Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

relação com vulnerável

Frei flagrado com adolescente consegue liberdade

Um frei flagrado saindo de um motel com uma menina de 16 anos conseguiu liberdade provisória na Justiça de Mato Grosso. A juíza Marilza Aparecida Vitória julgou o pedido do religioso Erivan Messias da Silva, de 43 anos. As informações são do jornal O Globo.

O advogado do religioso, Anderson Nunes de Figueiredo, explicou que a juíza ficou em dúvidas quanto à situação do flagrante. "O pedido de liberdade foi acatado pelo próprio rumo da história e depoimentos da jovem, que disse ter um envolvimento amoroso com o frei, e que não foi forçada", disse Figueiredo em entrevista ao portal MidiaNews.

Como o processo corre em segredo de Justiça, os detalhes não foram divulgados. O prazo para a conclusão do inquérito é quarta-feira (9/2). Apesar da decisão da juíza, o Ministério Público do estado se manifestou contra a liberdade do frei.

É o caso da promotora Josane Fátima de Carvalho Guariente, da 2ª Promotoria de Justiça Criminal de Várzea Grande. Ela entende que a liberação representa sérios riscos às investigações. Segundo a promotora, a adolescente disse em depoimento à Polícia que estava em depressão há algum tempo em decorrência dos abusos.

De acordo com Josane, a prisão do frei não se deve apenas à idade da menina, que não se encaixa no caso de estupro de vulnerável por ter mais de 14 anos. Ela entende que a situação de vulnerabilidade vem da relação estabelecida entre os dois, "em circunstâncias análogas de uma relação entre pai e filha".

O frei foi afastado de suas atividades pela Igreja Católica. Ele comandava duas paróquias em Cuiabá.

Revista Consultor Jurídico, 5 de fevereiro de 2011, 14h49

Comentários de leitores

4 comentários

Opinião

Biuguinho (Outros)

Ademilson, discordo da sua opinião onde disse que esta lei foi editada por causa da influência da igreja. Pra mim deveria sim ter uma lei que protegesse
a honra, a integridade fisíca e moral em caso semelhante a este, porém concordo quanto aos pontos que o senhor levantou. O código antigo levava o termo "mulher honesta"; hoje este termo esta perdido no tempo e espaço, ninguém sabe a definição de "mulher honesta" não por não ter, mas sim pelo termo ser diferente na mentalidade de muitos. Essa menina de 16 anos, concerteza sabe o que faz, pois muitas como ela, sabem até mais sobre o que acontece na vida dos jovens que muitos especialistas, pois a sociedade
evolui tanto mentalmente, fisicamente e culturalmente no decorrer dos tempos. Se houve abusos da parte do frei não posso afirmar, mas digo. Alegar invulnarabilidade? Isso já é absurdo, bato palmas para você - Ademilson - abordou também o tema que envolve novelas brasileiras, onde cada vez mais e em horários "inapropriados", mostram cenas de sexo, linguagens violentas, uso de drogas, cenas sobre homossexualismo (deixando claro que não sou preconceituoso), como se fossem tudo comum, tudo divertido e sem conseqüências aos personagens ou pelo menos com o fraco impacto as pessoas que cometem tal coisas na realidade. A mídia não deixa que a população formar a sua consciência sobre as questões da vida, elas forçam a sociedade a achar que isso tudo é divertido. O caso acima não mostra algo tão diferente daquilo que vemos acontecer, só fechamos os olhos para os nossos próprios filhos (educação) e abrimos os olhos para as questões que parecem ser aterrorizantes, caso não perceberam isso acontece todos os dias, todas as horas, mas de modos
diferentes. Abram os olhos e verão que é verdade.

Alegação esdrúxula...

Ademilson Pereira Diniz (Advogado Autônomo - Civil)

Como relação PAI E FILHA?, Uma MENOR de 16 anos já sabe absolutamente o que quer, só não vêm os imbecis, sobretudo na questão da sexualidade. Alegar "vulnerabilidade"? Só se for a do PADRE....Essa LEI é fruto da influência dos RELIGIOSOS ( a Igreja Católica, à frente) e a "onda" que tomou conta do PAÍS sob o título de "pedofilia"...Agora, até o que era atentado ao pudor, virou "estupro"..(estupro de consciência, só se for), com pena MAIOR do que aquela destinada ao HOMICÍDIO. É a HIPOCRISIA da falsa moralidade; enquanto isso, nas novelas de Televisão (aberta a todas as idades), romances entre pessoas de idade (humens e mulheres) continuam de vento em popa, além de outras liberalidades das mais deversas ordens, isto sim, corroendo a MENTALIDADE dos "vulneráveis"...

A IGREJA CATÓLICA É A CRIMINOSA

CHORBA (Bancário)

Ao não permitir Padre casar, constituir uma família, princípio básico da sociedade a Igreja como entidade é a CULPADA.
.
Jorge Alencar Chorba
chorbamatrix@gmail.com
http://chorbamatrix.blogspot.com/
55.9623.6520

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 13/02/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.