Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Edital suspeito

Suspensa compra de pênis de borracha para universidade

A compra por meio de pregão, de 2.000 pênis de borracha, 1.500 seios de borracha, pano e silicone, além de 500 vulvas de silicone, foram suspensas pela Justiça de Piauí na segunda-feira (23/1). O material foi pedido em um edital de licitação pela Uespi (Universidade Estadual do Piauí). A decisão levou em conta denúncias de irregularidades no processo e do número de produtos a serem adquiridos. Os pênis seriam de quatro modelos e diferentes tamanhos, três tamanhos de seios, de acordo com reportagem do portal UOL.

De acordo com o edital, seriam ainda licitados 150 mil climatizadores, 50 mil portas, 500 malas de rodinhas e 500 sacolas especiais. Outro item que chama a atenção é compra de 50 mil armários em aço para armazenamento de notebooks — cada um com capacidade para guardar 40 computadores. Todas as compras foram suspensas.

O juiz da 2ª vara dos Feitos da Fazenda Pública de Teresina, Reinaldo Araujo Magalhães Dantas, acatou a denúncia do Ministério Público e determinou a imediata suspensão do pregão. O juiz ainda estipulou a multa diária entre R$ 500 e 50 mil, caso a ordem seja descumprida.

A suspensão se deu depois que um grupo de empresários pediu à Promotoria de Justiça da Vara dos Feitos da Fazenda de Teresina que fossem investigados supostos direcionamentos fraudulentos no processo de licitação para escolha da empresa vencedora do certame. Segundo os empresários, havia excessos de aquisição de material, além de exigências administrativas para que nenhuma empresa do Piauí se enquadrasse para entrar na disputa.

Uespi explica
Apesar da clareza dos números descritos no edital, a Facime (Faculdade de Ciências Médicas) da Uespi informou que houve um equívoco na interpretação relativo à quantidade de produtos solicitados para licitação. Segundo a Facime, a quantidade que traz o edital trata sobre a capacidade de fornecimento da empresa vencedora do certame.

Segundo o reitor da Uespi, Carlos Alberto Pereira, "os números citados dizem respeito à capacidade de entrega da empresa fornecedora". Pereira explicou ao portal UOL que o pregão é diferente do convencional, com a quantidade da capacidade máxima do fornecedor e ainda deverá ocorrer de acordo com a necessidade do contratante. "Jamais iríamos comprar essa quantidade máxima da empresa", disse.

A direção da faculdade afirmou ainda que solicitou apenas dois pênis de borracha, cinco mamas artificiais e cinco vulvas para serem usados em aulas para 20 estudantes da residência médica multiprofissional dos cursos de Educação Física, Enfermagem, Medicina e Nutrição.

Segundo a Facime, a residência multiprofissional é voltada para formar profissionais para atuarem em conjunto com equipes do PSF (Programa de Saúde da Família) para orientar a população sobre as DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis) e câncer de mama.

Revista Consultor Jurídico, 24 de janeiro de 2012, 19h53

Comentários de leitores

5 comentários

Empregos

Gilberto Strapazon - Escritor. Analista de Sistemas. (Consultor)

Marcos Alves Pintar, você apresentou uma excelente idéia. Isto vai criar muitos empregos! Ao invés de serem flanelinhas, a pessoa vai para a universidade, ajudar no ensino. E de quebra, ainda tem a oportunidade de aprender coisas novas e conseguir indicações para outras oportunidades de trabalho, onde nem precisem dar "duro". (risos).
Falando sério, as escolas de arte adotam históricamente, modelos vivos. Para estas situações não seria possível o mesmo? Claro que com treinamento e acompanhamento adequados, devido as "manipulações" necessárias ao entendimento e aprendizado.

O verdadeiro é mais barato

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

No Piauí, umas das regiões mais empobrecidade do mundo, não faltaria gente para "alugar" o bilal por R$0,50 para as supostas aulas na Faculdade. Poder-se-ia, inclusive, escolher amplamente cores, calibres e demais particularidades, nos termos da necessidade de uso no laboratório.

Independência para o Piauí já...

Mig77 (Publicitário)

Esse proeminente Estado, progressista, de cultura invejável, de tantas conquistas históricas para o povo brasileiro merece sua independência.Não adiem mais, povo do Piauí.Vá às ruas e não aceitem mais esse atrelamento compulsório ao resto do Brasil.Vcs não precisam do Brasil!!!
Quanto ao pênis de borracha, é um insulto ao homem piauiense que nunca precisou de subterfúgios e nem de tecnologia plástica para fazer os seus cumprimentos de alcova.Tampouco a mulher piauiense, não deverá aceitar substituição daquilo, conhecido nos 4 cantos do país, por outra artificial que não substituirá com competência o que ela tem de mais valioso.
Rebelem-se já!!!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 01/02/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.