Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

"Arroubos juvenis persecutórios"

IAB critica ministro Barroso por elogiar integrantes da "lava jato"

Para o Instituto dos Advogados Brasileiros, os “arroubos juvenis persecutórios” da Polícia Federal, do Ministério Público e do juiz federal Sergio Moro não podem ser classificados como conduta apropriada. A opinião está em nota divulgada como resposta aos elogios feitos pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso ao membros da força-tarefa da "lava jato".

Ministro Barroso disse que MP, PF e magistratura firmaram um pacto patriótico contra a corrupção.

Em entrevista ao jornalista Roberto D’Ávila, da GloboNews, ao ser questionado sobre as manifestações públicas de magistrados acerca de causas em andamento, Barroso disse que “a melhor coisa que os rapazes de Curitiba fizeram foi oferecer um bom exemplo”.

Segundo o ministro, “uniram-se membros do Ministério Público, Polícia Federal e a magistratura em um pacto de seriedade, de qualidade técnica, de trabalho de patriotismo, para ajudar a enfrentar um problema brasileiro, que é a corrupção".

Porém, o IAB discorda dessa opinião. “O elogio aos arroubos juvenis persecutórios de determinado grupo de policiais, membros do Ministério Público e do próprio juiz do processo não é conduta apropriada.”

Leia a nota:

O IAB reitera seu repúdio às manifestações públicas de magistrados acerca de causas em andamento. O elogio aos arroubos juvenis persecutórios de determinado grupo de policiais, membros do Ministério Público e do próprio juiz do processo não é conduta apropriada a outros magistrados, notadamente dos integrantes da Cortes Superiores, os quais, aliás, estão investidos de competência recursal e originária para o julgamento desses mesmos processos.

Revista Consultor Jurídico, 4 de julho de 2016, 19h43

Comentários de leitores

14 comentários

Iab x ministro barroso

VALDOMIRO ZAGO (Contabilista)

Parabéns ao Ministro Barroso, pela sua defesa daqueles que lutam para que este País um dia seja tido como País sério, e pode o Ministro estar certo que a Nação brasileira está de acordo com seus comentários, mas é lógico que as exceções sempre vão existir, e, não devemos desistir e vamos combater com veemência aqueles que criticam a justiça que procura e luta por dias melhores para nosso povo, ainda vamos assistir de camarote a prisão deste corruptos camuflados no poder , que nos enojam querendo sempre pousarem de inocentes, enriquecendo em prazos assustadores, enquanto o País está com seu barco à deriva , lutando para recuperar a rota.

Um adendo

Observador.. (Economista)

O "seja lá o que isto quer dizer", em meu comentário, quanto aos "arroubos juvenis" citados no texto, foi proposital e direcionado a quem confunde o empenho, a dedicação e a vontade de mudar do jovem, emolduradas em técnica, saber e preparo, com algo que possa ser ruim e desconectado da chamada maturidade que muitos acreditam que sempre se confundirá com o saber.
Muitas vezes a maturidade deixa as pessoas apenas mais cínicas e nada mais.
Mas não custa lembrar:
Rockefeller criou a Standard Oil aos 31 anos.
Antes dos 30 anos Steve Jobs havia criado o Macintosh .
Elliot Ness já havia comandado a equipe que prendeu Al Capone, aos 30 anos.
Enfim. É hora de nossos jovens lutarem por um Brasil melhor.
Os arroubos da juventude podem ser um bálsamo para o empreendedorismo e um aríete para combater o cinismo que atinge muitas pessoas que se consideram amadurecidas.

Lava jato

José Carlos Silva (Advogado Autônomo)

Quem elogia o combate à corrupção, é criticado. Quem critica este mesmo combate, é elogiado. Criticar pode. Elogiar não. Seria bom alguém verificar se estes que criticaram o Ministro tem algum envolvimento com os acusados. Se atuam em defesa deles. Só isso explica esta manifestação infeliz.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 12/07/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.