Consultor Jurídico

Artigos

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Desafio lançado

Imprensa poderia revelar a verdade sobre o amianto

Por 

Nas últimas décadas a sociedade se conscientizou quanto à necessidade de termos um meio ambiente equilibrado e o desenvolvimento ser sustentável. Hoje são poucos os que não se interessam por este tema. Na minha experiência profissional em que tenho, por dever de ofício, que ouvir as razões dos dois lados, já fui surpreendido ao descobrir a existência de interesses econômicos ou políticos travestidos de defesa do meio ambiente.

De modo que sempre é bom desconfiar do que se vê, ouve ou lê. Tome-se, por exemplo, o caso do amianto. Eu considerava este assunto indiscutível, pois o que se divulga é que este material é cancerígeno e precisa ser banido do mercado. Nunca tinha visto na mídia as razões do outro lado e imaginava que era por ser indefensável o seu uso.

Recentemente tomei conhecimento do contraditório. A indústria do amianto, brasileira, alega que o amianto usado no país não causa danos à saúde e que a propaganda negativa em torno de suas propriedades é patrocinada por uma concorrente, de capital francês, que não tem a matéria-prima e quer banir o seu uso para dominar o pujante mercado doméstico de telhas, quando a Europa está com sua economia combalida.

Fiquei estarrecido, principalmente, com a informação de que a indústria do amianto foi impedida pelo CONAR de divulgar pesquisa realizada por renomados cientistas, na qual se concluiu que o amianto não causa os danos dos quais é acusado. O CONAR — Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária é uma entidade de direito privado que tem por missão “impedir que a publicidade enganosa ou abusiva cause constrangimento ao consumidor ou a empresas”.

Não sei por que a indústria do amianto não recorreu ao Judiciário para se livrar da censura que reclama sofrer. Estaria sujeita a alguma represália? Algumas entidades privadas são muito poderosas e perseguem implacavelmente quem as processa na Justiça. A CBF — Confederação Brasileira de Futebol — é o exemplo mais conhecido. O Gama, time de futebol do Distrito Federal, está penando por afrontar judicialmente aquela poderosa entidade.

Seria o mesmo caso do CONAR? Amigo leitor, não estou aqui defendendo a indústria do amianto, dizendo que este produto não causa males à saúde e nem acusando o CONAR de desrespeitar a Constituição. O que estou chamando a atenção é para a necessidade deste assunto ser esclarecido.

A imprensa que gosta tanto de escândalos, fofocas, denuncismos e julgamentos apressados (sempre de forma seletiva, vejam o exemplo dos jatinhos) poderia cumprir sua missão, fazer jornalismo investigativo e nos esclarecer qual a verdade acerca do amianto e do procedimento do CONAR. Ou os meios de comunicação não têm neutralidade e coragem para esta empreitada? Fica lançado o desafio!

* Artigo publicado originalmente no site Fala Bahia: www.ibahia.com.br/falabahia

____________________________________________________________

Lincoln Pinheiro Costa é Juiz Federal em Belo Horizonte e ex-Procurador da Fazenda Nacional em Salvador. É graduado pela Faculdade de

Direito do Largo de São Francisco (USP) e MBA em Direito da Economia e da Empresa pela FGV. É membro do Instituto San Tiago Dantas de

Lincoln Pinheiro Costa é juiz federal em Belo Horizonte e ex-procurador da Fazenda Nacional em Salvador. É graduado pela Faculdade de Direito do Largo de São Francisco (USP) e MBA em Direito da Economia e da Empresa pela FGV.

Revista Consultor Jurídico, 31 de agosto de 2011, 12h39

Comentários de leitores

8 comentários

Parabenizo e concordo o Dr. Lincoln, falta informação

Arlindo Souza (Médico)

Primeiramente quero parabenizar o Dr. Lincoln pela coragem de falar sobre esse assunto que sempre é tratado de forma sensacionalista pela mídia.
Acho que o Sr. Fernando José Gonçalves é mais um desinformado e que precisa seriamente se atualizar com relação as novas pesquisas sobre esse mineral. Que o pó desse mineral é cancerígeno acho que ninguém têm dúvida, agora o que ninguém divulga é o que o Brasil é referencia mundial com relação ao uso seguro de mineral, que as empresas e a própria mina de onde é extraída essa fibra no Brasil disponibiliza total segurança para os seus colaboradores. Isso infelizmente ninguém divulga.
Voltando as pesquisas é realmente estranho que se comente que existe um monte de pesquisas que comprovem que o amianto crisotila, que é o amianto usado no Brasil faz mal a saúde, mas essas pesquisas nunca aparecem. Falar da boca pra fora é fácil, comprovar com provas substanciais é que esse lobby anti-amianto não consegue fazer.
Eu tinha a mesma opinião do Sr. Lincoln com relação a esse produto, que ele não deveria mais ser comercializado em nosso país, mas depois de visitar uma das empresas que trabalham com essa fibra mineral e me informar sobre essa guerra comercial, também mudei minha opinião.
Provavelmente o Sr. Fernando não conhece a atual realidade das empresas e nem na Mina, se conhecesse não falaria besteira.

QUE VERDADE SOBRE O AMIANTO A IMPRENSA DEVERIA REVELAR?

FERNANDA (Auditor Fiscal)

A única verdade a ser dita pela imprensa e reverberada é que o amianto é um potente cancerígeno para os seres humanos e mata. O resto é balela da indústria da fibra assassina. É estarrecedor nos depararmos com um artigo tāo tendencioso neste prestigiado site e que só serve de fachada para a máquina propagandística da indústria do amianto e seu poderoso lobby. Sob a pretensa neutralidade, o autor repete aqui o mantra que estamos cansados de ler em CONJUR, que sempre dá um espaço privilegiado para estes lobbystas aqui despejarem suas pseudo verdades técnico-científicas, que a mídia séria deste país rejeita. É bom que se esclareça que o CONAR, com toda propriedade e competência, retirou do ar e proibiu a propaganda enganosa destas empresas que queriam divulgar que o amianto brasileiro não faz mal à saúde e nunca vetou a divulgaçāo de pesquisas sérias e reconhecidamente científicas. A se lamenfar mais uma vez o espaço dado aqui a esta pseudo literatura desqualificada tecnicamente e polticamente parcial e alinhada aos interesses econômicos de grandes conglomerados industriais poluidores e degradadores da saúde humana.

QUE VERDADE SOBRE O AMIANTO A IMPRENSA DEVERIA REVELAR?

FERNANDA (Auditor Fiscal)

A única verdade a ser dita pela imprensa e reverberada é que o amianto é um potente cancerígeno para os seres humanos e mata. O resto é balela da indústria da fibra assassina. É estarrecedor nos depararmos com um artigo tāo tendencioso neste prestigiado site e que só serve de fachada para a máquina propagandística da indústria do amianto e seu poderoso lobby. Sob a pretensa neutralidade, o autor repete aqui o mantra que estamos cansados de ler em CONJUR, que sempre dá um espaço privilegiado para estes lobbystas aqui despejarem suas pseudo verdades técnico-científicas, que a mídia séria deste país rejeita. É bom que se esclareça que o CONAR, com toda propriedade e competência, retirou do ar e proibiu a propaganda enganosa destas empresas que queriam divulgar que o amianto brasileiro não faz mal à saúde e nunca vetou a divulgaçāo de pesquisas sérias e reconhecidamente científicas. A se lamenfar mais uma vez o espaço dado aqui a esta pseudo literatura desqualificada tecnicamente e polticamente parcial e alinhada aos interesses econômicos de grandes conglomerados industriais poluidores e degradadores da saúde humana.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 08/09/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.