassinos e criminosos não são todos, e esses devem pagar de maneira rigorosa pela agressão a pessoas inocentes.

Alguns amam tanto assassinos e criminosos que acabam esquecendo das vítimas que sofrem com esses criminosos.

Comentar

Comentários encerrados em 12/01/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.