Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Antiguidade e merecimento

Quatro juízes são promovidos a desembargador do TJ-SP

Os juízes paulistas Luíz Mauro Galbetti, Paulo Barcellos Gatti, Mauro Conti Machado e Carlos Alberto Garbi foram promovidos a desembargadores do Tribunal de Justiça de São Paulo. Eles ganharam as últimas quatro vagas abertas no TJ: Galbetti e Gatti nas duas vagas reservadas às promoções por antiguidade e Conti Machado e Garbi nas destinadas às promoções por merecimento.

As promoções foram assinadas no dia 14 de março. Mauro Conti Machado e Carlos Alberto Garbi já atuavam no tribunal como juízes substitutos em segundo grau. Garbi estava na 10ª Câmara de Direito Privado e trabalha no tribunal desde 2008. É professor de Direito Imobiliário da Escola Paulista de Magistratura (EPM) e de Direito Civil da Escola Paulista de Direito. Também é chefe do departamento de Direito Civil da FMU e professor convidado de Direito Processual Civil da Faap. Mantém o blog blogdogarbi.wordpress.com.

Mauro Conti Machado, com a promoção, deixa sua dupla função no TJ. Além de substituto na 19ª Câmara de Direito Privado, o agora desembargador também dava conta do acervo do desembargador Antonio José Silveira Paulilo — eleito presidente da Seção de Direito Privado — na 21ª Câmara Privada. Conti Machado é juiz na capital paulista desde 1990 e está no Tribunal de Justiça desde 2005, quando foi convocado a ser juiz auxiliar. Foi professor de Introdução ao Direito e de Direito Processual Civil da Unip. É autor do livro Lei dos Planos e Seguros de Saúde.

Luis Mario Galbetti era o primeiro da fila de antiguidade para promoção. Paulistano, é juiz desde 1987 e começou a carreira como substituto em São José do Rio Preto (SP). Desde então, trabalhou em Mogi das Cruzes, Eldorado Paulista e Guarujá, até ser removido para a capital, em 1989.

Paulo Barcellos Gatti também é paulistano e é juiz desde 1983. Começou como substituto em Ribeirão Preto. Já trabalhou em Santo André, Cardoso, Sumaré e São Caetano do Sul. Foi removido para a capital, como juiz auxiliar, em 1985. Com informações da Assessoria de Imprensa do TJ-SP.

Revista Consultor Jurídico, 27 de março de 2013, 10h44

Comentários de leitores

2 comentários

Galbetti

Gabriel Matheus (Advogado Autônomo - Consumidor)

Pelo menos agora, com a promoção do Juiz Luis Mário Galbetti, a 33a Vara Cível do Central não vai mais atrasar as pautas das audiências, já que o indigitado magistrado tinha por hábito chegar atrasado em pelo menos uma hora às audiências, em franco desrespeito às partes.

Puro merecimento

Gusto (Advogado Autônomo - Financeiro)

Parabenizo os nobres e cultos Juízes (com J maiúsculo) pela promoção, bem como ao Egrégio Tribunal Bandeirante pelo acerto. São Magistrados da mais alta estirpe, probos, corretos, justos, imparciais. Conheço a todos pelos meus 31 anos de militância ininterrupta e posso avalizar com tranquilidade e total isenção de ânimo seus predicados, não só como julgadores e operadores do Direito, mas como homens cônscios do papel que exercem em prol da Justiça. Fico feliz com essas promoções e mais esperançoso no fortalecimento do Poder Judiciário, notadamente o Paulista.

Comentários encerrados em 04/04/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.