Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Envolvidos em investigação

Nadadores olímpicos americanos estão proibidos de deixar o país

Os nadadores americanos Ryan Lochte e James Feigen estão proibidos de deixar o país por causa de uma investigação sobre um suposto assalto que teria acontecido na madrugada do último domingo (14/8). O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro determinou a expedição de mandados de busca e apreensão dos passaportes dos atletas.

A decisão da juíza Keyla Blanc de Cnop, do Juizado Especial do Torcedor e Grandes Eventos, aponta possíveis divergências nos relatos dos nadadores, já que Lochte afirma que os esportistas teriam sido abordados por um assaltante que exigiu a entrega de todo o dinheiro deles (cerca de US$ 400), enquanto Feigen relatou que os atletas foram surpreendidos por alguns assaltantes, mas que apenas um deles estava armado.

Outra contradição apontada pela magistrada é sobre o comportamento dos atletas na chegada à Vila Olímpica, na manhã de segunda-feira (15/8), depois de terem participado de uma festa na zona sul do Rio. “Percebe-se que as supostas vítimas chegaram com suas integridades físicas e psicológicas inabaladas, fazendo, inclusive, brincadeiras uns com os outros”, afirma a magistrada, com base nos registros das câmeras de segurança da vila. Com informações da Assessoria de Imprensa do TJ-RJ.

Revista Consultor Jurídico, 17 de agosto de 2016, 13h24

Comentários de leitores

9 comentários

Legacy

Observador.. (Economista)

Alguém lembrou aí o caso do Legacy que colidiu com um Boeing da Gol.Uma tragédia que teria virado filme se fosse o contrário. Nada a ver com patriotada.Tudo a ver com dignidade, justiça e respeito às vítimas.Mas falhamos.Nada aconteceu.
Apesar dos indícios apontarem que o TCAS (aparelho que permite um avião perceber outro em rota de colisão, alertando os pilotos de ambos) do Legacy estava desligado,
tudo ficou por isso mesmo.
Talvez, em virtude de demonstrações de inações como esta, tais imagens fiquem no inconsciente das pessoas.De que o Brasil é um país flexível e bagunçado. Que nossas leis podem ser cumpridas ou não. Que nosso sistema pode funcionar ou não.Que temos um flexível padrão moral e de conduta.E que esquecemos tudo muito rápido.Não prezamos nossa própria história.Distorcemos, criticamos e não sabemos como lidar com ela, para o bem ou para o mal.
Somos o que (ainda) somos.
A imagem que projetamos interna e externamente dará muito trabalho para mudar.E não será, agora, agindo com exagero com nadadores jovens que mudaremos.
Basta agir com profissionalismo e de acordo com a lei.

Perguntando incomoda aqui na Banania.

hammer eduardo (Consultor)

Como somos um País desmemoriado cabe lembrar um macabro incidente que demonstra a nossa permanente situação de colônia bananeira e subserviente.
Falo do acidente entre um jato Legação de prefixo americano contra um Boeing da Gol em que todos faleceram. Na época foi um escândalo de dimensões internacionais
Quem ocupava a presidência era o jumento sem dedo. Pois bem , confiscaram os passaportes dos pilotos que ficaram " internados" num caríssimo hotel em Copacabana de frente para o mar
Um mês depois , certamente depois de uma singela "conversinha" telefonica do presidente Bush com o jumento, os americanos num final de semana tiveram seus passaportes devolvidos e sumiram do hotel para dentro de um avião de carreira americano de volta para o seu protetor País de origem. O Brasil ainda foi escola chato em cadeia nacional de TV nos USA por um vagabundo de um repórter americano que estava a bordo. Resultado prático para os Familiares das Vítimas? NENHUM! O processo se arresta a dez anos em nossa INJUSTIÇA de brincadeira na é os pilotos americanos só precisam ter o cuidado de nunca mais botarem suas patasugestões sujas de sangue em nossa patética republiqueta bananeira.
Este é o nojento : modus operandi" de nossa justiça de fantasia. Aguardemos para pouquíssimo tempo a devolução dos passaportes dos baladeiros olímpicos que devem ter se envolvido em algum " Boa noite cinderela" da vida e optaram por inventar essa histórinha rocambolesca. De posse dos passaportes , sumirão na poeira numa velocidade digna de transformar o Usain Bolt em atleta para olímpico por comparação. Paiszinhomixuruca vagabundo esse nosso não acham?

Perguntando incomoda aqui na Banania.

hammer eduardo (Consultor)

Como somos um País desmemoriado cabe lembrar um macabro incidente que demonstra a nossa permanente situação de colônia bananeira e subserviente.
Falo do acidente entre um jato Legação de prefixo americano contra um Boeing da Gol em que todos faleceram. Na época foi um escândalo de dimensões internacionais
Quem ocupava a presidência era o jumento sem dedo. Pois bem , confiscaram os passaportes dos pilotos que ficaram " internados" num caríssimo hotel em Copacabana de frente para o mar
Um mês depois , certamente depois de uma singela "conversinha" telefonica do presidente Bush com o jumento, os americanos num final de semana tiveram seus passaportes devolvidos e sumiram do hotel para dentro de um avião de carreira americano de volta para o seu protetor País de origem. O Brasil ainda foi escola chato em cadeia nacional de TV nos USA por um vagabundo de um repórter americano que estava a bordo. Resultado prático para os Familiares das Vítimas? NENHUM! O processo se arresta a dez anos em nossa INJUSTIÇA de brincadeira na é os pilotos americanos só precisam ter o cuidado de nunca mais botarem suas patasugestões sujas de sangue em nossa patética republiqueta bananeira.
Este é o nojento : modus operandi" de nossa justiça de fantasia. Aguardemos para pouquíssimo tempo a devolução dos passaportes dos baladeiros olímpicos que devem ter se envolvido em algum " Boa noite cinderela" da vida e optaram por inventar essa histórinha rocambolesca. De posse dos passaportes , sumirão na poeira numa velocidade digna de transformar o Usain Bolt em atleta para olímpico por comparação. Paiszinhomixuruca vagabundo esse nosso não acham?

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 25/08/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.