Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Falta de decoro

Advogado denuncia Joaquim Barbosa no Senado

Por 

Os adjetivos ridículo, brega, caipira, corporativo, desleal, tirano e pequeno, desferidos pelo ministro Joaquim Barbosa contra o ministro Cezar Peluso, ambos do Supremo Tribunal Federal, renderam uma denúncia por quebra do decoro da função e por crime de responsabilidade. A acusação, que pede a destituição do cargo do ministro, foi protocolada na tarde desta quinta-feira (3/5) no Senado Federal, a quem compete processar e julgar os ministros do STF.

O advogado Luiz Nogueira, autor da denúncia, elenca afirmações feitas por Joaquim Barbosa contra o colega Cezar Peluso em entrevista concedida ao jornal O Globo. De acordo com ele, as acusações “mancharam a dignidade e a imagem da Suprema Corte”.

Nogueira diz que “deploravelmente, no momento em que o STF mais cresce aos olhos da população, exigindo o cumprimento da lei por parte de todos os poderes públicos e de seus membros; quando sobressai como guardião da Constituição e assegurador dos direitos fundamentais do cidadão e, fazendo, por outro lado, prevalecer os princípios de legalidade, moralidade, impessoalidade, publicidade e eficiência na Administração Pública, é inadmissível que um de seus membros venha a público para enxovalhar a instituição e gerar a cizânia entre seus membros”.

Ainda segundo ele, “o descontrole verbal do ministro Joaquim Barbosa diminuiu a majestade do cargo de membro do STF, desnudou o próprio denunciado perante si mesmo, perante os seus e perante a população que espera de seus magistrados decência no agir e no falar e sobretudo consciência do próprio valor e de seus pares”.

Para o advogado, Barbosa infringiu dispositivos da Lei da Magistratura, que vedam ao juiz “manifestar, por qualquer meio de comunicação, opinião sobre processo pendente de julgamento, seu ou de outrem, ou juízo depreciativo sobre despachos, votos ou sentenças de órgãos judiciais”.

Nogueira atribui ao comportamento do ministro o crime de responsabilidade, previsto no artigo 39 da Lei 1.079, de 1950. Por isso, a denúncia pede que Barbosa responda a uma Ação Penal.

Motivo da denúncia
Em entrevista ao jornal O Globo, sob o título “Peluso manipulou resultados de julgamento”, Joaquim Barbosa respondeu a afirmações feitas à Consultor Jurídico pelo então presidente do Supremo. Cezar Peluso disse que o ministro Joaquim Barbosa é “inseguro” e que tem “temperamento difícil”. Na entrevista, o ex-presidente do STF reconhece as qualidades de Barbosa, mas lamenta sua postura: “A impressão que tenho é de que ele tem medo de ser qualificado como arrogante. Tem receio de ser qualificado como alguém que foi para o Supremo não pelos méritos, que ele tem, mas pela cor”.

Ao rebater, Barbosa disse que Peluso não deixou “nenhum legado positivo”, pois “as pessoas guardarão na lembrança a imagem de um presidente do STF conservador, imperial, tirânico, que não hesitava em violar as normas quando se tratava de impor à força a sua vontade”. Citou o exemplo da Lei da Ficha Limpa e chamou as discussões acerca do tema, apesar das divergências, de “inúteis”. “Lembre-se do impasse nos primeiros julgamentos da Ficha Limpa, que levou o tribunal a horas de discussões inúteis; [Peluso] não hesitou em votar duas vezes no mesmo caso, o que é absolutamente inconstitucional, ilegal, inaceitável”. O próprio Globo explica que o Regimento Interno do STF permite ao presidente da corte votar duas vezes no mesmo caso, no caso de empate. No caso da Ficha Limpa, o duplo voto de Peluso foi decisivo.

Na entrevista, Barbosa ainda afirma que Peluso “cometeu a barbaridade e a deslealdade de, numa curta viagem que fiz aos Estados Unidos para consulta médica, ‘invadir’ a minha seara (eu era o relator do caso), surrupiar-me o processo para poder ceder facilmente a pressões”.

Clique aqui para ler a denúncia.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 3 de maio de 2012, 17h54

Comentários de leitores

25 comentários

Cezar Peluso quer se candidatar?

Pek Cop (Outros)

Senhoras e senhores, o advogado não move uma palha se o seu cliente Dr. Cézar não quiser, logo quem quis aparecer foi o Dr. Cezar, acho que ele quer os holofotes para uma possível candidatura? E ao mesmo tempo desestabilizar o honrado e desafeto Dr. Joaquim!!! vamos esperar para ver?pek

Quem é este advogado...Alguem conheçe...

Walquiria Molina (Bacharel - Criminal)

Quem é este senhor que vem ocupar o senado federal com este tipo de coisa,,,ele deve estar fazendo isto a mando de alguem pois isto é só para apareçer e mais nada.Porque este senhor não vai para as penitênciárias e faz plantão la para tirar pessoas inocêntes que estão lá;;sabe porque porque isto não apareçe e ele simplesmente quer apareçer e mais nada.Seus minutos de fama ja passou vai trabalhar que é melhor que o senhor faz..Será que isto é para ajudar a oab em alguma coisa pois a mesma foi citada várias vezes como "tentanto apaziguar os ânimos"será que é o medo da oab que sabe que o ministro que por sinal é excelênte de uma competência que não tem para ninguem la dentro ser igual,que ao assumir a presidência que sabemos que irá fazer isto o mais brave possivel,irá acabar e sepultar de vez este exame de desordem...Será que este senhor advogado não foi mandado pelo oab e pelos interessados nesta votação do mensalão que vai mandar muita gente podre para a cadeia. E ele sabendo disto saiu atacando o ministro joaquim...Pode apostar senhor advogado que vamos lutar até a última linha contra este seu processo pois vamos movimentar muita gente contra este seu "zelo" pelo stf,,,,,quanto será que o senhor esta levando com isto.....Nos aguarde sim....E nos faça um favor visite os presídios que estão precisando de serviços jurídicos rápidos falouu...
Walquiria molina

O que será "permissividade na corrupção"!?

Jcandal (Advogado Autônomo - Civil)

Aproveitando o ensejo, reitero meus comentários quanto aos 'rancorosos de plantão'!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 11/05/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.