Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Plenas condições

TRT suspende instalação do PJe no interior do RJ

O presidente do Comitê Gestor Regional do Processo Judicial eletrônico da Justiça Trabalhista (PJe-JT) no Rio de Janeiro, desembargador César Marques, suspendeu o cronograma de instalação do PJe no interior do estado. A medida é válida até que os problemas de ordem técnica e de infraestrutura de acesso à internet estejam solucionados. A decisão foi tomada em comum acordo com o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro, Felipe Santa Cruz, que comemora a deliberação: "Todos temos a exata percepção da dificuldade que é a migração para o processo eletrônico. O bom senso está prevalecendo".

Para Santa Cruz, apesar do esforço, os suportes oferecidos pelo TRT da 1ª Região ainda não oferecem plenas condições para que o PJe-JT seja a única forma de atuação na Justiça do Trabalho.

"Compreendo que o processo eletrônico é inevitável e que, com o tempo, trará mais agilidade à prestação jurisdicional. Mas a transição tem que ser pensada de uma forma cautelosa e segura. A medida do Comitê Gestor do PJe atende às reivindicações da seccional por uma transição gradual, que leve em consideração as dificuldades de adaptação de alguns advogados e os empecilhos técnicos detectados no sistema eletrônico trabalhista", afirma.

A decisão do desembargador César Marques se alinha às recentes afirmações do novo presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministro Carlos Alberto Reis de Paula, que, ao assumir o cargo, considerou estabelecer um novo cronograma para implantação do sistema.

O cronograma cancelado pelo Comitê Gestor do TRT, previa a implantação do PJe nas comarcas de Queimados, Barra Mansa, Resende, Volta Redonda, Barra do Piraí, Angra dos Reis, Macaé, Niterói, Magé, Cabo Frio, Araruama, Nilópolis, Teresópolis, São Gonçalo, Itaboraí, Itaperuna, Campos, Nova Friburgo e Petrópolis.

A suspensão da instalação nas serventias do interior não interrompe o funcionamento do processo eletrônico nos locais onde ele já havia sido implantado. Hoje, o sistema PJe-JT já é utilizado, além da capital fluminense, nos municípios de Três Rios, Itaguaí, Maricá, Duque de Caxias, Nova Iguaçu e São João de Meriti. Com informações da Assessoria de Imprensa da OAB-RJ. 

Revista Consultor Jurídico, 25 de março de 2013, 20h01

Comentários de leitores

2 comentários

PJe

Rocha advogado do ES (Advogado Assalariado - Empresarial)

Faltou humildade na implantação desse sistema (PJe) que no futuro será bem assimilado. Fizeram uma criança correr sem ensiná-la a andar. Poderiam simplesmente usar o sistema tipo "internet Banking" é simples, fácil e qualquer pessoa sabe manejá-la. O desejo de mostrar competência, cai no vazio da incompetência e deixa a classe dos advogados na esteira desse pandemônio de insensatez. Os prazos não esperam.
Roberto Ferreira da Rocha
Advogado Vitória ES.

Sistema sempre escangalhado.

Zé Machado (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Depois de viajar dezenas e até centenas de kilomêtros, advogado chega na secretaria da vara e houve: 'sistema tá fora do ar" Essa é a música mais tocada no TRT RJ.Quanta irresponsabilidade da direção do TRT RJ quando da instalação de um sistema inadequado, quando outros funcionam além do esperado, como o sistema do TJ RJ e da JF RJ. Haja paciência! E o pior é que por trás de tudo isso alguma negociata foi feita, sem dúvidas.

Comentários encerrados em 02/04/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.