Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Novos desafios

Suzana Camargo advoga em favor de juiz no CNJ

Desembargadora que se aposentou do Tribunal Regional Federal da 3ª Região em julho último, Suzana de Camargo Gomes está atuando como advogada em Mato Grosso do Sul. Ex-corregedora do TRF-3, Suzana assumiu a defesa do desembargador Claudionor Miguel Abss Duarte, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, em sindicância instaurada pelo Conselho Nacional de Justiça. O relator é o ministro Francisco Falcão. A notícia é do blog do Fred.

Suzana Camargo chegou a figurar em lista tríplice para uma vaga no Superior Tribunal de Justiça, em 2011, com apoio do então presidente do STJ, ministro Ari Pargendler, seu cunhado. Mas a presidente Dilma Rousseff escolheu a juíza federal Assusete Magalhães, do TRF-1.

A então corregedora nacional de Justiça, ministra Eliana Calmon, determinara em 2011 uma ação fiscal para apurar eventuais “gastos ou investimentos incompatíveis com os rendimentos declarados” por cinco desembargadores do TJ-MS, entre os quais Claudionor Duarte.

Segundo reportagem da Folha de S.Paulo, o magistrado declarou em 2001 patrimônio de R$ 1,7 milhão, que chegou a R$ 3,6 milhões em 2006 e a R$ 15 milhões em 2007.

Duarte afirmou ao jornal que sua declaração de Imposto de Renda de 2008 registra R$ 13,2 milhões como dívidas e ônus reais. “Não houve aumento de patrimônio e sim redução [variação patrimonial negativa de R$ 1,847 milhão]“, alegou.

A defesa informa que juntou aos autos da sindicância declaração da Receita Federal concluindo pela regularidade das informações prestadas ao órgão pelo magistrado.

Sindicância 0002351-87.2011.2.00.0000

Revista Consultor Jurídico, 25 de outubro de 2012, 9h55

Comentários de leitores

1 comentário

Video confissão esquema Jornal Nacional

Eduardo Bottura (Engenheiro)

Trata-se de desdobramento da confissão (do próprio primeiro Secretário da Câmara dos Deputados de Mato Grosso do Sul e Deputado Estadual mais antigo do Estado) de esquema de distribuição de mensalão entre os Poderes feita, em gravação de agente infiltrado pela Polícia Federal.
http://www.youtube.com/watch?v=fZOAgm9V5Iw
Segundo a Ministra Eliana Calmon, o nobre Desembargador, advindo do quinto constitucional, não sabe explicar como ganhou apenas R$ 33 milhões nos últimos cinco anos.
Ora, uma pessoa que possui patrimônio de mais de cem milhões, ganha R$ 30.000,00 de juros por dia, sem precisar fazer nada.
Por que um advogado multimilionário, o ONASSIS do Judiciário, seria Desembargador para ganhar por mês, com horas desumanas de trabalho, o que ganha por dia de juros sem precisar sair de casa?

Comentários encerrados em 02/11/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.