Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Carta Magna

Constituição dos EUA se torna bestseller graças a um muçulmano

Por 

Da noite para o dia, a Constituição dos Estados Unidos, em sua versão livro de bolso, se tornou um bestseller nacional. Passou a ser o segundo livro mais vendido da Amazon. As vendas também dispararam em todas as instituições que oferecem o livreto pela internet. A American Civil Liberties Union (ACLU) começou a distribuir cópias gratuitas da Constituição, tamanho o interesse repentino dos americanos por sua Carta Magna.

O autor da façanha foi o muçulmano Khizr Khan, pai de um “herói de guerra”, um capitão muçulmano-americano do exército que sacrificou sua vida no Iraque para salvar a vida de um grupo de soldados, segundo The Washington Post, The New York Times e The Guardian.

Khan fez um discurso na Convenção Nacional do Partido Democrata, na quinta-feira (28/7), em que criticou o candidato do Partido Republicano Donald Trump, que alavancou sua campanha com a promessa de barrar a entrada de muçulmanos no país — além de deportar 11 milhões de imigrantes e construir um muro na fronteira dos EUA com o México para impedir a entrada de criminosos e estupradores.

Em seu discurso (veja trecho no vídeo abaixo, em inglês), Khan perguntou a Trump se ele já havia lido a Constituição dos Estados Unidos, provocando um estrondoso aplauso da audiência. Ele tirou então um exemplar da Constituição do bolso do paletó e declarou: “Eu posso, com muita satisfação, emprestar a você o meu exemplar. Procure nesse documentos pelas palavras liberdade e proteção igual das leis”.

Ele perguntou então a Trump se ele já havia visitado o cemitério de Arlington, um cemitério militar em Virgínia. E sugeriu: “Olhe os túmulos de bravos patriotas que morreram defendendo os Estados Unidos. Você verá todos os tipos de faces, gêneros e origens étnicas”.

Trump, por meio do Twitter, tentou ironizar a situação, dizendo que a mulher de Khan não falou nada na convenção. “Talvez ela não foi autorizada a falar”, comentou, em possível referência a costumes muçulmanos. O comentário provocou reações iradas dentro do próprio partido de Trump, o Republicano, além de críticas vindas de todos os lados. A família de Khan foi condecorada como uma Gold Star Family — uma família intocável, que merece respeito.

O candidato republicano já havia tido problemas com a Constituição. Em uma conversa com parlamentares republicanos, em busca de apoio, ele disse que apoiava o artigo 12 da Constituição. A Constituição dos EUA tem apenas sete artigos, embora tenha 27 emendas. Ele também disse que não concederia cidadania americana a filhos de imigrantes ilegais, embora a Constituição estabeleça que todas as pessoas nascidas ou naturalizadas nos Estados Unidos são cidadãos americanos.

O gesto de Khan na convenção, brandindo um exemplar da Constituição e implicando a ignorância de Trump sobre o texto constitucional, provavelmente levou milhares de americanos a se dar conta de que eles também nunca leram a Constituição. E isso pode explicar o fato de um livro raramente vendido (mesmo a US$ 1,50) se tornar, de repente, um bestseller nacional.

Veja trecho do discurso de Khizr Khan, em inglês:

 é correspondente da revista Consultor Jurídico nos Estados Unidos.

Revista Consultor Jurídico, 2 de agosto de 2016, 10h10

Comentários de leitores

1 comentário

Constituição

Paulo A. M. Filomeno (Advogado Associado a Escritório - Civil)

Seria muito bom se alguns, se dessem ao trabalho de ler a CFRB. Talvez muitas injustiças deixassem de ser praticadas.

Comentários encerrados em 10/08/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.