Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Bom articulador

Novo ministro da Justiça, Wellington Lima e Silva é elogiado por operadores do Direito

A indicação de Wellington César Lima e Silva para o cargo de ministro da Justiça teve repercussão no meio jurídico nacional. Conhecido por sua capacidade técnica na área penal e habilidade na articulação interinstitucional, o procurador de Justiça baiano foi saudado por personalidades como o ministro Carlos Ayres Britto, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal

Novo ministro da Justiça, Wellington César Lima e Silva foi elogiado por ministros, juristas e colegas procuradores.
Divulgação/MP-BA

Para Ayres Britto, a escolha da presidente Dilma Roussef foi uma “ótima nomeação”. “Wellington Lima e Silva é otimizado ponto de convergência dos atributos que mais contam para o exercício do cargo. Dentre eles, as quatro rimadas virtudes da decência, competência, prudência e experiência.”

Já o ministro do Superior Tribunal de Justiça Rogério Schietti destacou a capacidade do novo ministro da Justiça para o diálogo e a sua habilidade para conciliar interesses com muita inteligência. "Ele é um profissional do Direito extremamente capacitado para o cargo. É também uma pessoa com capacidade de ouvir e agir sempre a partir desta interlocução, e de amadurecer e tomar as decisões no tempo certo."

No âmbito acadêmico, o professor e jurista Luiz Flávio Gomes comemorou a escolha afirmando que, no momento vivido pelo Brasil, Wellington César é o melhor nome para o cargo. "Ele possui uma capacidade técnica impecável e é um grande articulador político, que já mostrou serviços públicos de altíssima relevância para a sociedade como promotor e procurador-geral de Justiça. É extremamente habilidoso e possui uma inteligência enorme."

Chefe do Ministério Público de São Paulo, o que possui mais membros no país, o procurador-geral de Justiça Márcio Fernando Elias Rosa afirmou que "ele nos dá a segurança quanto à continuidade do que vem sendo realizado pelo Ministério da Justiça, que já apresenta um legado positivo, e nos garante uma perspectiva altamente positiva de inovação do ponto de vista da interlocução com o sistema de justiça brasileiro, porque é uma referência do Ministério Público. Wellington tem uma trajetória marcada pelo compromisso com os direitos sociais e já deu mostras de uma grande capacidade de diálogo e de obtenção de resultados". 

Já o procurador-geral de Justiça Marfan Martins Vieira, que ocupa o cargo pela quarta vez no Rio de Janeiro, afirmou que "Wellington César Lima e Silva é daqueles profissionais que unem, com raro brilho, a densidade do pensamento e a eficiência no agir". "Ex-procurador-geral de Justiça do Estado da Bahia, professor emérito e acadêmico de qualidade ímpar, certamente tem muito a oferecer à sociedade brasileira à frente do Ministério da Justiça." Com informações da Assessoria de Imprensa do MP-BA. 

Revista Consultor Jurídico, 2 de março de 2016, 14h23

Comentários de leitores

2 comentários

Atendimento a interesses de....

preocupante (Delegado de Polícia Estadual)

Mesmo diante da clarividência de que ele foi alçado ao cargo para, supostamente, blindar a presidente e demais envolvidos na Operação Lava Jato , já que seu antecessor fracassou nesse mister?

Corporação

Rivadávia Rosa (Advogado Autônomo)

A corporação do Ministério Público e a “comunidade jurídica” aplaudiram não obstante a clareza do “Livrinho”:

“Art. 128. O Ministério Público abrange:

§ 5º [...]

II - as seguintes vedações:
...
d) exercer, ainda que em disponibilidade, qualquer outra função pública, salvo uma de magistério;
...”

Buenas, vamos ver como se posicionará a gloriosa Ordem dos Advogados do Brasil, sob a nova presidência, e, a instância suprema.

Comentários encerrados em 10/03/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.