Consultor Jurídico

Notícias

Gravidade e repercussão

Gari é indenizado por ofensa de apresentador de TV

O gari que participou do programa jornalístico da TV Bandeirantes e foi ofendido pelo âncora do telejornal, Boris Casoy, vai receber indenização de R$ 21 mil por danos morais, conforme decisão da 15ª Vara Civil de São Paulo. O relator do recurso, desembargador Salles Rossi, afirma que o montante "mostra-se razoável, diante da gravidade do episódio e de sua repercussão".

Ele destacou em seu voto que é "inequívoco o dano causado" pelo constrangimento sofrido pelo autor da mensagem. "As falas do apresentador apelante tiveram grande repercussão na mídia em geral, seja no dia em que foram veiculadas, seja após", atestou o relator. "Ainda que se entenda que não houve preconceito, por parte do requerido, a impressão foi exatamente contrária."

Na época, o gari participou do programa de fim de ano do telejornal, desejando boas festas aos telespectadores. A veiculação em rede nacional foi seguida pelo comentário do jornalista Boris Casoy: "Que merda! Dois lixeiros desejando felicidades do alto de suas vassouras. Dois lixeiros. O mais baixo da escala de trabalho." O apresentador pensou que o microfone estivesse desligado quando fez o comentário.

De acordo com Salles Rossi, "a liberdade que se lhe outorga, através de preceitos constitucionais ou de lei ordinária, é tão grande como a responsabilidade que lhe impõe o dever de compreendê-la e aplicá-la. A verdade deve ser a preocupação máxima do lidador da imprensa. Ser jornalista não é só saber escrever; é antes, saber como escrever".

Da decisão da turma julgadora da 8ª Câmara de Direito Privado do TJ-SP, tomada de forma unânime, participaram também os desembargadores Pedro de Alcântara e Theodureto Camargo. Com informações da Assessoria de Imprensa do TJ-SP.

Clique aqui para ler a decisão.

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 8 de fevereiro de 2013, 21:21

Comentários de leitores

2 comentários

tempo demais , dinheiro de menos , como sempre

radiocunha (Outros)

Caro Eduardo, quase tudo que vc disse a respeito do Sr. Casoy é verdade. Porém, vc também se mostra tão preconceituoso quanto o jornalista que fez comentários jocosos e preconceituosos aos trabalhadores da limpeza urbana. Com todo o respeito que vc deva merecer, mas chamar Adolf Hitler de Lulla da baviera? O Senhor está comparando Lula à Adolf Hitler? Sua atitude demonstra um racismo e preconceito tão aguçado quanto o utilizado pelo jornalista Boris. Mesmo vivendo em um país dito democrático e com liberdade de pensamentos, me parece ser seu comentário impregnado de uma excessiva dose complexo de inferioridade. Talvez pelo fato de ser um dos que não se conformam que um retirante nordestino tenha chegado por duas vezes ao comando do maior país da América do Sul e que tirou milhões de brasileiros da pobreza extrema, que deu oportunidade para que negros e pobres, antes excluidos, agora tenham acesso à bens e serviços como educação e saúde. Como Boris Casoy e Rubens Ricupero, sua sapiência perdeu uma excelente chance ( e que chance) de ficar calado. Isto é uma vergonha !!!

tempo demais , dinheiro de menos , como sempre....

hammer eduardo (Consultor)

Mais um testemunho pratico de como a nossa dita justiça??????? precisa se modernizar e acima de tudo se agilizar. Este incidente lamentavel e imperdoavel aconteceu a mais de dois anos e apenas AGORA sai uma decisão que provavelmente "caberá recurso" como tudo que rola na justiça por aqui.
Se Hitler tivesse sido capturado e julgado por seus crimes no Brasil , provavelmente ja teria morrido a decadas porem seus Advogados ainda estariam usando variados recursos para manter o indigitado Lulla da baviera longe das grades.
O comentario de Boris Casoy foi uma gigantesca lambança que seria "discutivelmente engraçadinho" se tivesse ficado restrito aos proximos que se encontravam com Ele naquele estudio , alias atire a primeira pedra quem não tem seus momentos "politicamente incorretos" no dia a dia , apesar de que contesto veementemente a atual postura de envelopamento social chamada de politicamente correto .Tal lambança televisiva nos remete de encontro a outra ocorrida no Governo se não em engano do Itamar ( ou teria sido do FHC ? não sei , as vezes a memoria derrapa....) quando o "então" Ministro da Fazenda Rubens Ricupero "esquentava os tamborins" para uma entrevista ao vivo e soltou uma babaquice a respeito de "esconder as coisas ruins e divulgar apenas as boas" ou algo que o valha. Pois bem , o sinal do satelite estava aberto , o microfone ligado e trocentos milhões viram a lambança ao vivo e a cores o que resultou na demissão imediata do falastrão Ministro. Boris Casoy ja foi uma especie de Joelmir Betting "bombado" , hoje apagou-se e virou uma caricatura de si mesmo inclusive gozado na TV pelo pessoal do Panico com o quadro "Jornal do Boris", triste fim. Ca pra Nos , indenizaçãozinha mixuruca por sinal para o Gari.

Comentários encerrados em 16/02/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.