Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Conselho global

Lewandowski é novo presidente da Comissão de Veneza na América Latina

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski (foto), foi eleito na manhã deste sábado (13/12) como novo presidente da subcomissão para a América Latina da Comissão de Veneza — órgão europeu de caráter consultivo sobre matérias constitucionais. O mandato se estende até dezembro de 2015. O ministro tomou posse durante o segundo dia da 101ª sessão plenária da Comissão de Veneza.

Ao discursar no evento, Lewandowski ressaltou que o trabalho na subcomissão para a América Latina terá como foco o “incentivo para que novas cortes e tribunais da região possam acompanhar mais de perto os acontecimentos e feitos desta importante rede de cooperação”.

Os membros da Comissão também confirmaram que a Assessoria de Assuntos Internacionais do STF exercerá as funções do Secretariado Permanente da Subcomissão durante a presidência do ministro Lewandowski. A principal atividade da Subcomissão da América Latina será organizar o próximo encontro de alto nível do órgão em Santiago, Chile, em novembro de 2015. Em 2014, a Subcomissão reuniu-se em Ouro Preto, Minas Gerais.

Comissão de Veneza
A Comissão, criada em 1990, é o órgão do Conselho da Europa — organização criada em 1949 para defesa de direitos humanos e estabilidade política na Europa — com competência consultiva em matéria constitucional. É composta por especialistas independentes, nomeados para mandatos de quatro anos pelos estados-membros. As sessões plenárias são realizadas com o intuito de aprovar pareceres e estudos e para promover a troca de informações sobre desenvolvimentos constitucionais. Além de representantes dos países europeus, participam da Comissão membros oriundos de tribunais e cortes constitucionais de outros 20 países de outras regiões, a exemplo do Brasil, membro pleno da comissão.

A participação do STF na Comissão de Veneza pode possibilitar a difusão internacional da jurisprudência constitucional brasileira, por meio da publicação do Boletim de Jurisprudência Constitucional, que oferece aos leitores resumos das decisões mais importantes das cortes participantes, e, em especial, por meio da Codices, base de dados que contém milhares de decisões resumidas, textos completos das constituições e informações sobre o funcionamento de diversas cortes com competência constitucional ao redor do mundo. Com informações da assessoria de imprensa do STF.

Revista Consultor Jurídico, 13 de dezembro de 2014, 15h35

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 21/12/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.