Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Trechos inéditos

Vídeo mostra empresário como vítima de extorsão

A tentativa do ex-deputado Luiz Antonio de Medeiros extorquir o empresário condenado por contrabando Law Kin Chong ganha mais um capítulo, que gera suspeitas sobre o delegado da Polícia Federal responsável pelas investigações, o hoje deputado Protógenes Queiroz (PC do B-SP). Um vídeo divulgado recentemente na internet revela trechos inéditos de um encontro entre Medeiros e Chong em 2007, em que o ex-parlamentar negocia valores e datas de pagamento livremente com o empresário, em uma postura mais ativa do que foi publicado até então. 

Os trechos conhecidos à época mostravam apenas Chong “pechinchando” e pedindo para pagar em maior número de parcelas. O material foi gravado por uma equipe da Polícia Federal, que utilizou a primeira versão editada como prova de que o chinês havia tentado atrapalhar as investigações da CPI. As informações e o vídeo foram divulgados pelo blog do Fábio Pannunzio (http://www.pannunzio.com.br/archives/11561).

Para o jornalista, as cenas divulgadas mostram que o delegado da Polícia Federal que conduzia a investigação, o agora deputado Protógenes Queiroz (PC do B-SP), deixou de utilizar as provas que poderiam ter colocado Medeiros na cadeia. “Pelo que se pode depreender da cena, é o deputado quem pede dinheiro ao contrabandista, e não o contrário”, escreveu Pannunzio.

"Até hoje não está claro por que Protógenes Queiroz preferiu transformar uma vítima de extorsão em corruptor ativo sem molestar o verdadeiro criminoso — deputado que o extorquia", completa.

O vídeo divulgado agora foi produzido pelos advogados de Chong, dono de vários shoppings centers populares em São Paulo. Pesavam contra ele as acusações de descaminho e evasão de divisas — mas o empresário chinês afirma que apenas administra e aluga os imóveis. A tentativa de extorsão teria ocorrido em 2007, quando a Câmara dos Deputados havia instalado a CPI da Pirataria, que investigava Chong e era presidida por Medeiros. O empresário foi condenado a quatro anos de prisão, que já cumpriu.

“Quando o contrabandista caiu nas malhas da CPI, três assessores do deputado começaram a assediá-lo com ofertas pornográficas para que ele saísse impune do processo”. Segundo o blog, foram os assessores que provocaram a reunião gravada. 

Em 2005, o então deputado foi denunciado no Supremo Tribunal Federal por prevaricação e por manter em cárcere privado Law Kin Chong, numa sala da Câmara dos Deputados. O então procurador-geral da República Cláudio Fonteles acusou Medeiros de desrespeitar liminar do STF proibindo a filmagem e fotografia durante o depoimento de Chong na CPI da Pirataria. 

Em depoimento, o então deputado admitiu que tinha conhecimento das liminares. Mesmo assim permitiu o acesso dos jornalistas a Chong e à sessão da CPI, segundo testemunhas. De acordo com Fonteles, Medeiros se negou a cumprir uma decisão judicial conscientemente, o que configura o crime de prevaricação. 

Confira o vídeo:

Revista Consultor Jurídico, 21 de maio de 2012, 18h46

Comentários de leitores

6 comentários

Perguntar não ofende...

Richard Smith (Consultor)

O safado, pai do tal de "sindicalismo de resultados" (ô, e QUÊ resultados!) já foi para a latrina da história e ainda por cima, pela descarga das urnas.
.
Agora, a pergunta: e quanto ao sub-palhaço que foi reprovado no exame psicotécnico para admissão à Polícia Federal, quando será a sua vez?
.
Aliás, desde um certo sindicalista sem-dedo que combinava greves com as empresas que tinham estoques excessivos nos pátios e com seus dirigentes se congraçava, regados a White Horse 12 years old, passando por rogério magri ("minha cachorra também é gente!") e pelos verdadeiros facínoras da Força Sindical, atualmente "chapas-branca" desde criancinhas, que lástima o movimento sindical "nestepaiz", não?!

Deputado sacana

Gilson Raslan (Advogado Autônomo - Criminal)

Pelo conteúdo da conversa, não resta a menor dúvida do envolvimento deste deputado corrupto extorquindo o chinês.
Se realmente o delegado Protógenes tomou conhecimento do inteiro teor deste vídeo, ele merece ser processado.

Luiz Antonio de Oliveira

Luiz Antonio de Oliveira (Advogado Autônomo)

Embora não tenha sido eleito. este "nobre" ex-metalurgico, pelo que me consta, ainda está ocupando cargo no alto escalão do governo atual. Alguém sabe qual para podermos extirpá-lo de lá. E o Protógenes o que diz?
Luiz Antonio de Oliveira

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 29/05/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.