Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Esperto demais

Advogado americano arma plano para não pagar IR, mas é descoberto

Por 

Um advogado do município de Wichita, no Kansas, elaborou um “plano infalível” para não pagar imposto de renda. Passou o escritório para o nome de um advogado amigo, que o demitiu. Mas continuou a trabalhar informalmente para o escritório, como único advogado, sem remuneração. Em vez de salário, o escritório cobria todas as suas despesas.

De acordo com notícia divulgada pelo Distrito de Kansas do Departamento de Justiça dos EUA, de 1998 a 2008, o escritório Law Offices of Eldon L. Boisseau pagou para o advogado Elson Boisseau aluguel, todas as suas contas (água, luz, telefone, televisão, internet, etc.), dois carros, seguros e todas as suas compras de mercado em outras lojas, “diretamente”.

Mas o generoso escritório não cobriu apenas as despesas de subsistência do advogado. Bancou também todas as suas despesas pessoais, que incluíram, por exemplo viagens a Londres, Equador e Peru. Pagou ainda centenas de dólares por equipamentos de mergulho livre (scuba diving), ingressos para o “Super Bowal” (a final do campeonato de futebol americano), em 2009.

Como todo “plano infalível”, o esquema do advogado foi desmontado, oportunamente, pelos agentes federais do “Internal Revenue Service” (IRS), a temível “receita federal” dos EUA.

O Departamento de Justiça moveu uma ação contra o advogado, na qual o IRS apresentou uma conta de US$ 1 milhão. Esse valor, segundo o IRS, se refere a imposto de renda sonegado e juros. E o advogado também teria tentado sonegar o pagamento de uma multa em um processo de indenização.

Na terça-feira (7/7), o juiz federal Eric Melgren decidiu que Boisseau é culpado por sonegação fiscal. A sentença será pronunciada em 28 de setembro. De acordo com o Departamento de Justiça, Boisseau, agora com 67 anos, poderá ser sentenciado a até cinco anos de prisão e ao pagamento de uma multa de até US$ 250 mil.

 é correspondente da revista Consultor Jurídico nos Estados Unidos.

Revista Consultor Jurídico, 11 de julho de 2015, 12h02

Comentários de leitores

2 comentários

Meus deus, como a justiça é injusta...nos EUA!

Chiquinho (Estudante de Direito)

Meu Deus! Como a Justiça é injusta nos EUA... prender advogado por sonegação indireta!? Por que lá a Lei não funciona como aqui onde os "Marins da vida fácil" zomba da justiça e ainda faz samba do enredo para comemorar na sapucaí?

Horrível

LeandroRoth (Oficial de Justiça)

Horríveis estes países em que a lei funciona e os infratores são punidos. Cruz credo!

Comentários encerrados em 19/07/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.