Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Tentativa de estupro

Júri britânico condena meninos de 10 e 11 anos

Dois garotos, um de 10 e outro de 11 anos, foram condenados nesta segunda-feira (24/5) por tentativa de estupro de uma menina de oito anos em Londres. Composto por seis homens e seis mulheres, o júri teve dez votos favoráveis a condenação e dois contra, de acordo com informações da BBC Brasil.

Os meninos estão entre os mais novos já processados por estupro na Grã-Bretanha. Eles não devem receber a sentença enquanto os relatórios sobre o caso não estiverem concluídos, o que seria aproximadamente oito semanas.

Os meninos respondiam por estupro propriamente dito no início do processo devido ao depoimento da menina que afirmou ter sofrido o crime em outubro de 2009. Na época, ela foi internada em um hospital com dores de estômago.

De acordo com a promotora Rosina Cottage, a menina foi abordada pelos garotos quando brincava com uma amiga e foi levada pelos acusados para um conjunto habitacional, um depósito de lixo comunitário e um campo. A mãe da garota disse que a encontrou com os meninos perto de um campo, depois de outra criança ter afirmado que os meninos tentavam machucá-la.

A vítima contou a mãe que foi estuprada. Em audiências preliminares, ela voltou atrás e negou o estupro. Confessou ter mentido para a mãe porque foi "travessa" e ficou com medo de não ganhar doces. Para preservar sua identidade, a menina depôs em uma sala separada, por vídeo.

A defesa pediu que o caso fosse abandonado depois da admissão da menina de que parte de seu depoimento era falso. O juiz negou e disse que as declarações da vítima tinham sido coerentes com depoimentos de adultos, entre eles, policiais e médicos. Os advogados dos garotos sustentaram que eles estavam apenas sendo "travessos" e brincando de médico.

"Essa é uma experiência que todos nós torcemos para que nossos filhos não atravessem", disse o juiz.

Revista Consultor Jurídico, 24 de maio de 2010, 20h45

Comentários de leitores

3 comentários

Cadeia neles

Gusto (Advogado Autônomo - Financeiro)

Concordo com o Antonio Dinamarco: que inveja! Só que lá os direitos humanos servem à decência da sociedade justa e não na proteção de vagabundos, criminosos, pedófilos religiosos e quejandos, como acontece por estas bandas bananescas da republiqueta brasileira. Aqui os vermes são tratados a pão-de-ló, pouco importando que tenham matado dez ou vinte pais de família. Veja se nos países desenvolvidos existe algo com a denominação de "fundação casa". Lá bandido é bandido, pouco importando a idade. E aqui só vamos acabar com a pouca vergonha da violência desses trânsfugas (os "de menor"), quando o mal for extirpado pela raiz, ou seja, acabar com a impunidade e trancafiar esses irrecuperáveis em jaulas e fazer com que eles cumpram, dia por dia, a totalidade de uma severa pena, até o fim. E para isso importante acabar com a progressão de pena, pois esses marginais, maiores ou menores, são incorrigíveis e contam com isso para voltar a delinquir. Parabéns à justiça britânica e mais uma vez, que inveja.

INVEJA !!!

acdinamarco (Advogado Autônomo - Criminal)

QUE INVEJA !!!!!!!
acdinamarco@aasp.org.br

Meninos de 10 e 11 anos condenados.

Zerlottini (Outros)

Quando é que o nosso país vai começar a ver a diferença entre os menores carentes e os menores delinquentes? Lá não tem desse negócio de ser "de menor" e poder fazer o que quiser. Aprontou, tá ferrado! Não interessa a idade. Aqui, os "de menor" assumem os crimes, para livrar a cara dos "de maior". E nem presos podem ser. Quanto mais condenados! Quosque tandem?
Francisco Alexandre Zerlottini. BH/MG.

Comentários encerrados em 01/06/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.