Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Acesso público

Fachin levanta sigilo de inquéritos relacionados à delação da Odebrecht

Carlos Humberto/SCO/STF

O ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, levantou o sigilo dos processos relacionados às investigações ligadas à construtora Odebrecht na operação “lava jato”. Foram abertos 76 inquéritos, outros sete foram arquivados, três foram devolvidos à Procuradoria-Geral da República “para nova análise” e oito, “para nova manifestação”. Outros 201 processos foram desaforados do Supremo por não envolver ninguém com prerrogativa de foro por função.

Dos 76 inquéritos, dois estão mantidos em sigilo e os envolvidos não podem ter os nomes revelados. Outros 25 pedidos de abertura de inquérito foram mantidas em sigilo.

O fim do sigilo dos inquéritos agradou o presidente do Conselho Federal da OAB, Claudio Lamachia. Para ele, a decisão do ministro Fachin "fortalece a democracia". "O acesso ao inteiro teor dos documentos permite que as pessoas tirem suas próprias conclusões sobre fatos tão relevantes para o país."

Clique aqui para ler a lista completa, elaborada pelo gabinete do ministro Fachin.

Revista Consultor Jurídico, 11 de abril de 2017, 19h23

Comentários de leitores

3 comentários

O Gran Circus Brasilis sauda a distinta plateia

hammer eduardo (Consultor)

Em qualquer Pais de verdade que assim pudesse ser minimamente chamado , a divulgação desta lista do Ministro Fachin já seria o suficiente para uma "parada total" da Nação e afastamento IMEDIATO destas notórias e escancaradas ratazanas de paletó , algumas de tailleur.
Sempre lembro de maneira repetitiva de quem 1964 por uma fração microscópica disso o General Mourão Filho saiu com seus Tanques para o Rio de Janeiro e nem um singelo tiro foi disparado.
Hoje os jornais da noite na TV gastaram praticamente mais de metade do tempo nomeando um por um vários conhecidos IMUNDOS que na moita mereciam fuzilamento sumario padrão Cuba pois acima de tudo são TRAIDORES do Pais.
Os poucos que se aventuraram a dar declarações para "repórteres amestrados" e obedientes aos rituais daquela penitenciaria a ceu aberto chamada de Brasilia , estavam RINDO e se dizendo obedientes as Leis , que iriam se manifestar apenas no processo, que era tudo mentira de invejosos e inimigos políticos e mais aquela bobajada bovina empacotada de sempre já que NA PRATICA sabem que pouca coisa deverá acontecer de fato com eles.
O Brasil hoje abriu falência moral COMPLETA e sinceramente não vejo como sair dessa pelas tais "vias democráticas" . A maquina publica esta paralisada completamente e as grandes decisões de nosso dia a dia , PASMEM , continuará nas mãos deste bando de insuportáveis VAGABUNDOS e LADRÕES que acima de tudo são cínicos de carteirinha . Lembremos que ATÉ AGORA isto somente se refere a Petrobras , não se chegou nem na portaria do BNDES , Banco do Brasil e outras estatais. Seria mais fácil reflutuar o Titanic do que virarmos o jogo contra esta casta de marginais imundos.

Cidadãos

O IDEÓLOGO (Outros)

Os acusados em desfalques, crimes de lesa economia, corrupção ativa e passiva, tráfico de influência, são aqueles que trabalham em Brasília (DF) representando o povo.
Teremos crise institucional que descambará em uma nova Ditadura Militar.

Brasil: país da ópera-bufa

José Advogado (Outros)

A maior parte da lista, como já era esperado, é composta pelos mais insignes representantes da tal "GENTE DE BEM", baluartes da MORALIDADE tupiniquim, adorados pela grande mídia e pelos batedores de panelas.

Mas, também como é de esperar, a presença de seus nomes nesta lista (e nas outras que a antecederam e que certamente as sucederão) será esquecida.

A moral de alguns, infelizmente, é bem SELETIVA: existem os "maus bandidos" e os "bons bandidos", QUANDO, NA VERDADE, TODOS OS QUE FOSSEM BANDIDOS COM TAL DEVERIAM SER TRATADOS.

Enquanto isso, para nosotros que não gostamos de comédia de péssimo gosto, só resta adotar a expressão do protagonista d'O HOMEM QUE RI.

Comentários encerrados em 19/04/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.