Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Prejuízo à população

Alegando agressão à Constituição, OAB pede fim da greve do Judiciário ao CNJ

A fim de encerrar a greve dos servidores do Poder Judiciário, que já dura mais de dois meses, o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil pediu providências e medidas ao Conselho Nacional de Justiça. A decisão foi tomada na sexta-feira (22/8), por unanimidade, pelo Colégio de Presidentes de Seccionais da Ordem dos Advogados do Brasil, com o argumento de que a paralisação agride a Constituição e prejudica a população e o exercício de defesa dos advogados.

Os presidentes de seccionais acreditam que é do Conselho Federal a competência para enfrentar o problema, de âmbito nacional. A Ordem ressaltou, em nota, a “precariedade em que se encontram os serviços judiciários nos estados e no Distrito Federal”.

Por aumento, servidores do Judiciário estão em greve desde o fim do primeiro semestre. A paralisação já atingiu 26 estados. Os funcionários federais cruzaram os braços para pedir a aprovação do Projeto de Lei da Câmara (PLC) 28/2015, que trata da recomposição salarial dos servidores. No entanto, a presidente Dilma Rousseff (PT) vetou integralmente o projeto de lei no dia 22 de julho, aumentando a insatisfação da classe.

O projeto pretendia reajustar a remuneração entre 53% e 78,56%, de forma escalonada até 2017, e sem mexer nos salários de magistrados. O sindicato da categoria defende que a medida é necessária para recompor a inflação acumulada de 2004 a 2015, de 49%. Com informações da Assessoria de Imprensa da OAB-DF.

Revista Consultor Jurídico, 24 de agosto de 2015, 14h20

Comentários de leitores

4 comentários

OAB, como sempre, inútil.

Derruba o Veto (Administrador)

Gostaria muito de saber o que a OAB tem a dizer sobre a não reposição inflacionária dos servidores do PJU por 9 anos. Isso sim é uma GRAVÍSSIMA AGRESSÃO À CONSTITUIÇÃO.
Me poupem!!! GREVEEEEEE!!!!!!
E torçam pro veto ser derrubado! Pq vai ser difícil servidor trabalhar motivado caso sejamos obrigados a "engolir" o PL do Trairóvski.

Tão morosa quanto a justiça

Advocacia Costa Alves (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Já não temos mais o que comentar neste caso, a OAB tem sido tão lenta e morosa quanto o poder judiciário, esta é a verdade, basta vermos as medidas adotadas pela OAB em fase da greve dos servidores públicos federais, Justiça do Trabalho de greve, justiça federal de greve, INSS de greve...

Advocacia Trabalhista e Previdenciária, pede socorro!!!!!

Já estamos a quase 90 dias de greve....

Enquanto isso a greve dos servidores públicos federais do TRT/SP continua reiteradamente limita-se a expedir Portarias suspendendo os prazos processuais.....

Como já esperado o Tribunal se limita a reiterar as portarias de suspensão dos prazos.....

Já estamos chegando ao terceiro mês de greve.... Justiça Federal, Justiça do Trabalho, INSS.... Cadê a OAB/SP ou o Conselho Nacional....
No caso da OAB/SP a prioridade é questionar redução da velocidade nas marginais, esta entendido as nossas prioridades enquanto classe indispensável a administração da Justiça....

greve no judiciario

Jose Cicero de Carvalho Brito (Praça do Exército)

vamos fazer greve para prestar um bom serviço, vamos, e as sentenças de dez anos na fila, sugestão: tira os comissionados nomeados sem concurso, afiliados dos magistrados, ai vai sobrar dinheiro para pagar a todo mundo, vcs servidores nao falam nada sobre essa pratica deploravel porque nao tem coragem pra isso, mas sabem prejudicar a sociedade com essa greve idiota, quer ficar rico, vai trabalhar, faz greve para chegar mais cedo no trabalho, valorizar o cidadao que paga seu salario, exonerar o seu chefe q deve ser comissionado... viva o Brasil...

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 01/09/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.