Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Suspeita de assassinato

Justiça concede liberdade parcial a Adriana Villela

Adriana Villela, filha do ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral José Guilherme Villela e da advogada Maria Carvalho Villela, teve parcialmente concedido o pedido de Habeas Corpus pela Justiça do Distrito Federal. Ela integra a lista dos suspeitos de pelo assassinado do casal no ano passado, segundo a polícia do DF. As informações são da Folha de S.Paulo.

A acusada está presa há 18 dias e terá liberdade restrita. Ela deve ter telefone fixo, para atender ligações da polícia e da Justiça, e também terá de comparecer quando for convocada à delegacia. Esta situação deverá durar 12 dias, até o fim do período de prisão temporária (30 dias).

De acordo com a Folha, a prisão temporária pode ser prorrogada, mas apenas se houver novos fatos e se o juiz decidir nesse sentido.

O caso
Adriana foi presa em 17 de agosto de 2010. Ela e mais quatro pessoas são suspeitas de obstruir as investigações da polícia. Além do casal Villela, também foi assassinada a empregada Francisca da Silva. As vítimas foram mortas a facadas dentro do apartamento do casal. Segundo o Tribunal de Justiça do Distrito Federal, o principal elemento que embasou o pedido de prisão foi a chave do apartamento dos Villela, que teria sido encontrada com os suspeitos e os ligaria ao crime, mas que, segundo a polícia, seria uma prova ‘plantada’ para incriminar dois suspeitos do assassinato, depois inocentados.

Revista Consultor Jurídico, 2 de setembro de 2010, 20h21

Comentários de leitores

1 comentário

HC Parcial???

Zerlottini (Outros)

Deve ser algo parecido com "estar ligeiramente grávida"??? Ou "habeas" ou não "habeas". Tem mais ou menos? Pode ser, né... Como tudo neste país, é como uma pizza "mezzo à mezzo"... Cazzo!
Francisco Alexandre Zerlottini. BH/MG.

Comentários encerrados em 10/09/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.