Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Regra de Florianópolis

Lei municipal que proíbe brinquedo em lanche é inconstitucional, decide TJ-SC

Por avançar sobre a competência da União e dos estados, a lei que impede lanchonetes de Florianópolis de vender lanches com brindes, foi considerada inconstitucional pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça de Santa Catarina. A decisão atende pedido feito pela Associação Nacional de Restaurantes.

Os advogados da entidade Eduardo Ferrão e José Rollemberg Leite Neto, do escritório Eduardo Antônio Lucho Ferrão Advogados Associados, argumentaram que a Lei 8.985/2012 do município, criava uma distinção injustificável entre os estabelecimentos de Florianópolis e os das cidades vizinhas, o que impede a livre iniciativa. “O município não tem competência para legislar sobre a matéria”, ressalta Rollemberg.

Em seu voto, o relator da ação, desembargador Rodrigo Collaço concordou com o argumento e explicou que os municípios têm competência para legislar sobre temas de interesse local, podendo criar normas que garantam boas condições de funcionamento dos estabelecimentos e bom atendimento aos consumidores, mas que essa possibilidade não pode invadir a competência da União e dos estados.

“Sobre essa árdua definição da expressão interesse local, o Supremo Tribunal Federal, ao tratar de temas afetos à segurança e ao tempo máximo de permanência de munícipes em filas de agências bancárias e de farmácias e drogarias, há muito tem assentado a compreensão de que a lei local pode, sim, assegurar condições adequadas de funcionamento dos correlatos estabelecimentos a fim de se outorgar um atendimento digno ao público consumidor, com o que não se confundem disposições das quais emerjam restrições aos produtos ou serviços neles ofertados cuja competência esteja a cargo de outros entes federados”, afirma o desembargador.

Clique aqui para ler o voto.

Revista Consultor Jurídico, 25 de maio de 2016, 6h53

Comentários de leitores

3 comentários

Assustador...

Gabriel da Silva Merlin (Advogado Autônomo)

Chega a ser assustador a ânsia dos legisladores em proibir as pessoas de fazerem coisas que eles acham ruins, e confesso que o exemplo dado pelo Alexsandro Percy é algo no minimo absurdo.

Daqui a pouco eles vão querer dizer o que se pode ou não vestir, comer, assistir e etc...

Adendo ao post anterior

Alexsandro Percy (Outros)

Link com conteúdo da lei municipal: http://www.legislacaoonline.com.br/guarapari/images/leis/html/L25062005.html

Guarapari ES x RPG

Alexsandro Percy (Outros)

Embora seja quase um off-topic, a abordagem dessa decisão lança uma luz sobre a proibição da venda de livros e outros relacionados a RPG na cidade de Guarapari - ES.

Comentários encerrados em 02/06/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.