Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Classe unida

Associações de policiais criam entidade para combater reforma da Previdência

Para combater a reforma da Previdência, 27 associações de classe de diversas entidades policiais formalizaram nesta quarta-feira (21/12) a criação da União dos Policiais do Brasil. O objetivo é negociar com o governo e impedir que avance a proposta de retirar da Constituição Federal o artigo que reconhece a atividade de risco dos policiais. A assembleia geral definiu também que no dia 8 de fevereiro será organizado o primeiro de uma série de atos programados para 2017.

Em reunião com o ministro da Justiça Alexandre de Moraes, ocorrida no último dia 14 de dezembro, as entidades reivindicaram que sejam fixados critérios considerando os riscos envolvidos na atividade policial para fins previdenciários.

“Não podemos conceber uma reforma que impõe aos policiais a realidade de não mais se aposentar, levando-se em consideração a tábua de morte média da profissão. Seria quase um retorno ao sistema feudal na segurança pública”, afirmou Flávio Werneck, Vice-Presidente da Fenapef e Presidente do Sindipol-DF.

A proposta estaria fundamentada nos estudos técnicos que estão sendo desenvolvidos pela Fundação Getúlio Vargas sobre a expectativa de vida dos policiais federais, rodoviários federais e civis do Distrito Federal, com previsão de conclusão para janeiro de 2017.

Membros da União dos Policiais Brasileiros:
ABC – (Associação Brasileira de Criminalística)
Abrapol (Associação Brasileira dos Papiloscopistas Policiais Federais)
Adepel (Associação de Defesa de Prerrogativas dos Delegados de Polícia da Paraíba)
Adepol Brasil (Associação Nacional dos Delegados Policias Civis)
Adpesp– (Associação de Delegados de Polícia do Estado de São Paulo)
Adpf – (Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal)
Ampol – (Associação Nacional das Mulheres Policiais)
Anepf – (Associação Nacional dos Escrivães Polícia Federal)
Apcf – (Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais)
Apcn – (Associação das Polícias do Congresso Nacional)
Centrapol- (Central Única Nacional dos Policiais Federais)
Cobrapol – (Confederações Brasileiras dos Policiais Civis dos Estados)
Concpc – (Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil)
Cnpff (Confederação Nacional dos Policiais Ferroviários Federais)
Congm – (Conferência Nacional das Guardas Municipais)
Febrasp – (Federação Brasileira dos Servidores Penitenciários)
Fenadepol – (Federação Nacional dos Delegados de Polícia Federal)
Fenaguardas – (Federação Nacional dos Sindicatos de Guardas Civis)
Fenapef – (Federação Nacional dos Policiais Federais)
Fenappi – (Federação dos Peritos em Papiloscopistas e Identificação)
Fenaprf – (Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais)
Fenaspen – (Federação Nacional dos Servidores Penitenciários)
Fendepol – (Federação Nacional Sindicatos Delegados Polícias Civis)
OPB – (Ordem dos Policiais do Brasil)
Sindepo-DF – (Sindicato dos Delegados de Polícia do DF)
Sindepol-DF – (Sindicato dos Delegados de Polícia Federal no DF)
Sindepol-GO – (Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de Goiás)
Sindipol – DF – (Sindicato dos Policiais Federais do DF)
Sindesp – (Sindicato dos Delegados decia do Estado de São Paulo)
Sinpoc – DF (Sindicato dos Peritos Oficiais Criminais do DF)
Sinpol – DF (Sindicato dos Policiais Civis do DF)

Revista Consultor Jurídico, 22 de dezembro de 2016, 19h21

Comentários de leitores

10 comentários

O burro descobriu a roda e quer mamar

Macaco & Papagaio (Outros)

o funcionário público passa em um concurso público para policial, talvez não consiga em passar em outro e não só pensa que é o mais inteligente que os animais com quem ele convive, todos bem domesticados, mas, no fundo, quer é dilargar ou eternizar a mamata.
Veja a teoria do macaco e papagaio que o tal Roberto elaborou.
Descobriu a roda, mas não olhou para o próprio umbigo.
Que tal equiparar o salário deles ao MP e diminuir o tempo da aposentadoria dos bundas de gabinetes?
Ah.. TODOS têm o perigo de "sentir um projétil passar a poucos centímetros de seus ouvidos".

Macaquices e repetições inofensivas

Roberto MP (Funcionário público)

Ei gente, vocês vão dar trela para bichos domesticados?
O macaco, segundo o anedotário, não é levado a sério, tanto que o termo "macacada" significa fazer palhaçada, brincadeira, gozação, tentar fazer alguém rir de algum jeito. E o bicho só vive na bandalheira.
E o papagaio? É o marionete com vida, ou seja, aquele boneco usados pelo ventríloquo, pois, só faz repetir o que o homem fala.
Então, não se estressem, não levem a sério, os bichinhos não fazem mal, estão sendo usados por algum grupo que não suporta policiais civis.
Não deem bola para essas macaquices e repetições inofensivas.

Conversa mole de delegada ribas

Macaco & Papagaio (Outros)

Quem combate o crime de verdade com risco são de vida os PMs e outros que atuam na rua.
Quer enganar quem, marionete do MP?
Esse estresse de "sentir um projétil passar a poucos centímetros de seus ouvidos" é uma fantasia dos Delegados que, todos sabem, ficam no Gabinete com ar condicionado manusendo (e manipulando) IPLs.
Tua carreira é jurídica.
Vai fazer outro concurso, vai para a iniciativa privada e deixar de papo mole que o papo da tua classe é se igualar - ou superar - em privilégios ou salários ao MP e Judiciário.
Se quiser se aposentar com 50 anos vai ser professor, mas a mente engessou de só fazer relatórios control c control v, né, daí lhe sobra muito tempo para falar asneiras aqui na CONJUR.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 30/12/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.