Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Prédio evacuado

Expediente no Fórum Ruy Barbosa (SP) é suspenso devido a suicídio

A direção do Fórum Trabalhista Ruy Barbosa, em São Paulo, suspendeu os prazos desta segunda-feira (29/8) devido a mais um caso de suicídio dentro do prédio. O expediente, os prazos processuais (exceto quanto ao Processo Judicial Eletrônico) e as audiências do Fórum Ruy Barbosa estão suspensos. O atendimento deve ser retomado normalmente nesta terça-feira (30/8).

O incidente ocorreu por volta das 11h desta segunda. Uma pessoa pulou de um dos andares do prédio com uma criança, de aproximadamente seis anos — que também morreu. Não há informação sobre o grau de parentesco entre elas e nem o sexo das vítimas. O prédio foi evacuado e o caso está sendo investigado pelo 23º Distrito Policial, em Perdizes.

Este não é o primeiro caso neste ano. Em março um outro suicídio no local gerou protestos e motivou o Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região a determinar a instalação de faixas e tapumes nos parapeitos dos andares. Também foram bloqueadas as rampas que permitem a transição entre os blocos do fórum. Apenas as rampas do térreo e no décimo andar, que é o limite de chegada dos elevadores, continuam abertas. Pelo menos desde 2007 há registros de suicídios no local.

O doutor em Direito do Trabalho e professor da pós-graduação da PUC-SP, Ricardo Pereira de Freitas Guimarães lamenta a falta de medidas do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região nos sucessivos casos de suicídio no interior de seu prédio na Barra Funda. “ Mesmo com a insistência das associações de advogados e inúmeras reuniões com a presidência do TRT da 2ª Região, além de conversas com o MPT, insistindo na colocação de redes de proteção no Fórum Trabalhista de São Paulo, nenhuma medida digna de nota foi tomada, sendo que hoje tivemos a consequência de tal irresponsabilidade: mais duas mortes, sendo uma delas, ainda uma criança”, diz.   

Freitas Guimarães alerta que alguma atitude precisa ser tomada. “Talvez tudo continue igual, enquanto o maior TRT do Brasil julga horas extras e fala de dignidade da pessoa humana,  olha sem qualquer interesse, vidas se perdendo no seu interior. Algo precisa ser feito de maneira urgente para que novas tragédias não aconteçam. Muito triste, realmente muito triste”, conclui.

*Notícia alterada às 15h11 do dia 29/8 para acréscimos.

Revista Consultor Jurídico, 29 de agosto de 2016, 12h51

Comentários de leitores

5 comentários

Again?

Advogado Santista 31 (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Esse fórum é o mais zicado que eu já vi. PelamordeDeus. Só servidor se mata nesse lugar. Bem que falam que lá é maquina de fazer doido. Não é possível.

Investigação necessária

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Alguma coisa estranha. Volta e meia se fala em suicídio, apenas neste Fórum.

Bloqueios nas rampas e parapeitos

RobertoF (Advogado Assalariado - Trabalhista)

As faixas colocadas próximas ao parapeito, assim como os bloqueios das rampas foram muito úteis... ...úteis para congestionar os andares já tumultuados e dificultar a vida dos advogados e funcionários do prédio, sem contar que o visual ficou esplêndido, coisa de primeiro mundo. Parabéns TRT 2, estou ansioso para ver qual será a próxima invenção.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 06/09/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.