Consultor Jurídico

Colunas

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

NOTICIÁRIO JURÍDICO

A Justiça e o Direito nos jornais deste sábado

O presidente do Tribunal de Justiça paulista, Ivan Sartori, afirmou ontem que pode ter sido vingança o motivo do atentado a bomba contra a juíza Cyntia Andraus Carreta, de Rio Claro (173 km de SP). A Polícia Civil confirma. Suspeita-se que o responsável seja parte envolvida em ação que decidiu sobre a guarda de uma criança julgada pela magistrada, a quem o artefato estava endereçado. A notícia foi publicada nos jornais Folha de S.Paulo, no Estado de S.Paulo e em O Globo.


Acompanhamento profissional
A presidência do Tribunal de Justiça de São Paulo requisitou escolta policial para a juíza Cynthia Andraus Carreta, a quem estava endereçado o embrulho com a bomba que explodiu nesta quinta-feira (12/1) no Fórum de Rio Claro, ferindo dois funcionários. O pedido também envolve outras duas juízas do Fórum, que se reuniram com o presidente do TJ-SP, Ivan Sartori, para relatar os casos de insegurança. A informação foi publicada nos jornais Estado de S. Paulo, Correio Braziliense e Folha de S.Paulo. Leia mais aqui na ConJur.


Reclamações telefônicas
A Lei do SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor), implantada em dezembro de 2008, ainda não trouxe o benefício esperado pelo consumidor que depende dos call centers na hora de fazer valer seus direitos pela qualidade de produtos e serviços. Entre agosto de 2009 e novembro de 2011, o DPDC (Departamento de Defesa do Consumidor), órgão ligado ao Ministério da Justiça, recebeu em sua página na internet 18 mil reclamações que indicam o não cumprimento da norma nos atendimentos telefônicos prestados por empresas de diversos segmentos. A notícia foi publicada na Folha de S.Paulo.


Ranking disputado
Bancos e operadoras de telecomunicações foram os campeões nacionais de reclamações de consumidores nos Procons em 2011, informam os jornais Folha de S.Paulo, Estado de S. Paulo, Correio Braziliense e O Globo. Segundo boletim divulgado ontem pelo DPDC (Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor), do Ministério da Justiça, os problemas mais recorrentes enfrentados pelos consumidores no Brasil são relacionados a cartões de crédito (9,21%), telefonia móvel (7,99%), serviços bancários (7,26%), telefonia fixa (5,56%) e celulares (5,44%).


Correção monetária
O presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, Ivan Sartori, propôs uma "compensação" para corrigir os pagamentos privilegiados que cinco desembargadores da corte receberam. A proposta feita por ele foi aprovada pelo Conselho Superior da Magistratura e será avaliada pelo Órgão Especial do TJ. Pela medida proposta, os desembargadores deixarão de receber novas parcelas de atrasados — como férias e licença-prêmio — até igualar o antecipado. Os nomes dos magistrados investigados não foram divulgados. Apuração do Tribunal de Justiça aponta o ex-presidente da corte Roberto Bellocchi como um dos mais favorecidos. Ele teria liberado pagamento de cerca de R$ 1,5 milhão para si próprio. Como os magistrados paulistas recebem mensalmente algo próximo de R$ 5.000 em atrasados, a compensação demoraria 300 meses — 25 anos — no caso de Bellocchi, noticiou o jornal Folha de S.Paulo


Alta quantia
O Tribunal de Justiça de São Paulo identificou, segundo o jornal Estado de S. Paulo um magistrado que recebeu R$ 400 mil, cujo nome não foi divulgado pelo tribunal. Este é o quinto caso identificado no TJ-SP desde que o tribunal ficou acuado com denúncias do Conselho Nacional de Justiça. O presidente do tribunal, Ivan Sartori, afirma que não houve lesão ao erário, uma vez que os créditos pagos são devidos aos juízes. O problema, segundo Sartori, é o favorecimento de alguns juízes em detrimento de outros.


Prestação de contas
O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Rio, Wadih Damous, afirmou que o Judiciário não pode tolerar condutas suspeitas dos juízes e funcionários. A afirmação foi feita após a informação de que magistrados e servidores movimentaram, entre 2000 e 2010, R$ 856 milhões em operações consideradas "atípicas" pelo Coaf, órgão da Fazenda, conforme publicado nos jornais O Globo e Folha de S.Paulo. Leia mais aqui na ConJur.


Governo paralelo
A Polícia Militar prendeu o ex-senador Gilvam Borges (PMDB) na última quinta-feira (12/1) por construir um acesso rodoviário em Macapá (AP) sem licença ambiental. Borges é acusado de fazer um governo paralelo no estado. Seu advogado disse que entre as próximas iniciativas está um sistema de climatização numa maternidade estadual. Questionado se a intervenção é legal, disse já esperar "algum conflito com o governo". A informação é do jornal Folha de S.Paulo.


Sem desastre
O Ministério Público recuou e disse, ontem, que não é possível afirmar, nesse momento, que a ação da polícia na cracolândia seja "desastrosa". Na última terça-feira, os promotores de Habitação, Direitos Humanos e da Infância e Juventude convocaram uma entrevista coletiva para anunciar a abertura de um inquérito que investiga a operação e para criticar a ação. "A avaliação que nós tínhamos foi feita com base no que a imprensa publicou. Antes não tínhamos informações dos órgãos envolvidos na ação, agora temos. Por isso não dá para dizer se a ação foi desastrosa ou não", disse o promotor Eduardo Valério, segundo noticiou o jornal Folha de S.Paulo.


Vai e volta
Pela segunda vez em menos de um mês o ex-comandante do 7º Batalhão da Polícia Militar (São Gonçalo – RJ) Djalma Beltrami ganhou o direito à liberdade. Na noite desta sexta-feira (13/1) o desembargador Antonio Carlos dos Santos Bitencourt concedeu Habeas Corpus ao acusado de participar de um esquema de propinas do tráfico. Em reportagem publicada no jornal O Globo, o desembargador afirma que as provas apresentadas "continuam no perigoso terreno da suspeita".


TV pirata
A presidente Dilma Rousseff deverá assinar na segunda-feira o decreto que deixará mais rígidas as regras para concessões de rádio e televisão no país, noticiou o jornal Folha de S.Paulo. Pelas novas regras, os interessados em adquirir novas licenças terão de comprovar capacidade financeira para bancar a montagem das emissoras de rádio ou TV.


Fiança negada
O brasileiro preso nos EUA sob suspeita de estuprar uma garota de 15 anos em um navio terá que responder ao processo na prisão, informou o jornal Folha de S.Paulo. A Justiça da Flórida negou ontem que ele fosse liberado após pagar fiança. O juiz disse que seria muito fácil para o brasileiro fugir do país. A jovem relatou ter sido forçada a manter relações sexuais com Luiz Antonio Scavone Neto, 20, e outro brasileiro de 15 anos. A defesa diz que a relação sexual foi consensual.


Culto proibido
A Igreja Mundial do Poder de Deus descumpriu decisão judicial e manteve o culto programado para começar às 23h de ontem no megatemplo de Guarulhos (Grande SP). A decisão que proibiu a "Vigília do Reencontro com Deus" saiu na tarde de ontem. O juiz Rafael Tocantins Maltez, da 2ª Vara da Fazenda Pública de Guarulhos, sustentou que a medida pretendia evitar o "caos". Ele estabeleceu multa de R$ 100 mil em caso de descumprimento. A informação é dos jornais Folha de S.Paulo e O Estado de S. Paulo.


Linha de impedimento
Integrantes do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) temem que a barreira imposta pelas liminares do Supremo Tribunal Federal para a continuidade das investigações nos tribunais impeça a comprovação de indícios de venda de sentenças e enriquecimento ilícito de magistrados e servidores. A proibição do acesso do CNJ a dados financeiros como as folhas de pagamentos dos tribunais torna sem efeito o relatório do Conselho de Controle de Atividades Fiscais (Coaf), conforme publicado pelo jornal Estado de S. Paulo.


Medo de represália
Nos órgão encarregados de identificar e investigar crimes financeiros, como Conselho de Controle de Atividades Financeiras e Polícia Federal, é crescente a preocupação de que juízes de primeira instância passem a ser mais exigentes para autorizar quebras de sigilo em investigações. Essa seria uma reação corporativa, segundo a coluna Panorama Político, do jornal O Globo.


Quebra confirmada
Para a Associação de Magistrados do Brasil (AMB), o relatório no qual o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) mostra operações financeiras atípicas de membros do Judiciário enviado ao Conselho Nacional de Justiça confirma que houve quebra de sigilo por informar movimentações atípicas de magistrados e familiares. A notícia foi publicada no jornal O Globo.


Mais advogados
A taxa de aprovação no Exame Unificado de Ordem dos Advogados do Brasil quase dobrou, segundo lista divulgada pela Ordem dos Advogados do Brasil divulgou nesta sexta-feira (13/1). Neste certame, 24,05% dos candidatos (26.010 pessoas), foram aprovadas, noticiou o jornal Correio Braziliense. O índice é bastante superior aos 11,73% de aprovados entre os que fizeram a prova em dezembro de 2010.


Briga no campo
Moradores da área conhecida como Pinheirinho, em São José dos Campos, no Vale do Paraíba, se preparam para entrar em confronto com a polícia a qualquer momento. A reintegração de posse do local foi determinada pela Justiça, informam os jornais Estado de S. Paulo, Correio Braziliense e Folha de S.Paulo. O local é ocupado ilegalmente desde fevereiro de 2004 por uma comunidade ligada ao Movimento dos Trabalhadores Sem Teto.


Supersalários
Uma avaliação do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TC-DF) permitiu que servidores do Governo do Distrito Federal recebessem supersalários de até R$ 70 mil. O promotor Antônio Suxberger, assessor de controle de constitucionalidade do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios que acompanhou o andamento de investigação que identificou os pagamentos, afirma que a posição do TC-DF causou estranhamento por ir contra decisões do Supremo Tribunal Federal e do Superior Tribunal de Justiça. A informação é do jornal Correio Braziliense.


Violência no estádio
A Justiça condenou a dois anos e dois meses de prisão o Policial Militar do Distrito Federal José Luiz Carvalho Barreto. Ele matou um torcedor do São Paulo em dezembro de 2008, em abordagem antes de jogo do Campeonato Brasileiro. Ele cumprirá pena por homicídio culposo de um homem e por lesão corporal culposa a um adolescente, noticiou o jornal Correio Braziliense.


Telefone ao volante
Duas decisões judiciais aplicaram punições severas a motoristas flagrados falando no celular enquanto dirigiam. Além da multa de R$ 127,69 e da perda de quatro pontos na carteira de motorista, um homem foi condenado a pagar R$ 4 mil após ter causado acidente que tirou a visão do olho esquerdo de uma vítima no Distrito Federal. Outra decisão, em Santa Catarina, eximiu uma empresa de pagar verbas rescisórias a um funcionário demitido por falar no telefone enquanto dirigia. A notícia foi publicada no jornal Correio Braziliense.


Roubos artísticos
O roubo de obras de arte preocupa autoridades brasileiras. Na rota de Copa do Mundo e Jogos Olímpicos, país pode se tornar alvo de criminosos especializados. Falta de conhecimento sobre funcionamento das quadrilhas é uma das preocupações. No Brasil, um banqueiro está sendo processado pelo Ministério Público de Minas Gerais por ter comprado uma estátua roubada. As informações foram publicadas no jornal O Globo.


Sem fumaça
Lei distrital que entra em vigor no Distrito Federal a partir do dia 28 de março proíbe o fumo em carros particulares que estejam transportando crianças, adolescentes e grávidas. A multa estabelecida para quem descumprir a lei é de R$ 500, afirma notícia publicada no jornal Correio Braziliense.


Guia prático
Autor de "The Dictator's Handbook" ("O Manual do Ditador", em tradução livre), Bruce Bueno de Mesquita diz que o interesse pessoal, e não o bem comum, é o que move um governante, em entrevista publicada pela revista Veja. Segundo o livro, quem deseja entender - ou mesmo prever - as ações de um dirigente em qualquer tipo de organização, inclusive as empresas, deve ter em mente que o papel das ideologias é muito menos relevante do que se costuma pensar - é o tamanho do eleitorado que permite a um líder chegar ao poder, e o tamanho da coalizão que lhe permite exercê-lo.


OPINIÃO
Direito à privacidade
O professor de direito constitucional da FGV Direito-Rio Joaquim Falcão faz uma análise na Folha de S.Paulo dizendo que a perda de privacidade é um preço que se paga por ter carreira pública. Segundo ele, o Supremo já decidiu que, quando uma pessoa decide ser servidor público, juiz, seu direito à privacidade é menor.

 Função constitucional
Coluna de Walter Ceneviva na Folha de S.Paulo analisa as funções do Conselho Nacional de Justiça segundo a Constituição Federal. Segundo o articulista, o CNJ deve "zelar pela autonomia do Poder Judiciário e pelo cumprimento do Estatuto da Magistratura". Pode expedir atos regulamentares. Deve recomendar providências, de ofício e de sua iniciativa, para cumprir seus fins. Atento aos termos do art. 37 da Constituição, aprecia "a legalidade dos atos administrativos praticados por membros ou órgãos do Poder Judiciário", por ação direta ou dando prazo para "providências necessárias ao exato cumprimento da lei", sob princípios fundamentais do "caput" do mesmo art. 37.

Corte da América
Uma comissão da OAB-SP deve ir ao Uruguai em fevereiro para protocolar a proposta de criação do Tribunal Penal do Mercosul. Segundo a colunista Mônica Bergamo no jornal Folha de S.Paulo, o órgão poderia julgar crimes como tráfico internacional e receptação nos países do bloco. 

Tradição de caixa-preta
A cientista política Maria Tereza Sadek publica artigo no jornal Estado de S. Paulo afirmando que características específicas da magistratura contribuem para que o Judiciário seja visto como uma caixa preta. Entre as características listadas estão vitalicidade, irredutibilidade de vencimentos, inamovibilidade e a tradição assentada na discrição, em uma cultura formalista e em um linguajar hermético.

Sindicato sem fiscal
O professor de recursos humanos e relações trabalhistas da FGV-SP Sérgio Amad Costa, em artigo publicado no jornal Estado de S. Paulo afirma que o imposto sindical, apesar de malfadado, continua vivo e deverá permanecer assim por muito tempo. Ele critica a falta de exigência legal para prestação de contas dos sindicatos, federações, confederações e centrais sindicais que recebem as quantias (que ultrapassam R$ 1,7 bilhão) levantadas pelo pagamento obrigatório.

Revista Consultor Jurídico, 14 de janeiro de 2012, 14h01

Comentários de leitores

2 comentários

CAIXA PRETA

MARCUS Advogado (Advogado Autônomo - Civil)

Nenhum sistema é perfeito, mas o nosso vem sofrendo as vicissitudes pelo famoso jeito de se manejar a lei. A entrevista de Eliana Calmon no Roda Viva (14/11/2011), é esclarecedora num País "democrático" não há mais margem para certas garantias de monarcas. Tá na hora do País fazer algo para melhorar nossos Tribunais, as condições de trabalho de nossos magistrados, servidores e reafirmar o compromisso da característica de prestação de serviços do judiciário cobrando-se prazos, jornada de trabalho etc.

Vendas de sentenças

Ferracini Pereira (Advogado Autárquico)

(...) "indícios de venda de sentenças e enriquecimento ilícito de magistrados e servidores" (...)
É isto que me apavora mais...

Comentários encerrados em 22/01/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.