Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Conciliando SP

TJ paulista e Bancoop fazem mutirão de conciliação

Por 

A Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop) e o Setor de Conciliações do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) deram início a um esforço conjunto para pôr fim a centenas de ações judiciais envolvendo a cooperativa e os cooperados.

A partir de uma primeira lista com quase 200 ações em andamento enviadas pela Bancoop ao Centro Judiciário de Conciliação em segundo grau, já foram agendadas mais de 60 sessões conciliatórias até esta quarta-feira (24/8). Segundo as designações do TJ, as sessões foram agendadas “tendo em vista o Projeto TJ conciliando SP e o alto índice de comparecimento nas sessões conciliatórias dos advogados que representam a Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop) buscando solucionar os litígios”. As sessões vão ocorrer entre 12 e 30 de setembro.

“O Poder Judiciário e a sociedade só têm a ganhar quando conseguem promover esse tipo de entendimento”, declarou o advogado da Bancoop, Fábio Azevedo, do escritório Piza Advogados Associados. “Com a realização dos acordos, o tribunal não será mais obrigado a realizar a tradicional sessão de julgamento dos recursos, por meio da qual obrigatoriamente participariam três desembargadores com direito a voto”.

Ele contou que a iniciativa partiu da própria Cooperativa, que desde o início do ano intensificou as campanhas junto aos associados e vem antecipando propostas de acordo com relação aos empreendimentos imobiliários que já foram entregues, bem como os que ainda estão em andamento.

“É importante a participação dos cooperados juntamente com seus advogados nestas audiências. Caso eventualmente algum cooperado não seja inicialmente convidado a participar destas audiências, é plenamente possível que este entre em contato com a cooperativa, que, nesta hipótese tratará de encaminhar imediatamente o caso ao setor de conciliações do Tribunal”, explicou Fábio Azevedo.

A maioria das ações, de acordo com o advogado, envolve cobranças relativas ao rateio do custo final das obras e devolução de haveres a cooperados. Ao longo de 15 anos de existência, a Bancoop concluiu 25 empreendimentos e entregou unidades em outros 10, concluídos parcialmente. Ao total, foram entregues mais de 5 mil unidades residenciais aos cooperados.

 é diretor da revista Consultor Jurídico em Brasília.

Revista Consultor Jurídico, 24 de agosto de 2011, 18h41

Comentários de leitores

2 comentários

É PROPAGANDA PAGA?

omartini (Outros - Civil)

Nada mais inteligente que vítimas se submetam à Conciliação para salvar um mínimo de seus direitos!
Afinal, o processo judicial contra diretores da Bancoop não prosperou?
Estranho artigo, redigido por diretor da revista em Brasília, sobre a Bancoop de SP e o TJ também paulista...

Mutirão?

anttonelli (Jornalista)

Não entendo como uma empresa pode alegar estar colaborando e tentando fazer acordos se ela sequer aparece nas audiências.
Posso estar enganado, mas a nota parece uma simples reprodução de release da Bancoop.

Comentários encerrados em 01/09/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.