Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Mandato estendido

Senado marca sabatina de Rodrigo Janot para a próxima quarta-feira

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado planeja para a próxima quarta-feira (26/8) sabatina com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, indicado para continuar mais um biênio no cargo. Segundo o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), a votação em Plenário deve ocorrer no mesmo dia.

Procurador-geral da República precisa
ter nome aprovado no Senado para continuar no cargo por mais dois anos.

Janot foi o mais votado em votação conduzida pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR). A lista tríplice foi encaminha à presidente Dilma Rousseff (PT), que seguiu a tradição de escolher o preferido pela categoria.

A nomeação ainda precisa passar pelo Senado, onde é necessário votos favoráveis de ao menos 41 senadores, maioria absoluta da Casa. Porém, existe uma corrente de parlamentares que demonstra resistência a Janot.

O senador Fernando Collor (PTB-AL) diz que o chefe da PGR selecionou nomes de políticos que passaram a ser investigados em desdobramentos da operação “lava jato” — inclusive o próprio Collor. Também afirma que faltam informações relativas a duas fiscalizações em andamento no Tribunal de Contas da União (TCU) sobre contratos firmados pela PGR para locação de imóvel e serviços de comunicação.

Já o relator da indicação, Ricardo Ferraço (PMDB-ES), concluiu que a escolha do nome cumpriu todos os requisitos formais impostos pela Constituição e pelo Regimento Interno do Senado.

Rodrigo Janot comanda o Ministério Público da União desde 2013 e ingressou na instituição em 1984. Tornou-se procurador regional da República em maio de 1993 e foi promovido a subprocurador-geral em outubro de 2003. Presidiu a ANPR (de 1995 a 1997), foi membro do Conselho Superior do MPF e secretário-geral do MPF, de 2003 a 2005. Com informações da Agência Senado.

Revista Consultor Jurídico, 20 de agosto de 2015, 15h37

Comentários de leitores

3 comentários

Acordão

Francisco Lobo da Costa Ruiz - advocacia criminal (Advogado Autônomo - Criminal)

Segundo dizem, Janot comandou o tal de acordão. Em assim sendo, faz parte do grupelho e no senado estará em casa. E o que diz o Juiz Moro acerca desse conchavo ? Não acredito em mais ninguém !

Sabatina de Procurador no Senado

J.A.M.Costa (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

Caro Procurador, se ir ao Senado é subir desarmado o Morro do Alemão, conforme já afirmado nesta coluna por nobre advogado, sugiro ao senhor se armar de informes sobre indícios e provas já levantados contra cada um dos futuros réus daquela casa e que irão atacá-lo, com certeza. Seria, assim, uma forma de constrange-los à boa prática da ética e da educação.
Que Deus o acompanhe e a melhor sorte lhe sorria!

Cuidado procurador

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

O senhor estará frente a frente com os maiores bandidos do país, que integram a quadrilha dos sabatinadores no Senado. Não se aproxime muito de Collor pois esse, se drogado estiver, é capaz de lhe arrancar os olhos. Quanto a Renan, a expertise desse safado pode lhe custar a reconvenção ao cargo. Ir ao SENADO, é como subir desarmado o Morro do Alemão, no Rio. Só Deus para protegê-lo. Boa sorte !

Comentários encerrados em 28/08/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.