Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Desempenho promissor

3ª Região é a que mais julgou processos federais no primeiro semestre

A Justiça Federal está perto de cumprir as metas de produtividade e rapidez previstas no Planejamento Estratégico para 2015. De acordo com o relatório de atividades do primeiro trimestre do Conselho da Justiça Federal, o desempenho alcançado pelas cinco regiões durante os meses janeiro, fevereiro e março foi considerado “promissor”.

O balanço mostra que 87,5% da meta de produtividade já foi cumprida nos três primeiros meses, o que representa, em números absolutos, um total de 557.692 processos julgados no país (primeira decisão tendente a por fim ao processo). A Justiça Federal da 3ª Região foi a que mais julgou no período, ao proferir decisões sobre 162.953 feitos.

Para o secretário de Desenvolvimento Institucional do CJF, Ivan Bonifacio, o resultado do primeiro trimestre foi bom, mas ainda há necessidade de um esforço adicional no julgamento de feitos, “de modo a não permitir o aumento do congestionamento (acúmulo) de processos pendentes de decisão”.

Outro desafio é reduzir o estoque de processos mais antigos e estabelecer a tramitação em tempo razoável. A meta é não permitir que algum processo fique sem decisão por mais de cinco anos no primeiro e segundo graus da Justiça Federal. Com informações da Assessoria de Imprensa do TRF-3.

Revista Consultor Jurídico, 15 de julho de 2015, 12h32

Comentários de leitores

2 comentários

Estranho!!!!!

Luís Eduardo (Advogado Autônomo)

Tem agravo de instrumento há 3 anos com relator do trf3 sem qualquer tramite, portanto, nem julgamento. Como é que está se quase cumprindo as metas de 2015. A informação do tribunal, ou a notícia, é mentirosa? Parem com isso, quem convive o dia a dia com os Tribunais de São Paulo e Brasília, conhece a verdade. Esta "notícia" é só para leigos.

Julgou??

HERMAN (Outros)

Vejamos, decisão virtual onde a turma "informa" que remeteu a decisão aos outros pares para análise e julgam em "bloco", sem leitura do relatório ou voto, apenas de dois ou três com sustentação oral é eventualmente debatido, e outros 250, repita-se, julgados em bloco é um engodo. Os votos são elaborados por técnicos judiciários da secretaria do desembargador, que chance, as vendo lendo e outras nem lendo. O Brasil é um País de faz de conta, e todos acreditam.

Comentários encerrados em 23/07/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.