Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Experiência aprovada

TRT gaúcho decide oficializar home office de servidores

Dois anos depois de começar experiências com teletrabalho, o Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (RS) acaba de regulamentar a prática em caráter permanente. A corte entende que esse tipo alternativo de trabalho cumpre o princípio constitucional da eficiência, com benefícios aos servidores e ao público em geral.

A portaria 4.252/2015 do tribunal segue a Resolução 151 do Conselho Superior de Justiça do Trabalho, que incorporou a modalidade às práticas institucionais dos órgãos da Justiça do Trabalho de primeiro e segundo grau, de forma facultativa.

Hoje, 19 servidores do tribunal trabalham dentro de casa. A atuação será avaliada pela Comissão de Gestão do Teletrabalho, composta por quatro membros. Ricardo Braga Botelho, que integra o grupo e fez um estudo sobre o perfil dos atuais participantes, aponta que a maioria dos interessados é do sexo feminino (88%), com idade entre 45 a 59 anos (50%), casado (50%), com filho(s) (66%) e lotados na Área Judiciária de 2° grau (72%).

Os principais fatores que motivaram a adesão foram a flexibilidade de horário (61%) e a melhor qualidade de vida (16%), segundo Botelho.

O Conselho Nacional de Justiça mantém aberto até o dia 31 de agosto consulta para normatizar o home office pelo Judiciário do país.  O Judiciário paulista regulamentou a prática em maio. Os tribunais regionais federais da 2ª e da 4ª Região adotaram caminho semelhante em 2013. Com informações da Assessoria de Imprensa do TRT-4.

Revista Consultor Jurídico, 11 de agosto de 2015, 9h51

Comentários de leitores

5 comentários

Americanismo

Flávio Ramos (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

É impressionante mesmo... os 73 (acho) tribunais do Brasil podem regulamentar o teletrabalho, mas a Conjur só noticia a implementação do "home office". E esse nome nem faz sentido, afinal teletrabalho em inglês seria "homework".

O limite da hipocrisia

J. Ribeiro (Advogado Autônomo - Empresarial)

É importante dizer que estamos no Brasil. Meta em serviço público por aqui, no mínimo, é uma piada.
Temos os serviços públicos mais caros do mundo, ou melhor, os desserviços. Basta se dirigir a qualquer uma repartição pública neste país, quando, é claro, se chega lá (vivo), se verificará a inexistência de servidor a atender, ou quando é realizado pela internet, ai a coisa parecer mesmo com a cara deste país, não funciona ou quando funciona, funcional mal.

Excelente iniciativa

Willian Brasil (Auditor Fiscal)

A mudança de paradigma está em medir resultado e não horas. Ao tomar seu cafezinho em casa, o servidor deverá garantir a sua meta, que geralmente é maior de quem trabalha no escritório. O trabalho é algo que se faz e não aonde se vai.
Teletrabalho, uma justaposição de vocábulos grego (tele, distância) e um latino (tripalium, instrumento de tortura). O uso de um termo inglês ou zulu é irrelevante.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 19/08/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.