Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Antiguidade e merecimento

TJ-RJ promove Mônica Mattos e Márcia Carvalho a desembargadoras

Desembargadoras Márcia Carvalho,
Leila Mariano (presidente do TJ-RJ)
e Mônica Mattos

O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro tem duas novas desembargadoras: as juízas Mônica Feldman de Mattos, da 12ª Vara de Família da capital, e Márcia Cunha Silva Araújo de Carvalho, da 2ª Vara Empresarial do Rio. Elas foram promovidas pelo Órgão Especial, em votação nesta segunda-feira (3/11). A posse ocorreu ao fim da sessão do colegiado. 

Mônica Mattos foi promovida pelo critério de antiguidade, na vaga do desembargador Edson Queiroz Scisinio Dias, que se aposentou. Márcia Carvalho, por sua vez, foi escolhida pelo critério de merecimento, para a vaga de Elizabeth Gomes Gregory, que ficou vazia também em razão da aposentadoria da desembargadora. Elas vão atuar, respectivamente, na 27ª e na 26ª Câmara do Consumo.

Mônica é natural do Rio de Janeiro e formou-se em Direito pela Uerj em 1988. No ano seguinte, foi aprovada em concurso para a Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, onde permaneceu até 1993, quando ingressou na magistratura. Ela atuou nas comarcas de São Gonçalo e Niterói e, em seguida, em diversas varas cíveis e de família, dentre outras na comarca da capital, como juíza regional. Em outubro de 1998, foi promovida, por merecimento, para a 12ª Vara de Família da capital fluminense, onde atuou por 16 anos.

Márcia formou-se em Ciências Econômicas pela Universidade Católica de Petrópolis, em maio de 1984, e em Direito em dezembro de 1988. É  pós-graduada e mestre em Direito pela Universidade Gama Filho, na área de Cidadania e Justiça. Foi advogada de 1989 a outubro de 1990, quando foi aprovada e classificada em 10º lugar no concurso para a Defensoria Pública. Também foi promotora de Justiça, aprovada em concurso público em 5º lugar. Ingressou na magistratura fluminense em setembro de 1992, após ser aprovada em concurso público em primeiro lugar. Com informações da assessoria de imprensa do TJ-RJ.

Revista Consultor Jurídico, 4 de novembro de 2014, 15h21

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 12/11/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.