Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Mudanças na composição

Daldice de Almeida e Luiz Allemand
são nomeados conselheiros do CNJ

A nomeação da desembargadora Daldice Maria Santana de Almeida e do advogado Luiz Cláudio Allemand como novos conselheiros do Conselho Nacional de Justiça foi oficializada nesta sexta-feira (14/8), por meio de publicação no Diário Oficial da União. Ambos exercerão um mandato de dois anos.

Allemand tomará posse na terça-feira (18/8), durante a 213ª Sessão Ordinária do CNJ, e Daldice Maria Santana de Almeida na terça-feira seguinte (25/8), na 214ª sessão. A desembargadora assume a vaga do conselheiro Guilherme Calmon, que encerrou o mandato em 29 de abril, e o advogado ocupará a vaga da conselheira Gisela Gondin, que se despediu do conselho no último dia 5 de agosto.

Daldice Maria Santana de Almeida, desembargadora do TRF-3
JF-SP

Perfil
Daldice Maria Santana de Almeida é desembargadora do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (SP, MS). Ela já exerceu a função de coordenadora do Programa de Conciliação da 3ª Região de 2005 a 2009 e entre 2012 e 2014. Por esse trabalho, recebeu três vezes o prêmio Conciliar é Legal, concedido pelo CNJ, e coordenou a elaboração do Manual de Conciliação da Justiça Federal da 3ª Região, publicado em 2013.

Também foi professora de direito tributário em curso preparatório para cargos de juiz federal e do Ministério Público Federal (São Paulo, de 1994 a 2002); diretora da Subseção Judiciária de Santos (de 1998 a 2003); e gestora de qualidade total, responsável pela implantação das normas e pela certificação do Fórum Federal de Santos (ISO/9000) no período de 2001 a 2003.

Advogado Luiz Cláudio Allemand
OAB

Luiz Cláudio Allemand é presidente da Comissão Especial de Direito da Tecnologia da Informação do Conselho Federal e presidente da Comissão Especial de Transparência e Acesso à Informação. É autor de Direito Tributário: Questões Atuais, A Tributação do Mínimo Existencial e da obra Processo Judicial Eletrônico – PJe, que trata da nova configuração do Poder Judiciário com o advento da informatização do processo.

O advogado também publicou vários artigos em jornais e revistas especializadas e proferiu palestras em eventos científicos sobre a implantação do PJe no âmbito da Justiça do Trabalho, realizadas pelo Conselho Superior da Justiça do Trabalho. Com informações da Agência CNJ de Notícias.

Revista Consultor Jurídico, 14 de agosto de 2015, 21h00

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 22/08/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.