Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Valorização do advogado

OAB defende no STJ honorários como bem essencial

“Os honorários dos advogados não podem ser aviltados. Devem ser considerados um bem alimentar, essencial para que o profissional da advocacia seja valorizado e possa, dessa forma, fazer com que o cidadão seja engrandecido”. A afirmação foi feita pelo presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Marcus Vinicius Furtado Coêlho, ao reunir-se nesta segunda-feira (4/3) com o presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro Felix Fischer.

No encontro, os presidentes da OAB e do STJ trataram de vários temas inerentes ao acesso e valorização da advocacia, abordando especialmente decisões que vêm sendo proferidas por juízes de todo o país que insistem em aviltar os valores arbitrados a título de honorários de sucumbência.

“Reforçamos a importância da jurisprudência do STJ que tende a discordar dos valores aviltantes e rever tais decisões. Para a OAB este é um tema absolutamente atual e pertinente para a sobrevivência dessa profissão, que é a verdadeira guardiã dos direitos do cidadão perante o Juduciário”, afirmou Marcus Vinicius. Também participaram da audiência os ministros do STJ Antonio Carlos Ferreira e Ricardo Villas Bôas Cueva. Com informações da Assessoria de Imprensa da OAB.

Revista Consultor Jurídico, 5 de março de 2013, 18h55

Comentários de leitores

2 comentários

Lei de darwing

Zé Machado (Advogado Autônomo - Trabalhista)

O poder judiciário considera o advogado um corpo estranho em seu meio, mesmo sendo ele a razão de sua existência, inclusive recolhimento de custas, sua alma. A justiça do trabalho desconhece o princípo da primazia da realidade e reprime o advogado, sujeitando-o à Lei de Darwing.Quem vendeu a advocacia e quem comprou a JT? O que é incrível é que a OAB sempre fica no plano do discurso para resolver o problema e vai empurrando o advogado para o proletariado.

Boa iniciativa, mas que não resolver sozinha

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

A iniciativa é boa, mas por si só não resolve o problema. O ministro Felix Fischer é conhecido pelo respeito que dispensa à advocacia, mas para que uma ação chegue até lá para que os honorários sejam arbitrados de forma equânime, afastando-se o conhecido e crescente ódio dos juízes contra os advogados, vai chão. A OAB precisa estar presente, principalmente, na primeira instância, e atuar EM TODOS OS CASOS nas quais se verifica o aviltamento da profissão, que não são poucos.

Comentários encerrados em 13/03/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.