Consultor Jurídico

Notícias

Acordo de Poderes

No caso do senador Renan Calheiros, Supremo optou pela autopreservação

Comentários de leitores

9 comentários

Lulla tinha razaaaaaaão

E.Rui Franco (Consultor)

Realmente, a preservação que o lulla falou era verdade, dou a mão à palmatoria. Critiquei o Grande Molusco indevidamente.

Dr.Pavao novamente com a razao

hammer eduardo (Consultor)

Acredito em democracia verdaeira que certamente NADA tem a ver com esta ZONA descontrolada que vivemos atualmente.

Infelizmente sou obrigado a concordar com o Delegado Pavao pois no ponto em que chegamos , nao vejo a mais remota possibilidade de recolocarmos o trem de volta nos trilhos.
O periodo mili foi discutivel porem lembro que tinhamos um "pais minimo" em termos de funcionamento hoje so se fala em roubalheira descontrolada e NADA de punitivo num plano minimamente toleravel acontece e essa corja de imundos sempre sai numa boa e rindo dos OTARIOS pagadores de tribunos insaciaveis que somos Nos.
No periodo do governo militar jamais fui incomodado tampouco minha Familia ou meus Amigos o que obviamente nao exclui a compreensao dos fatos divulgados pela farta documentacao que se transformou em pilhas de livros.

O problema e que a "turma do Coturno" de 1964 ou ja morreu ou esta com idade excessivamente avancada. Os militares de hoje infelizmente sao meros burocratas de farda exageradamente obedientes a um sistem PODRE que esta nas patas sujas da ratada imunda de Brasilia.

A ideia do Delegado Pavao e otalmente coerente porem na pratica inexequivel , infelizmente.

"autopreservação"! Essa foi boa!

mfontam (Advogado Sócio de Escritório - Administrativa)

"Autopreservação"! Essa foi boa! O papel aceita qualquer coisa até mesmo chamar a submissão do STF de "autopreservação". O senador Renan saiu vitorioso e o STF saiu derrotado, não adianta trocar palavras para amenizar a derrota do STF, que já não usufruia da simpatia da opinião pública e agora a situação é crônica. O juiz Moro tem mais legitimidade na população que todos os ministros do STF juntos.

Assembleia Nacional Constituinte!?

Marcelo-ADV (Outros)

O que colocariam em uma nova Constituição? As 10 medidas? Uma nova Constituição para suprimir Habeas Corpus, acabar com a vedação de provas ilícitas, ampliar os poderes da Magistratura e do Ministério Público, etc.?

Agradeço a oferta, mas não digo não! Não quero essa nova Constituição. Provavelmente seria a única Constituição do mundo moderno (ocidental) sem direitos fundamentais.

Projeto Constitucional fracassado já temos há tempos, e uma nova Constituição não irá mudar a cultura.

A meu ver, é preferível um constitucionalismo fracassado (mas com pretensão de ser, mesmo que apenas contrafactual, um Estado de Direito) a uma forma de Estado Absoluto.

Decisão vergonhosa

Chico Bueno (Advogado Autônomo - Civil)

Qualquer que seja a justificativa apresentada pelos ministros que salvaram o presidente do Senado ninguém haverá de engoli-la. A justiça ("j" minúsculo mesmo) que, de há muito, vem sendo mostrada pelo STF não tem nada, absolutamente nada, de cega. Decisão proferida com base no "jeitinho brasileiro" , distanciando-se, portanto, daquilo que a norma legal realmente dispõe só para beneficiar um "homem poderoso" tem o nítido objetivo de atrair a ira de um povo que não aguenta mais ver o mal triunfar neste Brasil, que está, cada vez mais, indo pro buraco.

Forças armadas

Juarez Araujo Pavão (Delegado de Polícia Federal)

Se gritar pega ladrão não fica um meu irmão. Por isso, somente através de uma ruptura institucional, por meio das forças armadas, poderá haver um sério reordenamento político-administrativo, no País, com a convocação de uma constituinte originária, para a elaboração de nova constituição, e depois, serem convocadas eleições diretas gerais.

Parabens ao Pedro Canario pelo excelente artigo

hammer eduardo (Consultor)

Quando mencionei em post anterior o "marmelex" que foi aquela sessão , um bando de senhoritas exaltadas desancou a borduna em cima de Mim algo que Me afetou profundamente a nível emocional tendo sido obrigado inclusive a fazer a aquisição de um novo armário para em seu interior poder dormir tamanha a minha preocupação.
Agora este excelente artigo da lavra de Pedro Canário vai EXATAMENTE de encontro aos pontos que mencionei no meu post que vá lá, não era um primor de afeição , de repente se fosse escrito pelo William Bonner.....
O nosso agora moralmente falecido STF capotou na curva da legalidade se agachando de maneira abjeta a interesses POLITICOS e abrindo mão da isenção e no foco da abordagem da Justiça , se é que ainda acreditam que tal fosse possível . A marmelada ficou evidente quando inverteram a ordem de votação e o nobre ministro celso de melo soltou o seu "voto - dica de como fazer" para os demais , um verdadeiro cruzamento de girafa com hipopótamo ou como preferiu o Nobre Ministro Marco Aurelio ( palmas para Ele que usa calças , felizmente !) , uma verdadeira "meia sola jurídica". O melhor para se diminuir o estrago teria sido empurrar com a barriga ate o coronel do grotão alagoano sair por meios naturais. Neste caso preservou-se com a ajuda do STF uma biografia mais com cara de "capivara" e desmoralizou-se um dos últimos bastiões da credibilidade no Brasil. Agora qualquer "zé mané" vai ignorar liminares e pedir uso da mesma "jurisprudência do renan" , simples !
A lambança na realidade foi num momento de grave crise como passamos deixar a bola parar nas mãos sujas de lama do elemento em questão , o resto foi consequência em serie. Pobre Brasil .

Poderes

O IDEÓLOGO (Outros)

Um poder legítimo e legal, o Judiciário, contra um Poder que sacrifica o povo, o Legislativo.
Quousque tandem Renan Calheiros abutere patientia nostra?

Corações e Mentes, Cabeças e Sentenças, O Canto do Canário

Rejane Guimarães Amarante (Advogado Autônomo - Criminal)

Dr. Pedro Canário, muito obrigada! É um deleite ler um texto bem escrito, com uma nova abordagem a um tema tão comentado. A abordagem mais humanista, por assim dizer, revela muito do que estamos vivenciando. As grandes questões institucionais e as graves medidas que têm sido tomadas no âmbito jurídico-político nos últimos anos são, em última análise, decididas e implementadas por seres humanos, mortais, de carne e osso, com tudo de bom e ruim que esta condição possa expressar. Suor e lágrimas, espero que só fique nisso. Vamos suar a camisa e chorar um dilúvio para evitar que esse capítulo da nossa História seja manchado de sangue.

Comentar

Comentários encerrados em 18/12/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.