Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Justiça nas eleições

Números indicam que mensalão não afetou PT

Por 

Os números das eleições municipais demonstram que o julgamento do processo do mensalão, a Ação Penal 470, pelo Supremo Tribunal Federal não teve influência na decisão do eleitor na hora de votar. Enquanto alguns de seus mais representativos líderes do passado são execrados por supostos malfeitos também do passado, o Partido dos Trabalhadores saiu da votação maior do que entrou.

Em número total de votos, o PT conquistou agora 4,3% mais sufrágios do que em 2008. Passou de 16,5 milhões para 17,2 milhões. Foi a maior votação acumulada do país e o PT foi  único dos grandes partidos que cresceu nesse quesito. O PMDB, que em 2008 teve 18,5 milhões de votos, agora ficou atrás do  PT, com 16,7 milhões, uma queda de quase 10%. O PSDB também diminuiu (4,3%) assim como o DEM, que desidratou 51% dos votos ganhos em 2008. O PSD, o partido do prefeito Kassab de São Paulo, estreou nestas eleições com surpreendentes 5,8 milhões de votos, o que o deixa em quarto lugar no ranking dos maiores partidos do país, atrás apenas de PT, PMDB e PSDB.

Em número de prefeitos eleitos, o PT também não tem do que reclamar. Passou de 550 em 2008 para 624 agora. O PMDB continua ainda em primeiro lugar no ranking com o mandato em  1.017 municípios, mas perdeu terreno em relação a 2008, quando elegeu 1.193 prefeitos. O  PSDB manteve o segundo lugar, com 688 eleitos, mas perdeu terreno também, em relação às eleições de quatro anos atrás. O PSD, do prefeito paulistano Kassb, herdou o quarto lugar do DEM, que lhe deu origem, e elegeu 491 prefeitos. Já o DEM perdeu cinco posições e ficou apenas em nono lugar, com 271 prefeitos eleitos.

Em número de habitantes que governará, o PMDB também tem a hegemonia. Com domínio sobre 18,55% dos municípios, ele governará 28 milhões de pessoas, o equivalente a 19,62% da população brasileira. O PT ocupa o segundo lugar nesse quesito, e exercerá o governo sobre 21,55 milhões de cidadãos (15% da população,  embora domine apenas 11,38% das prefeituras). Em terceiro lugar está o PSDB, que governará 19 milhões de pessoas (13,28% da população, embora tenha 12,55% da população). O quarto lugar é ocupado pelo PSB, que tem seu reduto principalmente nas grandes cidades. Ele já garantiu o mandato sobre 10,2 milhões de pessoas (7,13% da população e 7,94% das cidades). 

A distribuição da população pelos partidos está sujeita a grandes alterações, tendo em vista que 50 das 5.568 cidades só definirão seus prefeitos no segundo turno, no dia 28 de outubro. E são as maiores: juntas elas somam 31 milhões (22%) de eleitores.

A mesma ressalva deve ser feita a respeito do PIB que estará sob controle de cada partido. Por enquanto, O PMDB é o líder acumulando R$ 48 bilhões de riquezas das cidades que irá governar. O PT mantém o segundo lugar com R$ 34 bilhões e o PSDB o terceiro com R$ 31,5 bilhões. Com uma receita orçamentária de R$ 35 bilhões, São Paulo só decidirá no segundo turno se terá um governo do PSDB, com José Serra, ou do PT com Fernando Haddad. Poderá definir, então, qual dos dois partidos terá maior receita em suas mãos nos próximos quatro anos. 

O presidente do Supremo Tribunal Federal e ex-presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Carlos Ayres Brito, cumprimentou a ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha, presidente do TSE, por sua devoção e competência na condução do processo eleitoral deste ano. Ele destacou a prova de maturidade, o espírito democrático, a competência administrativa e o refinamento tecnológico apresentados na eleição de 2012.

O que cada partido conquistou em 2012
PartidoTotal de votos (em milhões)Prefeitos eleitosPopulação (%)Receita (bilhões de R$)
PT17,2562515,1434,86
PMDB16,681.01719,6148,00
PSDB13,9168813,2731,50
PSB8,5843510,3422,76
PDT6,243086,3815,29
PSD5,814917,1214,39
PP5,374645,9813,82
DEM4,532713,899,58
PTB4,042933,838,45
PR3,742713,636,33
PPS 1182,085,19

 é diretor de redação da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 8 de outubro de 2012, 10h35

Comentários de leitores

12 comentários

Não se enganem.

TrihO (Outros)

Discordo: o mensalão afetou sim o PT. Mas não afetou negativamente, como queria a oposição numa vã esperança por extrair dividendos desse episódio (mesmo sendo ela própria a "criadora" do esquema, digamos assim).
O julgamento do mensalão, arrisco dizer ao observar os números, afetou positivamente o PT. Nessas horas de miopia, quando não se consegue enxergar o óbvio, a gente recorre a clichês e tenta jogar a culpa em bodes expiatórios do tipo "alienação", "carnaval", "bolsa família" (sic), tudo para ignorar o elefante na sala.
Mas peço que raciocinem. Por que o povo deveria ter uma má impressão de um governo que está sendo "punido" pelos seus erros?
Qual é a sensação que o julgamento do mensalão está causando na maior parte da população, aquela que não é partidária, mas acima de tudo, pragmática? Ora: é a sensação da punição, da justiça sendo feita, dos "corruptos indo pra cadeia". São coisas positivas que se contrapõe a coisas negativas como impunidade, injustiça.
Erra quem subestima o povo. Ninguém melhor do que a sociedade pra saber como que é o circo da política brasileira, e essa mesma população sabe que é melhor um governo transparente onde a corrupção é punida do que o governo que engaveta denúncias onde tudo termina em pizza.
Além disso, as eleições municipais tendem a envolver muito mais os problemas de âmbito municipal, problemas específicos da cidade. Trânsito, saúde pública, enchentes, moradia, etc.

analucia (Bacharel - Família)

Observador.. (Economista)

Acho que algumas instituições e setores do governo almejam isto.Que os mais pobres se contentem com o mínimo, com as bolsas e enxerguem o governo como salvador, uma espécie de pai.Nada melhor para se controlar corações, mentes e estômagos.
Stalin, assassino comunista cruel, era chamado de paizinho; era "o pai dos povos".
Em sua maioria, o povo desconhece o mensalão por dormir tarde, acordar cedo e trabalhar muito.Tentando se livrar da violência, encarando ônibus lotado e sendo confrontado diariamente com a falta de infraestrutura e organização dos locais onde vivem.O resto passa a ter um efeito menor, em pessoas com tantos desafios diários.

De mal a pior

EZEQUIEL BERTOLAZO (Advogado Associado a Escritório)

Infelizmente a anestesia moral da massa que não tem instrução e se preocupa mais com o Corinthinas (ou Palmeiras, como cutucou o Lula)do que com o roubo dos R$ bilhões, roubo esse que afeta mais diretamente exatamente a essa população que não tem plano de saude, colégio particular, condominio fechado, condições de adquirir remedios, etc.,está se expandindo para as camadas de maior nivel cultural, mesmo descontando o fato que muitas pessoas dessa camada social (elite para os padrões do Brasil)é que estão com as bocas nas tetas sugando o leite da nação.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 16/10/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.