Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Acesso à informação

STF vai divulgar remuneração de ministros e servidores

A remuneração paga a cada um dos ministros do Supremo Tribunal Federal será divulgada na internet. A abertura das contas se deu em decisão unânime dos próprios ministros, nesta quarta-feira (23/5), e inclui também a divulgação dos rendimentos de servidores, tanto inativos quanto ativos, e de pensionistas. A decisão atende ao comando da nova Lei de Acesso à Informação, que entrou em vigor no último dia 16.

O ministro Ayres Britto, presidente do Supremo, explicou que a folha de pagamento será divulgada integralmente, com os nomes dos servidores, os cargos que ocupam e a remuneração bruta mensal que recebem. “Como nosso empregador, o contribuinte tem o direito de saber quanto nos paga”, afirmou.

A divulgação da remuneração dos servidores públicos já havia sido discutida no curso de um Agravo Regimental na Suspensão de Segurança, apresentado por um sindicato e uma associação de servidores do município de São Paulo contra decisão do então presidente do STF, ministro Gilmar Mendes, que permitiu tal medida.

O agravo foi desprovido. O relator do caso, ministro Ayres Britto, afirmou que o argumento de preservação da intimidade financeira dos servidores cai por terra diante do previsto na primeira parte do inciso XXXIII do artigo 5º da Constituição. “Sua remuneração bruta, cargos e funções por eles titularizados, órgãos de sua formal lotação, tudo é constitutivo de informação de interesse coletivo ou geral. Expondo-se, portanto, à divulgação oficial”, afirmou.

A divulgação questionada naquele agravo foi feita com base na Lei municipal 14.720/2008 e no Decreto regulamentador 50.070/2008, que permitiu a publicação, no sítio eletrônico da Prefeitura, dos nomes completos dos servidores, com os respectivos cargos efetivos, cargos em comissão, remuneração bruta mensal, demais elementos de remuneração, remuneração total bruta do mês e seus destacados elementos, unidades de lotação, endereço completo e jornada de trabalho.

No STF, a questão teve a repercussão geral reconhecida por meio do Plenário Virtual do STF, em outubro de 2011. A decisão do Plenário quando for julgado um Recurso Extraordinário com Agravo, de relatoria do ministro Ayres Britto, terá de ser aplicada a todos os processos. O ARE foi interposto pelo Município de São Paulo contra decisão da Justiça estadual que determinou a exclusão das informações funcionais de uma servidora pública municipal no site “De Olho nas Contas”, da Prefeitura Municipal. Com informações da Assessoria de Comunicação do STF.

SS: 3902
ARE: 652777

Revista Consultor Jurídico, 23 de maio de 2012, 17h35

Comentários de leitores

2 comentários

Só não vale manipular os salários

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

Do jeito que anda a improbidade no Brasil, temo pela veracidade das informações a serem estampadas na Internet. Vamos esperar para ver, (ou não ver).

A verdade

Luiz Neto (Outros)

é que se deveria divulgar o salário líquido dos servidores há 8 anos sem reajuste já que grande parte está com seus contracheques com mais empréstimos consignados que um salário digno e desestimulados prestando concursos para outras áreas, diminuindo assim a qualidade dos serviços aos jurisdicionados. E divulgar, sim, além dos salários, as diárias e gastos com viagens para representar as egrégias cortes em palestras,encontros, seminários, bancas, congressos etc pelo país.

Comentários encerrados em 31/05/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.