Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

R$ 65 milhões

Daslu é vendida por R$ 65 milhões nesta quinta-feira

Em assembleia, os credores do Grupo Daslu aprovaram o Plano de Recuperação Judicial para tirar as lojas de luxo em São Paulo da bancarrota. Comunicado ao mercado divulgado pela Laep Investments Ltd, com sede nas ilhas Bermudas e de propriedade do ex-controlador da Parmalat, Marcos Elias, informa a compra dos ativos da empresa e o planejamento para a quitação da dívida. O leilão judicial ocorreu nesta quinta-feira (24/2).

A proposta vencedora por maioria inclui o aporte de R$ 65 milhões, sendo R$ 44 milhões só para pagar os cerca de 200 credores, que reclamam R$ 90 milhões. Em troca, as subsidiárias da Laep, Retail Participations 2 Ltd e Chipilands Holdings LLC ficarão com todo o ativo, composto inclusive pelas marcas Daslu e Villa Daslu e os estoques das lojas. O faturamento estimado é de R$ 250 milhões. A Daslu tem duas lojas em São Paulo: o complexo Villa Daslu, com 4,8 mil m2, administrado pelo Grupo Iguatemi, e outra loja no shopping Cidade Jardim, controlado pela JHSF. A nova sede da empresa ainda será escolhida entre as lojas do grupo. O plano ainda depende de homologação judicial.

Reconhecida na recuperação judicial, a dívida de R$ 80 milhões não inclui pendências com a Receita Federal, estimadas em R$ 500 milhões, de acordo com o site Jornale Curitiba. Desses R$ 80 milhões, os credores aceitaram um deságio de 60%. A dívida com o fisco ainda é contestada, e ficará a cargo da empresária Eliana Tranchesi, antiga dona. Tranchesi terá ainda uma das lojas da Daslu, que passará a ser uma espécie de franqueada e pagará 5% de seu faturamento para utilizar a marca.

O processo de recuperação corre desde julho do ano passado na 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais em São Paulo, conduzido pelo juiz Daniel Carnio Costa. O declínio da empresa começou em 2005, quando uma operação da Polícia Federal descobriu indícios de crimes de formação de quadrilha, falsidade material e ideológica e lesão à ordem tributária pelos sócios da butique, entre eles a socialite Eliana Tranchesi. A empresária chegou a ser presa em 2009 por fraude em importações e falsificação de documentos, pelo que foi condenada a 94 anos e cinco meses de prisão. Ela responde ao processo em liberdade.

Processo 100.10.024498-9

Leia o comunicado:

LAEP INVESTMENTS LTD.

Clarendon House, 2 Church Street, Hamilton, HM 11, Bermuda
CNPJ/MF 08.904.552/0001-36

Fato Relevante

Em atendimento ao disposto no artigo 157, parágrafo 4º, da Lei nº 6.404/76 (“LSA”), e na Instrução n° 358/02 da Comissão de Valores Mobiliários (“CVM”), conforme alteradas, a LAEP Investments Ltd. (“Companhia”) (MILK11) comunica ao mercado que, em Assembléia Geral de Credores (“AGC”) do ‘Grupo Daslu’, realizada nesta data, consagrou-se vencedora do leilão judicial para aquisição de Unidade Produtiva Isolada (“UPI”), nos termos do termos do Plano de Recuperação Judicial (“Plano”), constantes do Processo sob nº 100.10.024498-9, em curso na 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais da Comarca de São Paulo. A aquisição foi formalizada através de duas subsidiárias não operacionais da Companhia, Retail Participations 2 Ltd. e Chipilands Holdings LLC (“Adquirentes”).

Tanto o Plano quanto a proposta vencedora foram aprovados por vasta maioria das três classes de credores presentes. Em apertada síntese, a UPI será composta pela integralidade dos ativos, inclusive as marcas ‘Daslu’ e ‘Villa Daslu’ e os estoques das lojas, além da integralidade da dívida quirografária e trabalhista reestruturada do Grupo Daslu, conforme aprovada no Plano. As Adquirentes deverão observar os descontos e prazos de implementação e pagamentos ali previstos. Como parte da proposta vencedora, as Adquirentes comprometeram-se a aportar nas novas operações o valor de R$65.187.198,66, sendo R$44.017.510,66 em créditos detidos contra as recuperandas (empresas do ‘Grupo Daslu’) e R$21.169.688,00 em novos recursos. A nova sede da UPI será escolhida entre uma das lojas do Grupo Daslu hoje existentes em São Paulo. O Plano ainda depende de homologação judicial e prevê diversas obrigações acessórias.

Com essa aquisição a Laep aposta no crescimento do mercado de consumo no Brasil e no desenvolvimento de uma das mais fortes e renomadas marcas do mercado de luxo, Daslu, de grande apelo e reconhecimento nacional e internacional. Atualmente o faturamento médio estimado do Grupo Daslu é de aproximadamente R$250 milhões.

São Paulo, 24 de fevereiro de 2011.

Antônio Romildo da Silva
Diretor de Relação com Investidores
Laep Investments

Revista Consultor Jurídico, 24 de fevereiro de 2011, 20h26

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 04/03/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.