Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Conquista da autonomia

Um ano após mudança na Constituição, Defensorias começam a propor leis

A Defensoria Pública do Rio de Janeiro inaugurou a prerrogativa de propor a criação de leis e enviou, nesta quarta-feira (25/11), seu primeiro projeto à Assembleia Legislativa do estado. A Defensoria Pública brasileira conquistou o direito de apresentar propostas legislativas no ano passado, com a aprovação da Emenda Constitucional 80.

O projeto de lei da Defensoria Pública fluminense trata de temas importantes e urgentes para a instituição sem repercussão orçamentária. Um deles prevê alterações na Lei Orgânica Estadual da Defensoria Pública (LC 06/77), como a adequação a novas normas constitucionais e legais que definem a missão, princípios e objetivos da Instituição.

O projeto propõe alteração das competências da Ouvidoria da instituição, para retirar poder de fiscalização de membros e servidores — papel da Corregedoria da Defensoria, equivocadamente atribuído à Ouvidoria por uma lei estadual de 2006. E trata também de lotação para defensores públicos substitutos e oferta de cursos de pós-graduação para os membros da Defensoria.

Antes de ser enviado à Alerj, o projeto de lei recebeu sugestões dos defensores em audiências públicas. “Esse dia é um marco sob diversos aspectos. Primeiro por consolidar a Defensoria como órgão autônomo. Segundo, por ser resultado de um processo absolutamente democrático, construído em conjunto com cada defensor”, afirmou o defensor público-geral do Rio de Janeiro, André Castro. Com informações da Assessoria de Imprensa da DP-RJ. 

Revista Consultor Jurídico, 26 de novembro de 2015, 17h45

Comentários de leitores

4 comentários

Quem persevera consegue.

carlinhos (Defensor Público Estadual)

Analucia, a eterna bacharel, externa, mais uma vez, sua insatisfação sem causa, sua ojeriza contra a defensoria pública e seus membros, que nada têm a ver com seus insucessos nos exames de ordem. O rancor infundado é a pior de todas as doenças.

para o hipossuficiente ? Então deixem ele escolher e control

analucia (Bacharel - Família)

para o hipossuficiente ? Então deixem ele escolher e controlar a Defensoria..... Ora, apenas usam os pobres como escudo do corporativismo.

Tratamento com dignidade para o hipossuficiente

Ariosvaldo Costa Homem (Defensor Público Federal)

analucia (Bacharel - Família) - O fortalecimento da Defensoria Pública se dá em favor dos "pobres" (hipossuficientes) para que eles não fiquem nas mãos de dativos subservientes aos juizes que lhes pagam, diga-se honorários aviltantes, segundo o grau de subserviência. DPF aposentado.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 04/12/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.