Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Causa desconhecida

Ex-procurador é encontrado morto em apartamento

O ex-procurador da Assembleia Legislativa de Mato Grosso advogado Eduardo Henrique Miguéis Jacob faleceu no final da tarde deste sábado no seu apartamento, no Rio de Janeiro. Ele estava prestes a completar 54 anos. As informações são do CenárioMT.

Familiares e amigos ainda não sabem o que causou a morte de Jacob, que foi juiz do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). De acordo com fontes próximas à Jacob, a causa da morte pode ter sido um infarto fulminante.

“A única coisa que dá para dizer é que foi um mal súbito muito forte”, declarou o amigo de infância de Jacob, o empresário Sérgio Vieira. “Ele estava dormindo, não sentiu nada, foi como se tivessem o desligado da tomada”, afirmou Vieira.

De acordo com o amigo, o enterro de Jacob será apenas na segunda-feira (12/11), para dar tempo de duas das filhas do advogado chegarem ao Brasil. Ambas estão nos Estados Unidos e só conseguirão chegar a Cuiabá no início da semana para a cerimônia de adeus.

Eduardo Jacob estava em seu segundo casamento e sua esposa morava no Rio de Janeiro. Ele, segundo amigos próximos, vivia entre as duas cidades. “Há muito tempo ele ficava uma temporada aqui [em Cuiabá] e outra lá [no Rio de Janeiro]”, afirmou Vieira.

Estado de saúde
A morte do advogado pegou os familiares e amigos de surpresa, apesar de o ex-procurador da Assembleia ter passado recentemente por um procedimento cardíaco. Há pouco tempo Jacob havia implantado sete stents.

A intervenção pela qual o advogado passou é para tratamento de desobstruções das artérias coronárias. A obstrução dificulta ou impede a passagem do sangue para o músculo do coração. “Ele vinha se recuperando, ninguém esperava que fosse desse jeito”, diz o amigo.

Para o amigo Sérgio Vieira, fica a lembrança de alguém sempre disposto a ajudar os que o cercavam.

“Um irmão fantástico, que tomava as dores de todo mundo ,um cara fantástico. Desde a infância era assim, nascemos praticamente juntos, ele tinha três filhos maravilhosos, estava feliz com o segundo casamento. Hoje de manhã um amigo nosso chegou a falar com ele”, conta. 

Revista Consultor Jurídico, 11 de novembro de 2012, 16h40

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 19/11/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.