Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Repercussão geral

STF diz a quem cabe julgar crime ambiental transnacional

O Supremo Tribunal Federal julgará o Recurso Extraordinário com Agravo 737.977, no qual se discute a competência da Justiça Federal para processar e julgar crimes ambientais transnacionais. O caso trata de exportação ilegal de animais silvestres, e a questão a ser discutida pelo STF versa sobre o limite da competência entre as Justiças Federal e estadual. A matéria teve repercussão geral reconhecida pelo Plenário Virtual da corte.

Ao se manifestar a favor da repercussão geral, o relator do ARE 737.977, ministro Luiz Fux, observou que o Brasil, como signatário de convenções e acordos internacionais, ratificou na Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio 92) sua adesão ao Princípio da Precaução. “Segundo este princípio fundamental de direito internacional ambiental, os povos devem estabelecer mecanismos de combate preventivos às ações que ameaçam a utilização sustentável dos ecossistemas, biodiversidade e florestas, fenômeno jurídico que a toda evidência implica aparente conflito entre as competências da Justiça estadual e federal”, afirmou. Por outro lado, ressaltou que há violações ao meio ambiente que não repercutem no cenário mundial e, portanto, não haveria interesse direto da União na demanda que justificasse a atuação da Justiça Federal.

Para o ministro Fux, o recurso merece ter a repercussão geral reconhecida porque o tema constitucional tratado é relevante do ponto de vista econômico. Ele também lembrou que, a cada operação clandestina de animais para o exterior, o país deixa de fiscalizar o destino e emprego de sua fauna nativa, além de não arrecadar tributos. Tem ainda repercussão social, pois os direitos fundamentais de terceira, quiçá quarta geração asseguram a todos um meio ambiente saudável e equilibrado”. A manifestação do relator foi seguida, por maioria, em votação no Plenário Virtual. Com informações da Assessoria de Imprensa do STF.

Revista Consultor Jurídico, 11 de maio de 2013, 10h49

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 19/05/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.