Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Eleições no Haiti

Resultado do primeiro turno sai nesta quarta-feira

O Conselho Eleitoral Provisório (CEP) do Haiti divulga, nesta quarta-feira (2/2), os resultados finais do primeiro turno das eleições presidenciais. O segundo turno está marcado para o dia 20 de março. Porém, o resultado só será divulgado em 31 de março e publicado em 16 de abril. As informações das autoridades haitianas foram divulgadas pela Agência Brasil.

A certeza, segundo a Agência Brasil, é a de que a ex-primeira-dama Mirlande Manigat siga para o segundo turno. A indefinição está entre o governista Jude Celestin e o músico Michel Martelly. Observadores estrangeiros acreditam que o segundo turno deve envolver Manigat e Martelly.

O segundo turno das eleições no Haiti foi marcado depois que uma comissão especial da Organização dos Estados Americanos (OEA) concluiu que houve irregularidades no processo eleitoral. A comissão recomendou a substituição de candidatos e aconselhou mudanças nas votações.

Situação delicada
O Haiti passa por uma fase econômica e social delicada e enfrenta um momento de instabilidade política, causado pela incerteza das eleições e pelo retorno ao país do ex-presidente Jean-Claude Duvalier, o Baby Doc, no dia 16 de janeiro.

Acusado de promover assassinatos, torturas, perseguições e de manter um sistema de trabalho escravo vinculado a pessoas da República Dominicana, Baby Doc não explicou as razões de seu retorno a Porto Príncipe, capital haitiana, e foi proibido de deixar o país. Segundo a Agência Brasil, há indicações de que o ex-presidente Jean-Bertrand Aristide, expulso do país sob denúncias de corrupção e violação de direitos humanos, também quer voltar ao Haiti.

Além dos conflitos políticos, o Haiti tenta reconstruir-se depois do terremoto de janeiro de 2010. A maior parte do país foi devastada e cerca de 220 mil pessoas morreram. Há, ainda, o problema causado pela epidemia de cólera que causou mais de 4 mil mortes. Na tentativa de superar as dificuldades internas, o Haiti conta com a ajuda internacional e de organizações não governamentais.

Revista Consultor Jurídico, 2 de fevereiro de 2011, 15h57

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 10/02/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.