Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Incêndio na madrugada

Fórum de Goiatuba (GO) pega fogo, e 80% dos processos são queimados

Um incêndio no Fórum de Goiatuba, cidade a 175 km de Goiânia, terminou com pelo menos 80% dos processos queimados e boa parte do prédio destruída. Até o momento, não foram divulgadas as causas do ocorrido. As informações são da Assessoria de Imprensa do Tribunal de Justiça do estado e do Corpo de Bombeiros.

O fogo começou durante a madrugada desta quarta-feira (10/8) e foi extinto no começo da manhã. Segundo os bombeiros, cinco viaturas, dois caminhões-pipa e 33 mil litros de água foram usados para acabar com o incêndio.

Em nota, a Associação dos Magistrados Brasileiros considera que o incêndio foi criminoso e repudiou o suposto ato proposital. A entidade afirma que, segundo o Corpo de Bombeiros, dois homens invadiram o local após render o segurança e atearam fogo ao prédio.

“A AMB reitera extrema preocupação com mais um fato que coloca em risco a segurança de magistrados e servidores da Justiça e evidencia as graves ameaças às quais o Judiciário brasileiro está exposto, principalmente nas regiões onde não há o devido policiamento e estrutura que possam garantir o pleno e livre exercício jurisdicional”, complementa a associação.

A Associação Nacional dos Magistrados Estaduais (Anamages) também divulgou nota repudiando o fato. Segundo a entidade, o incêndio foi "mais uma inequívoca ação covarde e criminosa contra o Poder Judiciário e Magistratura brasileiros".

Leia a nota da AMB:

A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) repudia o grave atentado ocorrido no Fórum de Goiatuba, em Goiás, na noite desta quarta-feira (10). A entidade manifesta solidariedade ao Judiciário local e condena quaisquer ações de violência que possam atentar contra o Estado Democrático de Direito.

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros Militar, dois homens invadiram o local após render o segurança e atearam fogo ao prédio. A AMB reitera extrema preocupação com mais um fato que coloca em risco a segurança de magistrados e servidores da Justiça e evidencia as graves ameaças às quais o Judiciário brasileiro está exposto, principalmente nas regiões onde não há o devido policiamento e estrutura que possam garantir o pleno e livre exercício jurisdicional.

Em apoio à Associação dos Magistrados do Estado de Goiás (Asmego), a AMB prestará toda e qualquer assistência necessária, acompanhando as investigações do caso, confiante no trabalho de apuração da Polícia do Estado de Goiás para coibir qualquer tentativa de intimidação à magistratura".

Leia a nota da Anamages:

A Associação Nacional dos Magistrados Estaduais (Anamages), representada por seu presidente, o Juiz de Direito Magid Nauef Láuar, vem a público manifestar sua profunda indignação com o incêndio criminoso que destruiu o Fórum da comarca de Goiatuba, no interior de Goiás, nesta quarta-feira, em mais uma inequívoca ação covarde e criminosa contra o Poder Judiciário e Magistratura brasileiros, que têm cumprido seu dever constitucional em prol do aperfeiçoamento da democracia, inclusive condenando aqueles que ainda insistem na prática dos mais variados crimes, entre os quais a corrupção, comprometendo a sonhada elevação do Brasil a níveis econômicos e sociais de países desenvolvidos.

O Presidente da Anamages ressalta que a Associação tem lutado pelo aprimoramento da estrutura de segurança dos Fóruns e dos Juízes de Direito (Magistrados estaduais), que, no exercício da atividade judicante, têm estado sob permanente e elevado risco de vida, como demonstram as estatísticas de tantas ameaças e atentados à vida havidos nos últimos anos contra esses Magistrados, integrantes dessa inegável atividade de risco.

O Presidente da Anamages, Magid Nauef Láuar encerrou  transmitindo apoio incondicional aos  Magistrados da comarca, os Juízes Marcus Vinícius Alves de Oliveira (diretor do Foro), Sabrina Rampazzo de Oliveira e Débora Letícia Dias Veríssimo para as providências que entenderem necessárias."

Magid Nauef Láuar
Presidente da Anamages

Revista Consultor Jurídico, 10 de agosto de 2016, 14h46

Comentários de leitores

3 comentários

Fórum de goiatuba

silveira (Consultor)

continuação:
a lei federal dos bombeiros civil , não determinou a quantidade de horas de treinamento , os corpos de bombeiros do Estado , os militares tem que instituir a carga horaria mínima , aqui em SP, as escolas de treinamento para bombeiros civil , tem que ser fiscalizada , pelo bombeiro militar, isto que que acontecer em todo o pais , brigadista , é um aprendiz de bombeiro , não chega a ser bombeiro.

Estou escrevendo de Santos e região, aqui o Sindicato dos Vigilantes de Santos e Região , tem a decisão do judiciário, pra representar os bombeiros civil profissional.
vale apena consultar.

Fórum de Goiatuba

silveira (Consultor)

Quem tem um , acaba não tendo nenhum.

No caso dos seguranças, se você coloca um segurança num ambiente deste e se acontece um desmaio ou qualquer outro coisa , você já esta sem segurança .
Pois idêntico a um dia que recebi um ligação de um empresário novo na área de vigilância, disse Silveira, a faculdade que presto serviço , foi assaltada no fim de semana, onde tinha 14 seguranças, eu disse já sei o que aconteceu! , perguntou
Ele .?
Como assim , ja te explico, em uma faculdade que a os fins de semana nao tem movimento, todos os segurança em geral ficam muito próximos , ai o criminosos passa e vê sempre aquela quantidade de vigilantes sempre no mesmo lugar é fácil abordar todos a colocar em um lugar seguro para fazer o roubo,, disse o empresário , foi isto mesmo que aconteceu.. digo sempre nunca deixe o grupo de seguranças no mesmo local, pois facilita a vida dos criminosos , em São tem alguns magazines que usam este expediente, deixam um só segurança dentro da loja fecha por fora , e deixa o segurança, com uma chave em pasta lacrada, se este trabalhador desmaiar ou sobre qualquer incidente , já era.

O mesmo acontece com este local onde foi o fogo destruiu quase 80 % de todo o fórum , primeiro a questão do segurança já explicado acima , depois não tinha bombeiro civil profissional , aqui no estado de São Paulo , os bombeiros civil , tem que ter um treinamento de 210 horas de treinamento e não aquelas escolas que forma bombeiro de 10 a 30 horas, a lei federal dos bombeiros civil , não determinou a quantidade de horas de treinamento , os corpos de bombeiros do Estado , os militares tem que instituir a carga h mínima , aqui em SP, as escolas de treinamento para bombeiros

Brasil, meu Brasil brasileiro...

J.Henrique (Funcionário público)

Se os processos estivessem digitalizados isso não aconteceria.
Vamos ver se a investigação chega a algum lugar.

Claro que não!!

Comentários encerrados em 18/08/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.