Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Política de Ordem

Corrida eleitoral da OAB já tem até denúncias de propaganda irregular

Por 

Em São Paulo, a corrida para ocupar a cadeira de presidente da seccional da Ordem dos Advogados do Brasil parece afastada da capital do estado, mas tem se feito presente no interior. Até jatinhos particulares têm sido usados para percorrer o estado, onde os seis pré-candidatos declarados buscam apoiadores e pessoas para falar em nome de suas campanhas. Até agora, os advogados do interior (maioria no estado) têm recebido visitas de cinco pré-candidatos de oposição: Anis Kfouri; Sergei Cobra Arbex; Ricardo Sayeg; Raimundo Hermes Barbosa; e João Biazzo Filho. Pela situação, concorre o atual presidente da OAB-SP, Marcos da Costa.


Caótica e infernal
O presidente da seccional baiana da OAB e candidato à reeleição, o advogado Luiz Viana Queiroz disse em entrevista ao portal A Tarde que a justiça baiana é caótica e que advogar nesse sistema é um inferno. Segundo ele, nem 15% dos 1,6 milhão de processos que tramitam no primeiro grau foram analisados. “Isso demonstra que há algo muito errado, faltam juízes, faltam serventuários e falta estrutura. A Justiça estadual não é digna da Bahia”, afirmou. Queiroz disse ainda que sugeriu soluções presidente do Tribunal de Justiça da Bahia, desembargador Eserval Rocha, mas ele não foi muito receptivo às ideias.


Esqueçam o passado
A pré-candidatura do advogado Cláudio Canuto à seccional da OAB em Alagoas recebeu o apoio de antigos adversários, informou o  Tribuna Hoje. A atual presidente Cláudia Lany e a ex-procuradora-geral do município, Maryny Alves afirmam que apoiarão Canuto. O acordo foi oficializado por meio de um texto publicado no Facebook. Em 2012, Canuto e Alves foram derrotados por Cláudia.


Eleições limpas
O advogado Pio da Silva, pré-candidato à presidência da seccional da OAB de Mato Grosso, lançou a campanha “Eleições Limpas em 2015”. Com a iniciativa, Silva busca conseguir que as contas eleitorais de todos os candidatos ao cargo estejam disponíveis na internet, que a boca de urna seja proibida, que seja instituída a desincompatibilização dos ocupantes de cargos diretivos que disputarão o pleito e que todas as chapas tenham um representante inscrito na comissão eleitoral. As informações são do site Olhar Jurídico.


Queimando a largada
Na eleição para a seccional de Goiânia, mesmo antes da oficialização das chapas que disputarão o pleito, já há acusações de propaganda antecipada. De um lado há críticas ao fato de o atual presidente Enil Henrique divulgar spots pagos em rádios, do outro, as críticas voltadas ao oposicionista Lúcio Flávio se referem ao site que seus amigos lançaram em seu nome na internet. As informações são do Diário da Manhã.


Sangue novo
O vice-presidente da seccional alagoana da OAB, Ednaldo Maiorano, afirmou em entrevista ao jornal Tribuna Hoje que a advogada Fernanda Marinela será a candidata da chapa da atual administração. Ele disse ainda que pretende permanecer como vice-presidente.


Lançamento de candidatura
O advogado Chico Lucas, integrante do movimento Comissão Independente de Advogados, lançará sua candidatura à presidência da seccional da OAB no Piauí nesta semana, segundo o portal Cidade Verde.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 11 de agosto de 2015, 15h26

Comentários de leitores

5 comentários

E começa mais uma vez a disputa

Advogado Santista 31 (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Sensação de clima de derbi as eleições para presidência das regionais e seccionais da OAB... e os advogados é quem pagam o pato com as anuidades altíssimas e uma atuação tímida das Prerrogativas perante as violações cotidianas. É rir para não chorar. Salvem-se quem puder.

Oab prega democracia e não faz lição de casa

Luiz eduardo de Moura (Advogado Sócio de Escritório - Criminal)

O provimento que regula as eleições da nossa entidade de classe, foi formulado com o único objetivo, de prejudicar o aparecimento de novas lideranças politicas e manterem em seus cargos, os seus atuais dirigentes. Para tanto, só permitem a realização de campanha eleitoral, após o registro da chapa de concorrerá a eleição, registro este que só poderá ser realizado 45 dias antes das eleições. No Estado de São Paulo, possuímos mais de 230 subseções em diversas cidades distantes da capital, em que o candidato a Secional, tem que percorrer para apresentar suas propostas, com o objetivo de angariar votos para vencer o pleito eleitoral. Se analisarmos, na realidade o candidato não possui sequer os 45 dias para realizar a sua campanha eleitoral, pois existem os finais de semana, feriados, que impossibilitam a oportunidade de encontrar os colegas. Assim, verificamos que o lapso temporal para a realização é exíguo, não permitindo a possibilidade de vitoria eleitoral de uma chapa de oposição.
Alem do prazo estipulado para campanha eleitoral, existem outras diversas restrições eleitorais, as quais de igual maneira, possuem o objetivo da aparição de opositores, enquanto isso os atuais dirigentes realizam campanhas eleitorais veladas, através do jornal do advogado, inauguração de casas dos advogados, entregas de bens materiais,etc, buscando apoio politico em razão da benevolência concedida.
Outro aspecto importante, consiste na forma eleitoral, em que os advogados e advogadas são obrigados a votar em uma chapa fechada e não votam na Presidência da OAB Federal.
Por tais razões, a mudança da legislação eleitoral das eleições da nossa entidade, necessita urgentemente de mudança, para que seja aplicada a verdadeira democracia nas eleições de nossa entidade.

Oab prega democracia e não faz lição de casa

Luiz eduardo de Moura (Advogado Sócio de Escritório - Criminal)

O provimento que regula as eleições da nossa entidade de classe, foi formulado com o único objetivo, de prejudicar o aparecimento de novas lideranças politicas e manterem em seus cargos, os seus atuais dirigentes. Para tanto, só permitem a realização de campanha eleitoral, após o registro da chapa de concorrerá a eleição, registro este que só poderá ser realizado 45 dias antes das eleições. No Estado de São Paulo, possuímos mais de 230 subseções em diversas cidades distantes da capital, em que o candidato a Secional, tem que percorrer para apresentar suas propostas, com o objetivo de angariar votos para vencer o pleito eleitoral. Se analisarmos, na realidade o candidato não possui sequer os 45 dias para realizar a sua campanha eleitoral, pois existem os finais de semana, feriados, que impossibilitam a oportunidade de encontrar os colegas. Assim, verificamos que o lapso temporal para a realização é exíguo, não permitindo a possibilidade de vitoria eleitoral de uma chapa de oposição.
Alem do prazo estipulado para campanha eleitoral, existem outras diversas restrições eleitorais, as quais de igual maneira, possuem o objetivo da aparição de opositores, enquanto isso os atuais dirigentes realizam campanhas eleitorais veladas, através do jornal do advogado, inauguração de casas dos advogados, entregas de bens materiais,etc, buscando apoio politico em razão da benevolência concedida.
Outro aspecto importante, consiste na forma eleitoral, em que os advogados e advogadas são obrigados a votar em uma chapa fechada e não votam na Presidência da OAB Federal.
Por tais razões, a mudança da legislação eleitoral das eleições da nossa entidade, necessita urgentemente de mudança, para que seja aplicada a verdadeira democracia nas eleições de nossa entidade.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 19/08/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.