Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Justiça ampliada

Estado de São Paulo vai ganhar 15 novos fóruns em 2016, diz secretário de Justiça

Por 

A Justiça de São Paulo deve ganhar 15 novos fóruns em 2016, de acordo com o secretário da Justiça do estado Aloísio de Toledo César. Ele explica que os 15 já estão em construção e, hoje, a principal dificuldade para aprovar novos fóruns é a questão financeira. A Secretaria de Justiça do estado é responsável, ao lado do Tribunal de Justiça, por construir dos fóruns. O TJ faz o projeto de ampliação com base no número de processos das comarcas e envia à Secretaria, junto com um projeto arquitetônico. A secretaria cuida para que o projeto saia do papel.

Toledo César é desembargador aposentado do TJ-SP. “Era muito bom ser desembargador. Era um trabalho que dependia só de mim. Eu tinha os meus processos, o meu computador, os meus livros em volta. Na nova função, dependo muito de injunções políticas”, disse o secretário.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 16 de fevereiro de 2016, 13h35

Comentários de leitores

3 comentários

Farra do Boi

J. Cordeiro (Advogado Autônomo - Civil)

A falta de dinheiro reside no fato de que das taxas (de serviços) pagas pelos usuários do Judiciário paulista 70% (setenta por cento) fica com o Palácio dos Bandeirantes, para política, e só 30% (trinta por cento) vem para o Judiciário cobrir suas despesas. É por isto que a qualidade e eficiência dos serviços judiciais ficam comprometidos, pois o que seria taxa, que corresponde ao serviço requisitado, na verdade vira imposto, indo, não poucas vezes, para a farra do boi.

O desperdício e a falta de essência. País dus cumpadi.

Luiz Parussolo (Bancário)

Dificilmente no mundo encontraremos no mundo, salvo nas Américas espanhola e portuguesas e em países atrasados ditatoriais, um povo onde os poderes não possuem estratégia e senso de valoração e o ordinário que nada produz e cria escraviza e submete à sua medieval burocracia todos que produzem e criam para manter suas ostentações e vaidades de eruditos vazios destituídos de vocação e essência parasitando e comendo como mandruvás o que entre povos evoluídos por senso natural é investido na formação, na saúde, na segurança e na garantia da velhice de seu povo; no desenvolvimento industrial, científico, artístico, técnico e produtivo; na preservação e ocupação útil de seu território evitando-se atos predadores e desperdícios no uso ocioso; na infraestrutura; no conhecimento e na criação; na eficiência e na eficácia; no ser interior e suas virtudes.
O Brasil submete dois terços de seus habitantes em manada subjugada e consome os resultados financeiros na ociosidade oligarca e burocrata e para pagar a especulação e a corrupção formiguinha e as nuvens de gafanhotos que infestam o país e o território.
Poucos sabem trabalhar por falta de quem ensine.
Lendo a biografia de D. Pedro II pergunto a mim mesmo se é verdade que aquele ser existiu por aqui e caso verdadeiro seria um deus e se humano sou uma farsa irracional imposta como humano.
E os nossos representantes e as nossas autoridades, bem como toda a nossa nação fazendo uma avaliação comparativa
O Imperador seria um deus?
Lendo na história e vivendo nossos representantes, autoridades e a nação ele só poderia ser um deus porque sustentam que todos nós somos humanos.

mais despesas, mais palácios

daniel (Outros - Administrativa)

é sempre assim, apenas enxugam gelo...

Comentários encerrados em 24/02/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.