Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Mais prisões

Sergio Moro determina prisão temporária de mais seis pessoas na "lava jato"

Por determinação do juiz Sergio Moro, a Polícia Federal cumpre na manhã desta segunda-feira (22/2) mais uma série de mandados judiciais, sendo seis de prisões temporária, relacionados à operação "lava jato" — que apura um esquema de corrupção na Petrobras. Entre os alvos estão a empreiteira Odebrecht e o marqueteiro João Santana, das campanhas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente Dilma Rousseff.

Há um mandado de prisão temporária expedido contra Santana, mas ele está no exterior e não foi preso. Mesmo assim, a Polícia Federal está fazendo buscas no apartamento do marqueteiro, em Salvador.

Logo que foi noticiado pelos jornais que o marqueteiro estava sendo investigado, no início de fevereiro, o advogado de Santana, Fábio Tofic Simantob, criticou duramente o vazamento seletivo de informações à imprensa e pediu acesso à investigação. O pedido, no entanto, foi negado pelo juiz Sergio Moro, que alegou que a divulgação das informações solicitadas poderia colocar em risco a investigação e possibilitar a destruição de provas.

Em relação ao que foi divulgado, Tofic esclareceu que seu cliente nunca negou possuir empresas no exterior, justamente por já ter feito trabalhos em outros países. Neste sábado (20/2), a defesa do marqueteiro protocolou petição informando que Santana e sua mulher estão à disposição "para prestar todos os esclarecimentos necessários à descoberta da verdade".

Também é alvo desta fase da operação o engenheiro Zwi Skornicki, que, segundo as investigações, operava propinas no esquema da Petrobras investigado pela "lava jato".

Ao todo, os policiais estão cumprindo 51 mandados judiciais, sendo 38 de busca e apreensão, seis de prisão temporária e cinco de condução coercitiva. Os mandados são cumpridos nos estados da Bahia (Salvador e Camaçari), Rio de Janeiro (capital, Angra dos Reis, Petrópolis e Mangaratiba) e São Paulo (capital, Campinas e Poá).

O objetivo das investigações desta fase, segundo a PF, é o cumprimento de medidas cautelares relacionadas a três grupos: um grupo empresarial responsável por pagamento de vantagens ilícitas; um operador de propina no âmbito da Petrobras; e um grupo recebedor, cuja participação fora confirmada com o recebimento de valores já identificados no exterior em valores que ultrapassam US$ 7 milhões.

Os presos serão levados para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde permanecerão à disposição da 13ª Vara da Justiça Federal.

Pagamentos no exterior
Os mandados cumpridos nesta segunda-feira estão relacionados à investigação de possíveis crimes de corrupção, evasão de divisas e lavagem de dinheiro oriundo de desvios da Petrobras, por meio de pagamentos ocultos feitos no exterior pelo operador financeiro Zwi Skornicki e por offshores controladas pelo Grupo Odebrecht em favor do casal de publicitários João Cerqueira de Santana Filho e Mônica Regina Cunha Moura.

De acordo com o Ministério Público Federal, Zwi Skornicki é investigado por ser um dos operadores financeiros que pagaram propinas para funcionários do alto escalão da Petrobras e da Sete Brasil, bem como para o Partido dos Trabalhadores (PT). Entre 2003 e 2013, ele pagou mais de uma dezena de milhões de dólares em propina, que ficou comprovado por meio comprovantes de transferências. Segundo os colaboradores, os pagamentos foram feitos em benefício de contratos bilionários feitos pela empresa Keppel Fels com a Petrobras e Sete Brasil.

No período compreendido entre setembro de 2013 e novembro de 2014, especificamente, há evidências de que Zwi efetuou a transferência no exterior de pelo menos US$ 4,5 milhões, por meio de nove transações, para conta mantida no exterior pelos publicitários João Santana e Mônica Moura. Conforme o MPF, a conta dos publicitários, em nome da offshore panamenha Shellbill Finance, não foi declarada às autoridades brasileiras.

Grupo Odebrecht
Segundo o Ministério Público Federal há ainda evidências de que o grupo Odebrecht, por meio de contas ocultas no exterior em nome das offshores Klienfeld e Innovation, já investigadas por pagarem propinas para Renato Duque, Paulo Roberto Costa, Jorge Zelada e Nestor Cerveró, transferiram para a Shellbill US$ 3 milhões, entre abril de 2012 e março de 2013. De acordo com o MPF, há indícios de que esses valores tratam de propina oriunda da Petrobras que foi transferida aos publicitários em benefício do PT.

O MPF aponta possível envolvimento de Marcelo Odebrecht em novos crimes, com o controle sobre os pagamentos feitos no exterior por meio de offshores, que seriam geridas por intermédio pessoas a ele subordinadas e ligadas, direta ou indiretamente, à Odebrecht.

Dentre as contas que seriam usadas, estavam as da Klienfeld e da Constructora del Sur. As apurações também revelaram indícios de que a conta da Klienfeld foi usada não só para pagar propinas para autoridades brasileiras, mas também em favor de autoridades argentinas. Com informações das assessorias de imprensa da Polícia Federal e Ministério Público Federal.

* Notícia alterada às 9h40 do dia 22/2 para acréscimos de informações.

Revista Consultor Jurídico, 22 de fevereiro de 2016, 8h36

Comentários de leitores

11 comentários

Assim caminhamos a espera do chefe

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Maravilha ! Mais e mais pilantras presos e a fila se agiganta todos os dias. Aguardamos ansiosos pela presença ilustre do ilustre canalha chefe e sua família. Tenho estocadas algumas caixas de rojões , apesar de ser contra fogos de artifício, mas, convenhamos, a ocasião, pela especificidade, merece.

Continuando comentário anterior

Ramiro. (Advogado Autônomo)

Pelo andar da carruagem, fatos. A Venezuela e outros países da região já estão equipados com caças Sukhoi,
http://www.aereo.jor.br/2015/09/21/venezuela-vai-comprar-mais-12-cacas-sukhoi/
Não sou defensor de petistas, mas os caças Gripen foram desenvolvidos pela Suécia para defesa própria visando os Sukhois russos.
http://www.aereo.jor.br/2009/06/06/segundo-saab-gripen-ng-vence-su-35-em-simulacoes-na-razao-de-61/
Bem, vejamos como o glorioso MPF que está a investigar as compras dos caças pela FAB irá querer melar questões de segurança nacional...
Muito objetivamente, o povo assistiu a proclamação da república pensando ser uma parada militar. Em 1937 o povo viu pasmo o que veio pela frente, a Justiça Federal foi extinta por decreto, o MP virou serviçal da ditadura. Em 1964, despiciendo, em 1968 a perda da vitaliciedade da magistratura e MP, e não foi o povão, não foram as massas que hoje vibram em frente à TV com notícias da Lava Jato quem financiaram tudo.
Sendo muito lógico, por mais que procuradores da república e juízes venham tentar passar o boné, fazer uma vaquinha, para haver uma derrapagem e tentarem moralizar setores outros, tipo decretar prisão preventiva de diversos oficiais de intendência, etc. Só um ingênuo acreditaria que o grande capital, nacional e internacional, conforme seus interesses, não possam estar financiando silenciosamente uma nova ordem política e econômica. Dissolução forçada da Constituição, a Constituição declara ser crime golpe armado, mas o problema é quem faz o julgamento depois é quem vence, dependendo dos apoios que tenham.
A casa está caindo. Acredito que caiu para o PT, acredito que Lula poderia, com toda soma de escândalo, considerando a real moral média do brasileiro, ser eleito em 2018, mas poderá estar preso.

A casa vai cair, para além da Lava Jato...

Ramiro. (Advogado Autônomo)

A casa já caiu para o PT... Mesmo a incompetência da oposição para colocar um candidato para bater Lula nas urnas em 2018, o problema deve ser resolvido com a prisão do "molusco". Enfim, nunca fui petista, desde os tempos de primeira faculdade, tínhamos peso pseudônimo de "araras", vermelhos, muito vermelhos por fora, mal humorados, histriônicos, e além de sujar os poleiros fazendo o que as araras bem fazem pelas cloacas, e do muito barulho, não eram capazes de fazer mais nada.
Gostava muito do PT na oposição, era um ótimo partido na oposição para barrar excessos, mas assumiu o poder e fez tudo que criticava e muito mais, deu uma belíssima ferrada na carreira dos novos Magistrados e Membros do MP, tão brasil, todos vão para fundos de pensão quando aposentarem, contribuição definida e remuneração indefinida, e se tiverem problemas vão ver o que é depender dos novos na toga, que acham que o tempo dos antigos já era...
A burocracia togada anda mesmo virando a política de cabeça para baixo, está ressuscitando até comportamentos da Velha República, se tornando uma espécie de Comissão Retificadora de Poderes, a famosa "degola". O problema é que nem a PF tem condições de bater de frente com os militares, se esses entenderem que a toga passou dos limites e tomou poder demais para si, autoritarismo por autoritarismo, manda quem pode e obedece quem tem juízo.
Alguém julga que foram juízes e promotores que financiaram 1989, 1937 e 1964? O erro das oligarquias políticas anti-petistas está sendo dar poder demais para uma cobrinha constritora que quando estiver do tamanho de uma piton ou anaconda, com cérebro de igual tamanho para entender de política... O MPF já está querendo melar a compra dos caças suecos...

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 01/03/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.