Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Mudança na chefia

Márcio Elias Rosa é o novo secretário de Justiça de São Paulo

O procurador de Justiça Márcio Fernando Elias Rosa é o novo secretário da Justiça e da Defesa da Cidadania de São Paulo. O anúncio foi feito pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) na tarde desta segunda-feira (30/5). Na secretaria, Elias Rosa substituirá o desembargador aposentado Aloísio de Toledo César, que deixa o cargo para se dedicar à produção de livros jurídicos.

Reprodução

Márcio Elias Rosa (foto) ingressou no Ministério Público de São Paulo em 1986. Trabalhou como promotor de Justiça no Vale do Ribeira, em Apiaí, Sumaré e Barueri. Na capital, atuou na Promotoria de Justiça Criminal de Santo Amaro, zona sul paulistana, e na Promotoria de Justiça da Cidadania, atual Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social.

Em 2009, Márcio Elias Rosa foi promovido a procurador de Justiça e, por dois mandatos consecutivos, atuou como procurador-geral de Justiça de São Paulo. No cargo, criou a Promotoria de enfrentamento à violência doméstica, as promotorias regionais e o programa de localização e Identificação de desaparecidos.

Mestre e doutor em Direito do Estado pela PUC-SP, Elias Rosa também liderou a campanha contra a Proposta de Emenda à Constituição 37/2011, que pretendia definir a competência de investigação criminal como responsabilidade das polícias Federal e Civi, e criou o núcleo de políticas públicas do MP-SP.

O novo secretário é professor universitário e da Escola Superior do MP, além de autor de livros e artigos sobre Direito Constitucional e Direito Administrativo e Tutela Coletiva. É ainda professor emérito da Faculdade Presbiteriana Mackenzie.

Reprodução

Livros jurídicos
O antecessor de Elias Rosa, Aloisio de Toledo César (foto), informou que deixaria a secretaria neste domingo (29/5) em sua página no Facebook. Ele afirmou que planeja ter mais tempo para concluir dois livros na área do Direito ainda neste semestre: Os limites da improbidade administrativa e Prefeitos: crimes e ilícitos administrativos mais comuns.

Ocupante do cargo desde janeiro de 2015, Toledo César começou a carreira como advogado, em meados da década de 1960, foi jornalista e ingressou na magistratura em 1988, tornando-se inclusive desembargador do Órgão Especial do Tribunal de Justiça de São Paulo.

Voltou à advocacia em 2009, depois de sua aposentadoria na corte, e atuou como coordenador do TJ-SP na região de Presidente Prudente até o final de 2014. Com informações da Assessoria de Imprensa do Governo de São Paulo.

Revista Consultor Jurídico, 30 de maio de 2016, 19h31

Comentários de leitores

3 comentários

Insistência no mesmo erro

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

O Executivo segue firme na tendência de se nomear membros do Ministério Público para cargos (e vencimentos, e assessores) de relevância, com o nítido propósito de "amansar" o Parquet nos milhares de procedimentos envolvendo desvios da Administração. Como de regra, perde o povo pois os membros do Ministério Público em vias gerais não possuem nenhum compromisso com os cidadãos, tendo quase sempre formado carreira visando apenas e tão somente as vantagens do cargo e os interesses corporativos de sua classe. Além disso, embora o integrante do Ministério Público possa ser bom em sua área, quase sempre nada entende de administração, por vezes adotando medidas extremamente prejudiciais. Infelizmente, apesar de tudo ter dado errado no Brasil nos últimos anos, insiste-se em seguir o mesmo erro eternamente.

Bo escolha

Welbi Maia (Publicitário)

Foi uma boa escolha do governador Geraldo Alckmin. Elias Rosa foi procurador-geral de Justiça de São Paulo e duas vezes chefe do Ministério Público. É preparado e experiente. Acredito que fará ótima gestão à frente da Secretaria de Justiça e Cidadania.

Parabéns!

toron (Advogado Sócio de Escritório)

Grande nome do MP paulista agora emprestando o brilho de sua inteligência e competência ao governo estadual. Sucesso!
Toron, advogado

Comentários encerrados em 07/06/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.