Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Pensão alimentícia

Ex-jogador Zé Elias é solto após 30 dias preso

O ex-jogador Zé Elias foi liberado nesta sexta-feira após 30 dias preso por não pagar pensão à ex-mulher Silvia Regina Corrêa Castro. Zé Elias ficou detido no 33º Distrito Policial, em Pirituba, e deixou o local acompanhado de sua atual companheira, Renata Moedim. As informações são dos portais de notícias UOL e Terra.

Zé Elias foi preso por não pagar pensão de R$ 25 mil à mãe de seus dois filhos, um de oito e outro de 10 anos. O ex-jogador alegou que estava desempregado e que o valor total da dívida, avaliada em quase R$ 1 milhão, estava muito acima do que ele poderia pagar após se aposentar do futebol. O ex-jogador acrescentou que havia cedido uma mansão à ex-mulher.

No dia 3 de agosto, a Justiça reduziu o valor da pensão para dois salários mínimos (um para cada filho). A ex-mulher de Zé Elias cobra uma dívida de aproximadamente R$ 1 milhão, em decorrência de atraso no pagamento de pensão. A defesa sustenta que o ex-jogador não tem como pagar a quantia.

Durante o tempo na prisão, Zé Elias dividiu cela com outros presos que também não pagaram pensão alimentícia e adaptou-se à rotina, ajudando nas tarefas diárias e se tornando até o responsável pelo setor da cozinha.
 

Revista Consultor Jurídico, 19 de agosto de 2011, 20h39

Comentários de leitores

2 comentários

Dr. Daniel.

claudenir (Outros)

Boa tarde.
justamente isso se aplicaria nesse caso, agora o Sr. como juiz deve mutio bem que existe dois lados. o

Erro de cálculo

Daniel André Köhler Berthold (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

Não conheço o caso concreto, razão pela qual meu comentário pode não se aplicar a ele.
O que acontece, rotineiramente, é que o cidadão é condenado, por exemplo, a pagar, de alimentos, R$1.000,00 por mês, mas só consegue R$900,00. Então, em vez de ele depositar os R$900,00 e propor ação de revisão, simplesmente não deposita nada e espera. Espera vários meses. Aí, o credor entra com execução e pede, sob pena de prisão, as três úotimas parcelas. Digamos que se passe um mês até o devedor ser citado, quando já estará devendo quatro meses. Aí, sem considerar atualização nem juros, a dívida já estará em R$4.000,00, mais a do mês em curso. Então, não há, mesmo, como pagar. Mas haveria, se o cidadão tivesse depositado R$900,00 por mês e houvesse propoosto a demanda revisional.

Comentários encerrados em 27/08/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.