Consultor Jurídico

Notícias

Não prioritários

Prefeitura de São Paulo pagará precatórios por meio de acordos

A prefeitura de São Paulo voltará a pagar precatórios aos credores não prioritários que aceitarem reduzir o valor a receber. A alteração nas regras de pagamento foi publicada pelo Decreto 54.789/2014 no Diário Oficial do Município. O município de São Paulo é responsável por 20% de todo o estoque de dívidas de precatórios do país, que soma R$ 94 bilhões para 180 mil precatórios, de acordo com dados do Conselho Nacional de Justiça.

O decreto estabelece um deságio de 50% sobre os valores dos títulos. Segundo o Presidente da Comissão de Precatórios da Ordem dos Advogados do Brasil de São Paulo, Marcelo Gatti Reis Lobo, como o percentual de desconto é muito alto, cada vez menos credores têm aderido a esta forma de recebimento. Ele diz que até houve sobra de recursos nos exercícios anteriores. 

Lobo estima que os recursos para pagamento via acordos devem atingir R$ 900 milhões em 2014, total que acumula valores de exercícios anteriores e os futuros depósitos.

Segundo o advogado, a prefeitura tinha decidido fazer os pagamentos por ordem crescente de valor há quatro meses, mas como ela e o Tribunal de Justiça de São Paulo não têm a relação precisa de credores e seus respectivos valores, não há como fazer o pagamento de precatórios em ordem crescente. “Por isso a opção de pagá-los por meio de acordos judiciais. Em 2013, cerca de R$ 350 milhões deixaram de ser repassados aos credores”, explicou. Com informações da Assessoria de Imprensa da OAB-SP.

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 3 de fevereiro de 2014, 20h22

Comentários de leitores

1 comentário

Ordem cronológica

lozano (Engenheiro)

Não existe uma ordem cronológica de pagamento e que já esta muito atrasada quanto ao seu pagamento?
A inicial do cabeça das ações dos precatório que mais se destacam hoje é começado pela letra "E" DE ESPÓLIO , ISTO NÃO CARACTERIZA UMA VERDADEIRA AFRONTA AO DIREITO HUMANO DO CIDADÃO HONESTO E DEMOCRÁTICO E FOI CALCADO NO ESTADO DE DIREITO E CONQUISTADO NA FORMA DA LEI.

Comentários encerrados em 11/02/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.