Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Marcado na pele

Advogado tatua símbolo de grupo que tenta eleger Sayeg presidente da OAB-SP

O grupo liderado pelo advogado Ricardo Sayeg, que pretende concorrer à presidência da Ordem dos Advogados do Brasil de São Paulo, ganhou uma manifestação de apoio inusitada: o advogado Ricardo Pinto tatuou o símbolo do chamado “capitalismo humanista”, tese criada pelo próprio Sayeg. A marca tem sido usada pelo grupo político do advogado, em materiais de propaganda do chamado "movimento te represento".

“Acompanho toda a trajetória de Sayeg, desde a construção do movimento e ideologia, e achei o momento oportuno para eternizar isso na pele”, diz Pinto, orgulhoso da estrela formada pelas letras gregas alfa e ômega marcada no ombro. A intenção é antiga, mas ele conta que faltava um profissional qualificado para executar o desenho.

Pinto começou a advogar como estagiário de Ricardo Sayeg e hoje é seu orientando no doutorado em Direito da PUC-SP. O tema não poderia ser outro: o “capitalismo humanista”. 

O pré-candidato à presidência da OAB-SP Ricardo Sayeg afirma ter ficado "muito sensibilizado com esta demonstração de engajamento". A cor vinho, diz ele, "lembra o sangue de Cristo, tendo em vista que, é a liga da comunhão entre os homens e que satisfaz a sede do espírito". Sayeg não tem tatuagem, mas diz que, se tivesse, seria igual à de Ricardo Pinto.

*Texto atualizado às 18h42 do dia 1o de maio de 2015.

Revista Consultor Jurídico, 1 de maio de 2015, 8h52

Comentários de leitores

8 comentários

lugar errado!

WLStorer (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Deveria ter tatuado em um lugar mais apropriado para o ato.

----

R.A.F. (Advogado Autônomo - Criminal)

Me estranha o fato de que os nobres comentaristas muito provavelmente gritam aos quatro cantos sua "humanidade" e "razoabilidade", e definem como "Lamentável" uma simples decisão que mais me parece uma homenagem a um amigo e professor, ou uma mera expressão ideológica que pouco tem a ver com estes desconhecidos comentaristas.

Mas há um longo caminho para sairmos do "mas..." ainda: "não sou preconceituoso, imagine! Defendo a liberdade de expressão! MAS... [insira aqui seu nojo de tatuagens ou outro tipo de preconceito]".

Envergonhado

Nivaldo Machado de Lima (Advogado Autônomo)

Estou envergonhado, que coisa triste.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 09/05/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.