Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Antes de audiência

Advogado é assassinado em frente a fórum no Rio

O advogado Benedito do Carmo Mangia, de 60 anos, foi assassinado em frente ao Fórum da Barra da Tijuca, na Zona Oeste, na tarde desta quarta-feira (2/5). Mangia era proprietário e advogado dos colégios Alfa Recreio e Carmo Mangia, que ficam no Recreio dos Bandeirantes, também na Zona Oeste. Segundo o delegado titular da Divisão de Homicídios (DH), Rivaldo Barbosa, a vítima tem sete anotações criminais e entre elas consta uma acusação por estelionato. As informações são do site de O Globo.

Segundo a polícia, estão sendo adotadas três linhas de investigação para o crime. Em duas delas, a motivação seria passional. A terceira linha de investigação estaria ligada ao trabalho da vítima. O delegado vai pedir acesso às imagens de câmeras de segurança no percurso feito pela vítima antes do crime, entre o Colégio Alfa, no Recreio, e o Fórum da Barra. Na tarde desta quarta-feira, policiais da DH localizaram o carro que teria sido usado pelo autor do homicídio do advogado.

De acordo com pessoas que estavam no local do crime, Mangia entrava no prédio para uma audiência quando, por volta das 13h, foi alvejado por ocupantes de um carro ao descer a rampa que liga o fórum a um centro empresarial. Ainda segundo o delegado, a audiência para qual Mangia se encaminhava iria tratar de um processo relativo à quebra de um contrato de aquisição de um terreno em Campo Grande. A polícia investiga se o caso estaria ligado à motivação do crime.

Na tarde desta quarta-feira foram ouvidos quatro depoimentos relacionados ao caso, e uma quinta pessoa está sendo aguardada na delegacia para depor. Entre as pessoas a serem ouvidas, está um advogado que acompanhava Mangia. Esse advogado presenciou o crime, mas não teria visto o rosto do atirador. Parentes e funcionários do colégio também serão ouvidos pela polícia.

Revista Consultor Jurídico, 2 de maio de 2012, 20h57

Comentários de leitores

7 comentários

Sr ricardo - outros-

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

O que entende por "Absolvição em Julgamento", a portas fechadas,certamente o satisfaz e está perfeitamente adequado ao seu profundo conhecimento da Justiça Brasileira . Tudo bem, o importante é ter saúde.

Problema cultural

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

É sempre a mesma ladainha, nos termos do comentário do Jose Luiz pek (Outros). Toda vez que um advogado é assassinado se joga um pano em cima, e passa-se a alegar que ele estava "invorvido" (exatamente como grafado) com o crime. Não é necessário investigar nada, nem prender ninguém. A OAB pouco faz em relação à essa postura de autoridades e servidores públicos em geral, desonrando a memória do advogado assassinado por motivo ligado à profissão e colocando todos nós em situação de risco. Porém, quando se trata de um juiz ou promotor a reação é outra. Independentemente dos motivos, o crime sempre é um atentado à ordem jurídica e ao Estado de Direito.

sei!

Ricardo (Outros)

o franco-atirador foi julgado e absolvido pela Justiça.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 10/05/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.