Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Processo seletivo

Defensoria Pública de SP abre 136 vagas de estágio

A Defensoria Pública de São Paulo oferece 136 vagas de estágio nas unidades da capital (regionais Central, Sul, Leste, Criminal e Infância e Juventude), Mogi das Cruzes, Itaquaquecetuba, São José dos Campos e Registro. As inscrições vão até 25 de março e devem ser feitas, gratuitamente, na unidade na qual o estudante de Direito pretende estagiar. Dez por cento das vagas são reservadas para pessoas com deficiência física.

O estágio tem carga horária de 20 horas semanais e a bolsa mensal é de R$ 671,61. Para participar do processo, o estudante precisa preencher uma ficha de inscrição no próprio portal da Defensoria Pública. Somente depois dessa etapa, o material deverá ser entregue, pessoalmente ou por procuração, entre 10h e 17h. A regional criminal do órgão atende em horário diferenciado, das 13h às 17h. Os endereços podem ser encontrados no edital do concurso.

Por meio de questões de múltipla escolha, a prova avalia os conhecimentos dos candidatos nas áreas de Direito Constitucional, Direito Civil, Direito Penal, Direito Processual Civil, Direito Processual Penal, Princípios Institucionais e Fundamentos de atuação da Defensoria Pública. Com informações da Assessoria de Comunicação da Defensoria Pública de São Paulo.

Revista Consultor Jurídico, 10 de março de 2011, 17h00

Comentários de leitores

5 comentários

Chiaretti

www.eyelegal.tk (Outros)

De novo com esse mesmo papo furado?
Se vc acha o site precário, qual é o seu?
Sucesso e tudo de bom.

Anônimo

Daniel Chiaretti (Defensor Público Federal)

Sr.,
Além do seu site precário, não temos nenhuma informação sobre sua identidade. Ora, como debater com alguém anônimo? Já não chega Ana Lúcia e o outro Daniel.
Que tal um debate sério? Ficar escondidinho não leva a nada.
Coragem homem!

Mariana

www.eyelegal.tk (Outros)

Tome uma decisão.
Você é jornalista, advogada, poetisa, psicanalista ou esposa de algum defensor público de São Paulo?
Nem ódio nem nada, só a chateação de ver a defensoria pública virar uma briga política por ciúme dos recursos que, corretamente, o Estado investe no convênio com a OAB, enquanto a Defensoria ainda não atende à demanda.
O que incomoda mesmo é ver manipulação da mídia para tentar amealhar opinião pública para uma briga que se sabe a olhos vistos que não tem o menor fundamento.
No Brasil existe muito essa cultura de dar muita importância para a forma.
Cadê o conteúdo?
Não há nenhum mérito nisso.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 18/03/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.